A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 24 de Agosto de 2019

22/01/2019 12:01

Homem é preso por escravizar paraguaias em casa de prostituição

Três das mulheres que eram mantidas a força dentro da casa tentaram fugir ontem à tarde, mas foram pegas pelo proprietário do local

Bruna Kaspary
Garotas eram mantidas em casa de prostituição à força (Foto: Divulgação)Garotas eram mantidas em casa de prostituição à força (Foto: Divulgação)

Um homem, identificado como Antônio Carlos Pereira Costa foi preso ontem (21) em Brasilândia - cidade a 355 km de Campo Grande – por traficar e escravizar mulheres.  Segundo a polícia, ele não deixava as meninas saírem do local até que pagassem as “dívidas” que elas tinham.

Durante a investigação do caso, a polícia descobriu que as garotas que trabalhavam na casa eram impedidas de sair de lá até que pagassem as “dívidas” que tinham com o estabelecimento. Antônio cobrava pela comida e bebidas que eram consumidas na casa pelas meninas e até uma taxa pelos programas feitos.

Ontem à tarde três das meninas que eram mantidas lá, e foram trazidas do Paraguai, tentaram fugir, mas foram perseguidas por Antônio. Quando alcançadas, tiveram que entregar o dinheiro, celular e as bagagens que estavam com elas. Uma foi até presa dentro da casa novamente porque Antônio “ainda não teria recebido de volta o investimento feito nela”.

A polícia descobriu que ele trazia, de ônibus, as meninas de Foz do Iguaçú, no Paraná, divisa com o Paraguai. Na casa também foram encontrados comprovantes de pagamentos em casas de câmbio em nome de paraguaios, confirmando o tráfico de pessoas.

As três mulheres que tentaram fugir foram ouvidas pelos policiais e liberadas em seguida, elas tinham os documentos de imigração e voltaram para casa, no país vizinho. No local onde funcionava a casa de prostituição foram encontradas anotações do consumo das meninas e um caderno com a relação dos programas feitos por elas.

O crime de tráfico de pessoas tem pena de até oito anos de detenção e o de manter casa de prostituição pode somar mais cinco anos de reclusão.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions