A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

24/07/2015 10:11

Delegacia mantém ação para localizar remédios roubados do SUS em MG

Paulo Yafusso
Ana Cláudia mantém investigação sobre roubo de remédios do SUS (Foto: Fernando Antunes/Arquivo)Ana Cláudia mantém investigação sobre roubo de remédios do SUS (Foto: Fernando Antunes/Arquivo)

A Deco (Delegacia Especializada no Combate ao Crime Organizado) apreendeu em Campo Grande mais 171 caixas do medicamento Selozok 50 mg do lote 35.650 do laboratório Astrozenica. O lote, com 51.414 caixas do medicamento, havia sido roubado no dia 19 janeiro deste ano, quando estava sendo transportado para os compradores. Desse total, 48.534 caixas estavam sendo levadas para o governo de Minas Gerais, que faria a distribuição aos pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde).

A delegada da Deco que preside o inquérito, Ana Cláudia Medina, disse que muitas farmácias já tinham vendido todas as caixas compradas, e elas apresentaram as notas fiscais. Falta ainda recolher os produtos fornecidos às farmácias o interior do Estado. Na quarta-feira, ela ouviu em depoimento o gerente da MedCardin, que estava vendendo o produto para farmácias e distribuidoras de Mato Grosso do Sul.

Segundo Medina, o gerente pouco contribuiu com as investigações. Disse que não sabe de onde a mercadoria foi comprada, pois toda a negociação foi feita pelo dono da empresa, que fica na matriz da empresa, no Espírito Santo. O advogado da MedCardin se comprometeu a trazer o empresário a Campo Grande para prestar depoimento.

“Eles terão que trazer os medicamentos vendidos para as farmácias do interior e também os que estão no Espírito Santo”, afirmou Ana Cláudia Medina. Segundo ela, a MedCardin se instalou em Campo Grande em outubro do ano passado. Mas conforme as regras da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) a distribuidora não pode adquirir ou vender medicamento direto de uma distribuidora, e a MedCardin não estava respeitando essa regra. Tanto que no dia da Operação Pharmacus, realizada em junho deste ano, foram apreendidos caixas do lote roubado de Selozok na distribuidora que abastece uma rede de drogarias da Capital.

No dia da Operação Pharmacus foram apreendidos 1.040 caixas do medicamento numa distribuidora e em várias farmácias. A advogada o Laboratório Astrozenica, Karin Toscano, disse que no total foram roubados 51.414 caixas de Selozok 50 mg, carga avaliada em mais de R$ 1,3 milhão. Ela disse que assim que o Laboratório descobriu que o medicamento roubado estava sendo vendido em Campo Grande, acionou a policia civil do Estado.

A investigação foi assumida pela Deco, que prossegue com as investigações. Ainda não se sabe como o roubo ocorreu. Também não foram identificados ainda os integrantes da quadrilha. Os responsáveis pela comercialização do medicamento roubado deverão ser indiciados por receptação.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions