A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 21 de Janeiro de 2018

15/05/2011 10:13

Impasse continua em fazenda reivindicada por índios em Sidrolândia

Paula Vitorino
Ìndios invadiram semana passada área de fazenda já identificada como terra deles. (Foto: João Garrigó)Ìndios invadiram semana passada área de fazenda já identificada como terra deles. (Foto: João Garrigó)

Os índios terenas continuam acampados na fazenda 3R e nas imediações, em Sidrolândia, sem previsão para que a área seja desocupada. A expectativa dos fazendeiros e da FUNAI (Fundação Nacional do Índio) é de que nesta segunda-feira seja marcada a data para a audiência com a diretoria de Assuntos Fundiários da Fundação, em Brasília.

“Vamos agilizar todo o processo necessário amanhã. A audiência em Brasília deve ser agendada em caráter de urgência”, disse o representante da FUNAI, Jorge Neves.

Ele adiantou que deverá ser feito um novo levantamento para analisar o valor de indenização para a desapropriação das áreas demarcadas. Os indígenas lutam por cerca de 17 mil hectares, distribuídos em três fazendas na região.

Na última sexta-feira (13), o procurador da República em Mato Grosso do Sul, Emerson Kalif Siqueira, esteve na Fazenda 3R para tentar negociar a desocupação de forma pacifica. Ele informou que deve fazer outra visita ao local nesta semana e só irá se pronunciar sobre as novas providências por meio de uma nota à imprensa, para não “comprometer a confiança” dos indígenas.

Os terenas estão na fazenda desde terça-feira à noite, quando invadiram a propriedade para reivindicar que o processo de demarcação seja acelerado. São cerca de mil indígenas no local.

Conflitos - O proprietário da fazenda Buriti – vizinha da área invadida, Edmundo Bacha, afirmou que “não vou sair daqui, vou ficar o tempo que for preciso”. Ele teme que sua fazenda também seja invadida, caso saia do local, mas acredita que a situação possa ser resolvida sem maiores conflitos.

D

e acordo com o proprietário, alguns terenas bloquearam parcialmente a ponte da estrada vicinal que dá acesso as propriedades da região, como também às aldeias.

“Um taxista veio buscar a mulher de um funcionário e contou que teve de voltar, esperar e só depois de quase 1h conseguiu passar. Ele chegou com as pernas bambas”, diz.

No entanto, o representante da FUNAI nega as interdições. “Fiquei ontem o dia todo lá, só vim embora hoje de madrugada e não teve nada de interdição”, afirma.

O fazendeiro conta que os indígenas estão armados de espingardas e outras armas. “Ficam sempre aterrorizando pela região”, diz.

Com 817 processos, Justiça retoma julgamentos nesta segunda em MS
O TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) retoma nesta segunda-feira (22) as sessões de julgamento dos órgãos colegiados da Corte. Somente n...
Prazos processuais voltam a correr a partir de amanhã no judiciário de MS
O TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) alerta que os prazos processuais voltam a fluir normalmente a partir desta segunda-feira (22) no j...


Indios não devem ser tratados como especiais, exceto, aqueles que vivem longe da civilização.
Na maioria dos casos, índios são malandros... mais que os brancos. Se locupletam do direito alheio com base na proteção que a União dá à eles.
Não entendo como índio precisa de tanta terra, se hoje não caçam... não plantam...
 
Flavio Teixeira em 08/10/2011 08:54:21

Este ano fazem 5011 anos de descobrimento do brasil e o indio ainda é tratado como se fosse estrangeiro em seu próprio pais chamado de invasor de sua própria terra
na verdade os indigenas estão retomando aquilo que lhe foi tirado e não invasores como muitas vezes são tratados, agora imaginamos o quanto esse fazendeiro já ganhou com essa terra quantos financiamentos já fez hipotecando essa terra ,quantas propriedades já comprou na cidade com dinheiro retirado déssa terra , o grande impasse hoje esta na questão da indenização o governo indeniza só os bens construido na terra e os fazendeiros querem indenização pela térra nua e na verdade quem deveria ser indenizados pela térra nua são os indios que pégam as terras que lhes são devolvidas só com capim . o governo precisa criar politicas de governo.para atender os indios e não politicas de governo como vêm acontecendo ao longo desse tempo cada governo que entra cria uma politica para os indois de acordo com sua ideologia muitas vezes sem consultar os mesmos, talvez se tivésse esse tipo de politica talvez não teriamos esse impasse que está acotecendo hoje .
 
arildo frança em 16/05/2011 10:05:49
caro leitor sabemos que os indios vem de varios sofrimentos, desde que suas terras foram envadidos pelos europeus, até hoje sofrem por descriminação por ser indios, os proprios fazendeiros escravisava, por trabalho escravo, hoje são lutador e guerreiro por sua terra que chamam de mãe, pense nisso?
 
jonivaldo alcantara em 16/05/2011 09:38:26
Queria saber pra que índio quer tanta terra.....deixa terra pra quem produz.....
 
Rosangela Carvalho em 16/05/2011 08:55:11
Pois é, Samue Gomes, eu costumava dizer que, quando MS confirmasse a demarcação das alegadas terras indígenas, eu puxaria o carro, deixaria o estado onde nasci, do qual me orgulho e pelo qual tenho amor. Comigo iriam os impostos que eu pago, o trabalho que eu produzo, meu conhecimento e acho que outros deveriam me imitar, e que o estado ficasse com seus índios e td o que eles representam.
 
marly siqueira caramalack em 16/05/2011 01:07:58
Realmente os indios estão armados.Armados com o espirito de luta,de bravos guerreiros e armados de esperanças na devolução de suas terras.Terrorismo é o q esses fazendeiros fazem e espalham boatos de q indios são bagunceiros.O pior é a imprensa publicar mesmo sabendo serem boatos."Eu também ouvi dizer que os fazendeiros estão armados com escopetas e pistolas...e contratando pistoleiros!!!" O inteligente e atento leitor sabe que isso é apenas bravatas de covardes.Saiam já das terras indigenas e deixem os indigenas em paz!
 
samue gomes em 15/05/2011 11:42:22
Estão armados com a política que rege esse país...Legado da colonização européia, que continuam destruindo a verdadeira identidade brasileira. Esse país cujo a "ordem e o progresso" beneficiam uns poucos que desconhecem a organização política e social desse povo, povo este que sempre tiveram suas organizações e sempre desrrespeitadas pela política do Estado.
Isso ocorre devido a irresponsabilidade, o desconhecimentos e a falta de compromisso com o povo..por que votam, pagam impostos, participa ativamente da economia do país, quando é a vez de implorar seus direitos são tratados de invasores, baderneiros...
- Indigenas vcs são povo e esse pais é "democrático" soberania popular já ...avaante!!
As ciências, as leis, os direito, os códicos, as informações colhidas, as pesquisas, a Historia, a Filosofia...as humanas afirma em nosso favor.
Aos invejosos e desconhecedores disso tudo... não vos impedirá. Avante
 
Valdevino Gonçaleves em 15/05/2011 11:14:39
Que os Terena sejam atendidos nas reivindicações, chega de descaso das autoridades. São mais de 3 mil pessoas reivindicando direitos!
Que o governo comece a tomar as providencias imediatamente para demarcar a terra dos índios.
 
José Fernando em 15/05/2011 06:40:10
Caro leitor, com todo o respeito, quem deve sair da terra de quem?
Os proprietários referidos no comentário do Sr. Samue Gomes são produtores rurais, homens de bem, que de boa fé adquiriram diretamente do Estado terras que, à época (década de 20/30), não eram ocupadas nem por índios nem por quem quer que seja. Na atual conjuntura, após quase um século, o suposto retorno dos índios às áreas que teriam sido por eles ocupadas no século RETRASADO não tem legitimidade, ao menos não nestes moldes, de invasão e violência por parte dos índios.
SE os índios foram expulsos, o foram em passado remoto por atores que não se confundem com os atuais proprietários. Não cabe fazer "justiça com as próprias mãos" para compensar eventual violência que advém do processo histórico de colonização deste nosso país.
Índios e produtores hão de se aliar nesta luta. O produtor rural não vai seder às pressões e entregar de "mão beijada" aquilo que adquiriu com o trabalho digno e honesto. As terras foram compradas, pagas, são produtivas, geram ITR, cumprem sua função social. Ninguém, que vive e produz aqui hoje, expulsou índio!!!
SE existe uma dívida com os povos indígenas, essa dívida NÃO É DO HOMEM DO CAMPO!!!
Se querem terras aos índios, então indenizem os proprietários, com o erário, que é composto pelo dinheiro arrecadado dos impostos, e, desta maneira, TODA A SOCIEDADE estaria pagando a suposta e romântica DÍVIDA HISTÓRICA com os povos indígenas.
Se acha que os índios são tão merecedores de retornar às suas terras, então faça sua parte, Sr. CIDADÃO, e levante essa bandeira.
Terras para os índios e indenização para o proprietário!!!
Ou estaremos todos fadados a assistir a luta de fato, no campo, e a luta no judiciário, que dura décadas, e todos saem perdendo.
A discussão não é maniqueísta: índios de um lado e proprietários do outro.
VAMOS TODOS NOS UNIR PARA VER GARANTIDO OS DIREITOS DE AMBOS!!!
 
Laura B. Ruiz em 15/05/2011 04:49:55
O cara é homem branco ou indio na hora que interessa. Passeiam em camionetes, voam até de aviões, mas quando interessa, vestem-se de penas, pintam o rosto com urucum, esquecem o português e travam um dialeto que nem eles mesmos entendem. Indios são os perdidos dentro da amazônia. Se tivermos o entendimento dos que apoiam os "indios", teremos que entregar todo o Brasil, e voltarmos para Portugal, Africa, frança, Holanda, em fim cada pais que participou da colonização.
 
Valter Antunes Oliveira em 15/05/2011 01:41:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions