ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 13º

Interior

Polícia Federal vai usar banco de dados da Sanesul para localizar pessoas

Acordo entre Superintendência da PF e empresa de saneamento foi assinado em janeiro; servidores federais vão acessar endereços de clientes da estatal na capital e cidades do interior

Por Helio de Freitas, de Dourados | 01/02/2017 15:19

A Polícia Federal em Mato Grosso do Sul vai usar o banco de dados da Sanesul para localizar pessoas físicas e jurídicas que são alvos de investigação. A parceria foi firmada através de um acordo de cooperação técnica, assinado em janeiro entre a empresa de saneamento e a Superintendência Regional da Polícia Federal.

Com o acordo, que tem validade de 18 de janeiro de 2017 a 17 de janeiro de 2021, agentes federais da Capital e de cidades do interior poderão ter acesso ao SIC (Sistema de Informação Cadastral) da Sanesul.

“É um instrumento jurídico formalizado entre órgãos e entidades da administração pública ou entre estes e entidades privadas sem fins lucrativos, com objetivo de firmar interesse na mútua cooperação técnica, visando execução de programas de trabalho, projeto/atividade ou evento de interesse recíproco, da qual não decorra obrigação de repasse de recursos entre os partícipes”, informou a assessoria de comunicação da Sanesul sobre a cooperação.

Ainda de acordo com a assessoria, o objetivo é o acesso ao banco de dados da empresa pela Polícia Federal para localizar pessoas. “As informações fornecidas não são de caráter sigiloso, logo, não há qualquer impedimento para celebração do acordo”, diz a Sanesul.

Os servidores da PF que terão acesso ao banco de dados serão indicados e credenciados pela Superintendência e delegacias descentralizadas.

Conforme o acordo, o acesso será exclusivamente para buscas de nomes, dados pessoais e endereços de pessoas físicas e jurídicas cadastradas na Sanesul. Em contrapartida, a Polícia Federal vai fornecer orientações de interesse da Sanesul, visando salvaguardar a segurança da empresa.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário