A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 30 de Março de 2017

29/12/2014 23:21

MTE aprova regras para multa em infração às normas do trabalho doméstico

Daniel Machado

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) publicou na última quarta-feira (24) no Diário Oficial da União, Seção 1, página 249, a Portaria Nº 2.020, de 23 de dezembro de 2014, que aprova regras para a imposição de multas administrativas, previstas na legislação trabalhista, por infrações às normas de proteção ao trabalho doméstico. A portaria entrou em vigor na data de publicação.

De acordo com a portaria, os valores terão como base de cálculo as multas da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Serão considerados, para valor da multa, a gravidade da infração conforme tempo de serviço, idade e o número de empregados prejudicados.

A portaria estabelece que, em razão do tempo de serviço dos empregados prejudicados, o valor da multa previsto na CLT será acrescido de 1% para cada mês trabalhado, se houver empregado prejudicado com mais de 30 dias de tempo de serviço prestado ao empregador.

Em relação à idade dos empregados prejudicados, o valor de multa previsto na CLT será acrescido de 30%, se houver empregado prejudicado maior de 50 anos de idade, ou dobrado, se houver empregado prejudicado com 17 anos de idade ou menos.

A norma também define que o valor de multa previsto na CLT será multiplicado pelo número de empregados prejudicados e será dobrado, em razão da falta de anotação da data de admissão e da remuneração do empregado doméstico na Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS).

Mas, o valor da multa também poderá será reduzido pela metade para a hipótese do empregador reconhecer voluntariamente o tempo de serviço do empregado, efetuar as anotações pertinentes e recolher as contribuições previdenciárias devidas.

Trabalhador doméstico – Considera-se trabalhador doméstico aquele maior de 18 anos que presta serviços de natureza contínua e de finalidade não-lucrativa à pessoa ou à família, no âmbito residencial.

Assim, o traço diferenciador do emprego doméstico é o caráter não-econômico da atividade exercida no âmbito residencial do empregador. Nesses termos, integram a categoria os seguintes trabalhadores: empregado, cozinheiro, governanta, babá, lavadeira, faxineiro, vigia, motorista particular, jardineiro, acompanhante de idosos, dentre outras. O caseiro também é considerado trabalhador doméstico, quando o sítio ou local onde exerce a sua atividade não possui finalidade lucrativa.

Fiscalização – Em agosto deste ano, o Ministério do Trabalho e Emprego publicou no Diário Oficial da União, a Instrução Normativa nº 110, de 06 de agosto de 2014, que dispõe sobre os procedimentos de fiscalização do cumprimento das normas relativas à proteção ao trabalho doméstico.

De acordo com a IN, a fiscalização do trabalho doméstico é realizada pelos auditores fiscais do trabalho (AFT) mediante fiscalização indireta, que ocorre com sistema de notificação e apresentação de documentos nas unidades descentralizadas do MTE.

Encerra hoje inscrição de curso de fuzileiros navais com 75 vagas no Estado
Termina hoje inscrição do processo seletivo de 1.300 candidatos para a formação de soldados fuzileiros navais. São 75 vagas em Mato Grosso do Sul, to...
Conselho Regional de Química abre concurso para cargos em nível médio e superior
O Conselho Regional de Química de Mato Grosso do Sul, abriu edital com três vagas e formação de cadastro de reserva, para profissionais de nível médi...
UEMS continua com inscrições abertas de concurso para 58 vagas
A UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) está com inscrições abertas para o concurso público com 34 vagas para cargos de nível médio e 24...
Funsat Itinerante visita três bairros nesta semana em Campo Grande
Três bairros serão visitados nesta semana pelo programa Funsat Itinerante, realizado pela Funsat (Fundação Social do Trabalho) em Campo Grande. Os tr...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions