A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

15/01/2014 08:24

Empresários são acusados de fraude em licitações em três Estados e MS

Kleber Clajus

Seis empresários foram presos preventivamente, na terça-feira (14), pelo Gaeco (Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado) em operação do Ministério Público do Estado de São Paulo. O grupo é acusado de fraudar licitações para compra de sacos de lixo hospitalar e comum em quatro Estados, incluindo Mato Grosso do Sul. Em dois anos, o faturamento chegou a mais de R$ 100 milhões. As prisões ocorreram no interior de São Paulo.

De acordo com o Jornal da Cidade de Bauru, a operação Colludium foi deflagrada após dez meses de investigações do MPE (Ministério Público Estadual). Ao todo sete mandatos de prisão e 27 de busca e apreensão foram expedidos. Os empresários, do ramo de fabricação de embalagens plásticas, foram presos nas cidades de Bauru (1), Marília (2), Jaú (2) e em Lucélia, onde o ex-prefeito e empresário, Carlos Ananias Campos de Souza, foi detido. A operação também foi realizada em São Paulo, Indaiatuba, Carapicuíba, Taboão da Serra e Oscar Bressane.

Informações do Gaeco apontam que o esquema ocorria com a compra da “desistência” de outras empresas em processos licitatórios em órgãos e entidades públicas. Em alguns casos, havia participação de funcionários públicos em editais direcionados. As empresas também se revezavam nas “vitórias” não apenas na Capital e interior de São Paulo, mas também foram encontrados indícios de fraude em licitações em Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Paraná.

Dados do MPE paulista apontam que o grupo possa ter arrecadado mais de R$ 100 milhões, no período de dois anos, em recebimentos de prefeituras do Estado de São Paulo, faculdades, hospitais e demais entidades públicas. Mesmo que sacos de lixo e embalagens plásticas possuam baixo valor de mercado, as licitações costumam ter valores elevados em razão do uso contínuo e expressivo do material.

Todos os envolvidos devem responder por formação de quadrilha e cartel, corrupção e fraude em procedimento licitatório.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions