A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 24 de Agosto de 2019

16/08/2018 15:40

Exame confirma morte por violência e madrasta de bebê é presa em flagrante

Laudo preliminar constatou laceração no fígado e trauma no tórax de menino de um ano e três meses que morreu hoje

Helio de Freitas, de Dourados
Funcionário de funerária deixa casa carregando corpo de bebê (Foto: 94 FM)Funcionário de funerária deixa casa carregando corpo de bebê (Foto: 94 FM)

O menino de um ano e três meses morto na manhã de hoje (16) em Dourados, a 233 km de Campo Grande, foi vítima de violência. Além dos hematomas na cabeça, constatados por socorristas do Samu (Serviço Móvel de Urgência), a criança teve trauma no tórax e laceração no fígado, o que comprovam as agressões.

Após ser informada pelo médico legista sobre a causa da morte, a Polícia Civil prendeu em flagrante a madrasta da criança, Jéssica Leite Ribeiro, 21. O pai do menino, Joel Rodrigo Ávalo Leite Santos, 24, é suspeito de envolvimento, mas a polícia ainda vai aguardar o andamento da investigação para decidir se ele será indiciado ou não pelos maus tratos.

Rodrigo Moura Santos estava sob os cuidados da madrasta quando teve convulsões e morreu antes de ser socorrida. O caso ocorreu na Rua Presidente Kennedy, na Cabeceira Alegre, região leste de Dourados.

“O médico legista informou que a causa da morte foi choque hemorrágico causado por agressão externa. Com o laudo, concluímos que não foi uma morte natural como alegaram a madrasta e o próprio pai”, disse à rádio Grande FM o delegado Marcelo Batistela Damaceno, titular da 2ª Delegacia de Polícia de Dourados.

Segundo ele, além de autuar a madrasta em flagrante, a polícia vai investigar o envolvimento de outras pessoas na morte. “Antes do laudo, tanto a madrasta quanto o pai alegavam que as lesões foram provocadas na tentativa de reanimar a criança, mas o exame descarta morte natural”.

O pai da criança alegou que não estava na casa no momento da morte, mas segundo o delegado existe uma contradição no depoimento dele.

“O horário informado pelo médico do Samu não bate com o depoimento do pai. Tem alguma coisa que o pai parece querer esconder”, declarou Marcelo Damaceno. Segundo o policial, Jéssica está sendo autuada por crime de maus tratos qualificado pela morte da criança.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions