ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MARÇO, SEGUNDA  04    CAMPO GRANDE 27º

Interior

Guardas municipais são presos por desviar fuzis e munições de traficantes

Além disso, um dos investigados também é acusado de tentar comprar vídeos e fotos com cenas de sexo de criança

Ângela Kempfer | 15/09/2022 13:03
Munições de diferentes calibres, apreendidas na operação desta quinta. (Foto: Assessoria/Gaeco)
Munições de diferentes calibres, apreendidas na operação desta quinta. (Foto: Assessoria/Gaeco)

Quatro guardas municipais de Ponta Porã foram presos nesta quinta-feira, suspeitos de desviar fuzis, pistolas, revólveres e munição de depósito de traficantes.

O caso foi revelado nesta quinta-feira, durante a Operação “Deviare” - desviar em italiano-, em Ponta Porã, que prendeu os suspeitos preventivamente e cumpriu 8 mandados de busca e apreensão.

Segundo o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), o furto ocorreu após operação que apreenderam aproximadamente 1.800 quilos de maconha na cidade.

O Ministério Público acredita que um dos guardas municipais, "de maneira rotineira", desviava armamento, para desmontar ou vender inteiras as armas de fogo e munições dos mais variados calibres. O destino seria grupos criminosos da região de fronteira.

Além disso, um dos investigados também é acusado de tentar comprar vídeos e fotos com cenas de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente.

Prefeitura - Em nota, a Prefeitura de Ponta Porã afirmou que está fornecendo apoio e informações necessários para atuação do Gaeco na investigação de crimes que envolvem os servidores da guarda municipal de fronteira.

"O poder executivo municipal aguarda o desfecho das investigações para adotar eventuais medidas administrativas e cíveis cabíveis, na sua esfera de atuação. Esses fatos são isolados e não condizem com os objetivos da instituição que é proteger o patrimônio público e contribuir com a segurança da população de Ponta Porã", finaliza o documento.


Nos siga no Google Notícias