A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

06/10/2016 12:48

Em abrigo, família e bebê que seria vendido no Facebook passam bem

Julia Kaifanny
O caso foi registrado na DPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente). (Foto: Guilherme Henri)O caso foi registrado na DPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente). (Foto: Guilherme Henri)

O bebê de 4 meses que foi anunciado para venda no Facebook, está com abrigado no Cedami (Centro de Apoio ao Migrante) e passa bem. A mãe, de 22 anos, é epiléptica e a família não tinha para onde ir.

De acordo com o Delegado Mário Donizete, da DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), diante da situação, eles foram abrigados na Cedami. Além da mãe e o bebê, estão a avó e a irmã de cinco anos.

A administração do centro informou ao Campo Grande News que, vó, mãe e crianças chegaram ontem no início da noite e passam bem. Eles não tinham sinais de desnutrição ou maus tratos, dormiram bem e não se sabe até quando devem permanecer no local.

Caso - Sem dinheiro e no desespero o pai do bebê, um homem de 26 anos teria negociado a venda da criança pelo facebook. Ele disse a polícia que trabalhava como segurança em São Gabriel, município onde a família morava com a família, mas perdeu o emprego e acumulou R$ 3 mil em dívidas.  

O jovem tentava embarcar com a família para São Paulo, mas não tinha dinheiro para se alimentar nem para as passagens. A família então procurou uma assistente social do terminal rodoviário para pedir ajuda e o pai acabou contando que estava negociando a venda do filho com uma estudante de Direito de São Paulo. A polícia foi acionada e o pai preso em flagrante.

Ele responderá por crime previsto no artigo 238 do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), “prometer a entrega do filho mediante recompensa”, que prevê pena de até quatro anos de reclusão. O delegado arbitrou fiança de um salário mínimo (R$ 880), que ele não teve condições de pagar. O valor foi reduzido para R$ 200, mas o início dessa tarde o homem continua preso.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions