ACOMPANHE-NOS    
JULHO, DOMINGO  25    CAMPO GRANDE 25º

Interior

Corte de gastos na prefeitura deixa 500 alunos sem aulas de arte e cultura

Município não renovou contrato com escolas particulares de arte e balé que atendem crianças da rede municipal de ensino

Por Helio de Freitas, de Dourados | 01/02/2017 13:52
Nace foi criado em 2011 e no ano passado atendeu 500 estudantes (Foto: Divulgação)
Nace foi criado em 2011 e no ano passado atendeu 500 estudantes (Foto: Divulgação)

O projeto Nace (Núcleo de Arte, Cultura e Esporte), criado há seis anos em Dourados, a 233 km de Campo Grande, não está entre as prioridades da atual administração da segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul. O programa é o primeiro a ser atingido pelo corte de despesas adotado pela prefeita Délia Razuk (PR).

No dia 30 de janeiro, Délia baixou um decreto determinando contingenciamento de R$ 79,6 milhões dos recursos previstos no orçamento 2017 de todas as secretarias e fundações da prefeitura.

Apesar da suspensão do Nace, a cultura foi um dos setores menos atingidos pelo contingenciamento. Dos R$ 2,6 milhões previstos no orçamento, a prefeita determinou corte de R$$ 183 mil.

Escolas fazem promoção - Quatro escolas particulares da cidade que até o ano passado atendiam pelo menos 500 alunos da rede municipal de ensino informaram hoje (1º) que o contrato com a prefeitura ainda não foi renovado e não existe previsão de quando será retomado.

Nessas instituições particulares, estudantes de escolas da periferia acima dos cinco anos de idade frequentavam aulas de balé, street dance, teatro, mangá, desenho artístico e arte.

Para não perder todos os alunos que tinham as mensalidades pagas pela prefeitura, as escolas particulares estão oferecendo desconto superior a 50% no custo mensal e algumas dão isenção da taxa de matrícula. A mais tradicional escola de balé da cidade está cobrando R$ 100 de mensalidade dos ex-alunos do Nace. O preço normal é R$ 230.

Criado para dar oportunidade aos alunos de escolas municipais de frequentar escolas de artes e academias da cidade gratuitamente, o Nace formou pelo menos 5.500 crianças e adolescentes nos últimos seis anos.

No início, o programa incluía modalidades esportivas, mas em 2013 a prefeitura transferiu o esporte para o programa “Mais Educação”, custeado com verba federal.

Nesta quarta-feira o Campo Grande News tentou falar com o secretário de Cultura de Dourados, Gil Esper, mas ele não foi encontrado na sede da pasta, no Parque dos Ipês. O celular também estava desligado.

Será alterado – No dia 12 de janeiro deste ano, Gil Esper disse em entrevista ao jornal O Progresso, que a prioridade da Secretaria de Cultura é reformar o Teatro Municipal da cidade.

Sobre o Nace, afirmou que estuda remodelar o projeto. "É preciso fazer uma reorganização no projeto Nace, para que possamos atingir mais crianças e adolescentes da nossa cidade, fomentando um trabalho efetivo de formação artística e de público que tenha a abrangência que Dourados necessita, além de fomentar outros projetos de formação artística que possam chegar à população mais vulnerável", disse Esper ao jornal douradense.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário