ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  16    CAMPO GRANDE 33º

Interior

Duas pessoas são presas por integrar quadrilha de furto de gado

Por Priscilla Peres | 24/12/2016 12:36

Duas pessoas foram presas, acusadas de integrar uma quadrilha que furtou 11 cabeças de gado de uma fazenda em Anaurilândia – distante 371 km de Campo Grande. Os animais seriam carneados e vendidos em açougues da região.

Segundo informações do site Nova Notícias, o DOF (Departamento de Operações de fronteira) foi informado de que um fazendeiro de 60 que um dos suspeitos de furtar o gado, trabalhou em sua fazenda recentemente. Na casa do acusado, foram encontrados 15 kg de carne bovina fresca.

O trabalhador rural teria confessado que a carne foi furtada em Anaurilândia e disse à polícia que acertou o furto do gado com o garagista de Nova Andradina e o plano era pegar 50 cabeças de gado, e por isso, receberia R$ 700 ou em um veículo.

Ele ainda informou que outras duas pessoas estariam no esquema, inclusive o proprietário de um escritório de compra e venda de animais. Ainda de acordo com o site, 10 novilhas furtadas foram vendidas para um frigorífico de Nova Andradina e uma abatida em chácara localizada próxima do anel-viário.

Na chácara, os policiais encontram aproximadamente 40 quilos de carne desossada e os restos da carcaça enterrada, como o couro e cabeça em perfeitas condições, com a marca da vítima no couro do animal.

Na Delegacia de Polícia, o proprietário do escritório e responsável pela emissão da nota fiscal para o transporte das 11 novilhas, disse saber garagista mexe com gado bovino, mas não sabe onde fica a propriedade, e que sempre atendeu emitindo notas de seu gado em nome de outra pessoa que é seu cliente e autorizou o uso de notas de sua inscrição para um dos presos.

O motorista do caminhão que fez o transporte das novilhas, informou que o garagista foi quem embarcou o gado e teria proposto outro frete com 20 cabeças. Ele disse que no sítio não percebeu que os cadeados haviam sido arrombados e que haviam três pessoas recolhendo o gado, um deles era o trabalhador braçal.

Parte da carne da novilha que foi abatida na chácara foi vendida a um funcionário de uma loja da cidade por R$ 140 a arroba. Pelo menos cinco pessoas foram conduzidas até a delegacia de policia para prestarem esclarecimentos.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário