A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 22 de Setembro de 2017

01/08/2017 08:39

Aulas voltam, mas negociação não avança e indicativo de greve continua

Sindicato também cobra regras claras para convocação de professores contratados e mais vagas para concursados

Helio de Freitas, de Dourados
Aulas do segundo semestre letivo começaram nesta terça-feira (Foto: A. Frota/Divulgação)Aulas do segundo semestre letivo começaram nesta terça-feira (Foto: A. Frota/Divulgação)

Pelo menos 27 mil estudantes de 45 escolas e 36 centros de educação infantil da Rede Municipal de Ensino retornam às salas de aula hoje (1º) em Dourados, a 233 km de Campo Grande. O reinício do ano letivo ocorre em plena negociação entre a prefeitura e os profissionais de educação, que não tiveram reajuste salarial em 2017 e também cobram mudanças nas regras de contratação de professores temporários e mais vagas para concursados.

“Ainda estamos em negociação sobre o reajuste e pedimos uma nova reunião com a prefeitura para esta semana. O indicativo de greve continua, mas a categoria decidiu não votá-lo agora”, afirmou ao Campo Grande News a presidente do Simted (Sindicato dos Trabalhadores em Educação), Gleice Jane Barbosa.

Ontem à noite, os educadores foram até a Câmara de Vereadores para participar das negociações sobre o projeto de lei enviado ao Legislativo para garantir a contratação de professores que já estão em atividade há mais de dois anos.

“Estamos lutando para garantir um processo seletivo com classificação e publicação das classificações. Queremos transparência no processo de contratação. Uma lei deve sair até segunda-feira, para garantir um processo seletivo”, explicou a sindicalista.

Segundo Gleice Barbosa, um entrave na negociação diz respeito ao pagamento dos professores temporários. “O governo mudou a forma de pagar o contratado. Antes, pagava pelo nível do professor (graduação, especialização ou mestrado). Agora vai pagar somente pelo nível de graduação. Isso significa 223 reais a menos no salário”.

Outra reivindicação dos educadores é a realização de concurso público com mais frequência para evitar alto número de contratações. “Solicitamos também um dispositivo legal que proibisse a terceirização. Mas nisso não conseguimos avançar ainda”.

De acordo com a Secretaria de Educação, o município mantém o calendário escolar programado para 2017, com término do segundo semestre previsto para o dia 11 de dezembro. Estão programados seis sábados letivos neste semestre.

Concursados – Ontem a prefeitura iniciou a posse de 186 novos concursados lotados na Secretaria Municipal de Educação. No primeiro dia tomaram 59 professores da educação infantil. Nesta terça, serão empossados 64 educadores, sendo seis na educação infantil, 53 nos anos iniciais e quatro coordenadores. A posse segue até sexta (4).

O preenchimento dos cargos atende, além da educação infantil e os anos iniciais, o ensino fundamental, nas disciplinas de ciências, história, arte, educação física, educação agropecuária, geografia, matemática, língua inglesa e língua portuguesa.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions