ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 23º

Interior

“Queria dar um susto, mas foi fatal”, diz mãe sobre gêmeo que matou irmão

A dona de casa Enir Flores de Lima, 42 anos, mãe dos gêmeos, disse que o filho não tinha intenção de matar o irmão

Por Viviane Oliveira | 26/12/2019 12:49
Familiares e amigos carregam o caixão Jéferson  (Foto: Rio Brilhante em Tempo Real)
Familiares e amigos carregam o caixão Jéferson (Foto: Rio Brilhante em Tempo Real)

"Ele só queria dar um susto, mas esse susto foi fatal". O desabafo é da dona de casa Enir Flores de Lima, 42 anos, mãe do gêmeo Jackson Lima da Silva, 22 anos, que matou o irmão, Jéferson, com um golpe de faca na manhã de ontem (25), após festa de Natal. O caso aconteceu em Rio Brilhante, distante 163 quilômetros de Campo Grande. 

À reportagem, em entrevista por telefone, Enir contou que estava dormindo quando recebeu a notícia. "Uma pessoa me ligou e disse que Jéferson havia sido esfaqueado pelo irmão numa casa na região e estava muito fraco. Na mesma hora, ouvi uma voz ao fundo pedindo para que me contasse a verdade. Meu filho já estava morto", lamentou. 

A dona de casa afirmou que Jackson não tinha intenção de matar o irmão. Eles sempre brigavam, mas depois voltavam a se falar. Um não ficava longe do outro. Jackson é casado e tem três filhos. Já Jéferson tem um filho, era separado e morava na casa da mãe. "Depois do crime, ele ficou louco e tentou se jogar na frente de um carro. Ele ainda está meio bobo, não consegue nem falar, só chora", disse.

Jackson foi preso em flagrante e deve passar por audiência de custódia ainda nesta quinta, para definir se ficará preso esperando o andamento do inquérito e posterior processo ou se poderá responder em liberdade.

Indagada se os gêmeos já tinham uma rixa por causa de namorada, Enir afirmou que não. Disse que quando os dois eram adolescentes, Jéferson esfaqueou Jackson no peito. Episódio que nunca foi esquecido pelo irmão. "Eles tinham 17 anos na época. Jackson foi separar uma briga entre Jéferson e uma namorada, quando foi atingido pelo irmão no peito. Ele foi para o hospital, levou ponto e logo foi liberado", contou.

Jackson e Jéferson em foto de arquivo familiar (Foto: divulgada pelo site Rio Brilhante em Tempo Real)
Jackson e Jéferson em foto de arquivo familiar (Foto: divulgada pelo site Rio Brilhante em Tempo Real)

Enir lamentou a morte do filho e disse que há 18 anos o pai dos gêmeos, Joel Valdeis da Silva, também foi morto esfaqueado, na véspera de Natal. "Ele foi assassinado pelo melhor amigo dele. Na época do crime, eu já tinha me separado dele", relembrou. Velado desde as 18h de ontem (15), Jéferson foi sepultado na manhã desta quinta-feira (26), no cemitério São Judas Tadeu.

O caso - Conforme relato de testemunhas à Polícia Civil, os dois se desentenderam por causa de um cigarro. Nervoso, Jackson se armou com uma faca, atingiu a vítima na perna esquerda, na altura da coxa, e na sequência fugiu levando a faca. Testemunhas relataram à polícia que os irmãos já tinham rixa um com outro, porque no passado Jéferson tinha esfaqueado Jackson. O autor também tinha ciúmes do irmão com sua atual mulher de 26 anos, ex-namorada de Jéferson.

Jackson foi preso na manhã de ontem quando, segundo a mãe dele, estava indo à polícia se entregar. A prisão foi feita pela equipe do 3º pelotão da PM (Polícia Militar de Rio Brilhante). O crime aconteceu numa casa na Rua Maria de Jesus Cerveira, no Bairro Benedito Rondon.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário