A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019

20/05/2019 13:29

Justiça prorroga permanência da Força Nacional na região de fronteira

Em Mato Grosso do Sul, as equipes estão em atividade em Caarapó e em Ponta Porã

Silvia Frias
Policiais em fazenda onde ocorreu tentativa de invasão, em Caarapó (Foto: Divulgação/PM)Policiais em fazenda onde ocorreu tentativa de invasão, em Caarapó (Foto: Divulgação/PM)

Portaria do Ministério da Justiça prorrogou a presença da Força Nacional na repressão aos delitos nas fronteiras nacional. Em Mato Grosso do Sul, as equipes estão em atividade em Caarapó e em Ponta Porã.

A prorrogação é válida por 180 dias, contando a partir desta segunda-feira (20), tendo em vista a data de vencimento da Portaria MSP nº 202, de 14 de novembro de 2018, em 19 de maio de 2019, conforme divulgado no Diário Oficial da União.

Essa autorização de apoio da Força Nacional à Polícia Federal refere-se às atividades de prevenção e repressão aos delitos nas fronteiras nacional, em caráter “episódico e planejado” por 180 dias. O contingente a ser disponibilizado obedecerá planejamento definido pelo Ministério da Justiça.

Conflito - Em MS, a Força Nacional já auxilia em Caarapó desde 2016 e, em ações de combate ao crime em Ponta Porã.

Em Caarapó, o conflito entre índios da etnia Guarani Kaiowá foi acirrado a partir de junho de 2016, depois do estudo de identificação e delimitação assinado em maio pelo então governo Dilma Rousseff.

Índios da aldeia Tey Kuê decidiram entrar na Fazenda Yvu. Na ação, seis índios foram feridos a tiros e o agente de saúde Clodioude de Souza morreu, atingido por cinco disparos.

Nos dias seguintes ao ataque dos fazendeiros, oito propriedades rurais arredores da aldeia foram ocupadas e os índios permanecem nas terras.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions