A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

30/08/2013 09:52

Familiares fazem ato para lembrar um ano das mortes de Breno e Leonardo

Jéssica Benitez e Luciana Brazil
Um ano depois do crime, as mortes ainda causam comoção (Foto: Cleber Gellio)Um ano depois do crime, as mortes ainda causam comoção (Foto: Cleber Gellio)

Há exatamente um ano os jovens Breno Silvestrini, 18 anos, e Leonardo Fernandes, 19 anos, foram encontrados mortos após serem sequestrados na porta de um bar em Campo Grande. Para marcar a data, cerca de 100 pessoas estão em um posto de gasolina em frente ao Aeroporto da Capital, de onde sairão em comboio rumo ao macroanel rodoviário, na BR-262, local em que os corpos dos estudantes foram encontrados.

A reunião é o primeiro evento da Associação Mães da Fronteira, fundada pelas mães dos garotos. O objetivo é lutar por maior fiscalização nas divisas de Mato Grosso do Sul com outros países, já que Breno e Leonardo foram sequestrados por um grupo que tinha a intenção de levar o carro que os rapazes estavam para a Bolívia.

A mãe de Leonardo, Ângela Fernandes, disse que a morte do filho foi um divisor de águas em sua vida e mesmo com toda a dor que o assassinato trouxe, ela tem algo a agradecer. “Agradeço por ter tido a oportunidade de ter convivido com eles. Dois garotos maravilhosos”, disse. Para ela, a associação tem como maior objetivo tentar frear o tráfico de drogas na fronteira, tendo em vista que os rapazes foram mortos por causa de dois quilos de cocaína.

A Mães da Fronteira, criada oficialmente em 15 de agosto, já conseguiu a primeira grande conquista. No dia 24 de setembro integrantes da associação vão até Brasília onde se reunirão com o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), juntamente com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. “Vamos correr atrás das autoridades porque, nos EUA, por exemplo, ninguém consegue entrar vindo do México sem passar por fiscalização”, disse a 1ª secretária da associação, Andréia Muller.

Hoje haverá culto inter-religioso na Concha Acústica, no Parque dos Poderes. Amanhã será o lançamento da pedra fundamental no local que será construída a Praça “Bosque da Paz Breno e Leonardo”, no bairro Caranda Bosque.

Um casal que perdeu a filha na tragédia da boate Kiss, em Santa Maria (RS), também está em Campo Grande especialmente para acompanhar os eventos.

Saudade – Visivelmente emocionado, o pai de Breno, Rubens Silvestrini, contou que a dor sempre vai assolar a família. “Minha ficha caiu quando fiquei sabendo da morte do meu filho, mas achei que a dor fosse passar ao decorrer do tempo. Me enganei, a perda dói da mesma forma. A saudade só aumenta e a revolta contra o sistema que nada faz só aumenta”, desabafou.

Condenação – No último dia 07, pouco antes de o crime completar um ano, os seis envolvidos na morte dos acadêmicos foram condenados a uma pena de 209 de prisão, quando somadas. Rafael da Costa da Silva, de 18 anos, foi condenado a 42 anos e 4 meses de prisão; Raul de Andrade Pinto, 22 anos, teve pena estabelecida de 35 anos e 4 meses; Weverson Gonçalves Feitosa, 22, foi condenado a 36 anos e quatro meses, três anos a mais que Dayani Aguirre Clarindo, de 24 anos.

Já Edson Natalício de Oliveira Gomes teve a menor pena, de 29 anos e 8 meses de prisão. Por último, Jonilton Jackson Leite de Almeida foi condenado a 32 anos e 10 meses de prisão. A sentença foi proferida pela 3ª Vara Criminal de Campo Grande, sob responsabilidade da juíza Eucélia Moreira Cassal. O crime, que ocorreu em agosto do ano passado, foi classificado como latrocínio (roubo seguido de morte). Segundo a sentença, os condenados deverão cumprir a pena corporal inicialmente em regime fechado.

O crime - Segundo o inquérito policial, Rafael e Weverson aguardaram as vítimas saírem de um bar em Campo Grande. No momento em que Leonardo acionou o alarme da caminhonete Pajero, ele e o amigo foram abordados pela dupla.

Weverson assumiu a direção do veículo. Leonardo foi para o banco do passageiro, enquanto que Breno foi para o banco de trás junto com Rafael. De lá, seguiram para as saídas de Aquidauana e Rochedo, na região do Indubrasil.

Eles estavam sendo seguidos por um Fiat Uno, onde estavam Dayane e o irmão de Rafael, um adolescente de 17 anos. Durante o trajeto, segundo a delegada, Breno foi violentamente espancado por Rafael. Na entrada de uma galeria de água pluvial, os estudantes tornaram a ser espancados pela dupla. As vítimas chegaram a implorar para não morrerem.

Os dois foram colocados de joelhos. O primeiro a ser morto foi Breno com um tiro na cabeça. Leonardo ao ver que o amigo havia sido baleado, se mexeu e o tiro acabou acertando sua cabeça de lado. Todos os disparos foram feitos por Rafael. Os estudantes foram mortos cerca de 30 minutos após serem abordados.

Após o assassinato, Weverson, Rafael e Dayane seguiram rumo a Corumbá na Pajero. Já o adolescente deixou o local dirigindo o Fiat Uno e foi para a casa de Raul, no bairro Guanandi. Próximo da entrada de Corumbá, o trio abandonou o veículo após se depararem com uma barreira do DOF (Departamento de Operações da Fronteira). Os três se esconderam em um matagal na região.

Dayane foi a primeira ser presa, em Corumbá. Ela entregou a Polícia os outros envolvidos no crime. Rafael foi capturado ainda na mata e Weverson na casa do pai dele, em Aquidauana. Raul foi preso na casa dele, onde a adolescente também estava.

Durante as investigações, a Polícia utilizou um helicóptero do Exército Brasileiro nas buscas à arma utilizada no crime, um revólver calibre 38. A aeronave sobrevoou a área onde os bandidos se esconderam. Todos os envolvidos foram presos em flagrante, já que a polícia resolveu o caso em menos de 24 horas de trabalhos ininterruptos.

Emoção marcou o início de concentração em frente ao Aeroporto Internacional (Foto: Cleber Gellio)Emoção marcou o início de concentração em frente ao Aeroporto Internacional (Foto: Cleber Gellio)
Mãe conta que crime marcou sua vida e inicia uma nova luta (Foto: Cleber Gellio)Mãe conta que crime marcou sua vida e inicia uma nova luta (Foto: Cleber Gellio)
Mega-Sena acumula de novo e prêmio estimado sobe para R$ 43,5 milhões
Mais uma vez a Mega-Sena ficou sem vencedor na faixa principal e, com isso, a premiação acumulou e pode chegar a R$ 43,5 milhões no próximo concurso,...
Mega-Sena pode pagar R$ 39 milhões no sorteio deste sábado
A Mega-Sena deste sábado (16), que está acumulada, pode pagar R$ 39 milhões para quem acertar os seis números. O concurso 1.997 ocorre às 20 horas, h...


Peço a Deus que conforte esses pais que perderam seus filhos de maneira tão trágica e dou uma dica para que os pais não deem para seus filhos ainda muito jovens, carros que chamam a atenção de ladrões, vamos evitar! não que seu filho não tenha o direito de dirigir um carro bom, mas o mundo jaz o malígno, vamos ser simples como a pomba e prudentes como a serpente! para que outras vidas não sejam ceifados como foram de Leonardo e Breno. Peço a Deus também que coloque arrependimento no coração desses jovens assassinos!.
 
maria apª n. silva em 30/08/2013 14:29:14
Poderiam fazer o mesmo com esses assassinos o que fizeram com aqueles cinco ladrões de camionete, na região de Nova Andradina, (menos cinco bandidos na terra ), que sirva de exemplo p/ esses que só querem tirar a vida de pessoas do bem. Que as famílias desses dois rapazes mortos covardemente, tenham forças e continuem acreditando em deus, pois só ele nos dá energia suficiente p/ vivermos!!
 
waldomiro ajala em 30/08/2013 11:07:30
Só DEUS para confortar e ainda assim não é fácil, nossa cada vez que lembro meu coração dói, meu filho é exatamente da mesma idade que estes meninos, inclusive o Breno fazia engenharia com ele. Nada nenhuma palavra pode mudar esta dor, o que podemos fazer é relembrar momentos de alegria que ele trouxe neste curto período com a família! DEUS vos abençoe muitoooo sem palavras mto triste!
 
Danielle Vieira em 30/08/2013 10:54:18
Que Deus possa confortar os familiares desses jovens que tinham um grande futuro pela frente. Como existem tantas pessoas cruéis neste meu Deus!!!. A morte dos rapazes foi um ato de covardia e crueldade sem fim. Essas pessoas que fizeram isso, não merece o perdão da sociedade, moramos em um país que suas leis fazem apologia ao crime, daqui alguns anos esses canalhas estarão soltos. Admiro muito as leis dos Estados Unidos, lá este crime seria prisão perpétua ou pena de morte. (VERDADEIRA JUSTIÇA) .
 
ALEXANDRE RODRIGUES DE SOUZA em 30/08/2013 10:47:38
Infelizmente, muitas famílias choram pelos seus entes queridos, dia 09 de Outubro completa 2 anos do assassinado de meu Primo Edson Gabriel Souza Silva, a policia não faz nada, até hoje ninguém sabe dizer quem tirou a sua vida, só sabem dizer que não tem provas suficiente, enquanto isso nós familiares choramos sua perda, uma pessoa maravilhosa, trabalhadora e estudioso. Até quando as autoridades vão deixar que esse e muitos outros crimes permaneça em punes.
 
Diony Basilio Brandão em 30/08/2013 10:22:56
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions