ACOMPANHE-NOS    
JULHO, DOMINGO  25    CAMPO GRANDE 31º

Interior

Menino de três anos desaparece e é encontrado após 12h em mata

Por Nyelder Rodrigues | 27/01/2017 19:56
Garoto foi encontrado após 12h de buscas em mata fechada (Foto: Rádio Caçula)
Garoto foi encontrado após 12h de buscas em mata fechada (Foto: Rádio Caçula)

Quase 12h de extrema preocupação marcaram a noite de ontem (26) e a manhã de hoje (27) da família do garoto Artur, de apenas três anos e ficou perdido em uma mata em Três Lagoas - cidade localizada a 338 km de Campo Grande.

O caso começou na quinta-feira por volta das 16h quando a avó do garoto entrou em contato com o Corpo de Bombeiros pedindo ajuda para localizar o menino, que havia desaparecido de uma propriedade rural da região do Parque Industrial.

Segundo o Jornal do Povo, o garoto brincava na varanda da casa com quatro cães. Quando começou a chover, a avó dele foi chamá-lo, mas ele e os cães não estavam mais lá. A partir de então, começaram as buscas.

A mulher percebeu que em frente ao sítio onde moram, haviam pegadas levando até uma mata. Ela chamou pelo garoto, mas não obteve resposta. A partir daí, os Bombeiros passaram a ajudar a procurar o garoto. Equipes da PM (Polícia Militar), policiais de folga e outras pessoas também colaboraram.

Noite à dentro foi realizado o trabalho, mas somente nesta madrugada de sexta o pequeno Artur foi encontrado, após um plano de trabalho com militares e voluntários ser traçado. Viaturas foram usadas nas buscas e, por volta 4h30, o garoto foi atraído justamente pelo som das sirenes e luz do giroflex.

A áreas que o garoto foi avistado pelo soldado Leandro, da Rotai (Rondas Ostensivas Táticas do Interior), é de mata fechada e fica em uma reserva localizado há 4 km de distância do sítio onde estava com a avó. O local é conhecido como Cascalheira e o trabalho foi concentrado li após os cães serem encontrados na região.

Ao ser encontrado e chamado pelo nome, Artur ainda se assustou e tentou fugir, mas logo foi alcançado pela equipe que estava próxima. Pouco depois, ele começou a interagir com o grupo, explica o Jornal do Povo. Em seguida, o garoto foi entregue à família e levado para avaliação médica na UPA (Unidade de Pronto Atendimento).

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário