ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEXTA  18    CAMPO GRANDE 18º

Interior

Universitário preso em ação contra pedófilos tinha 378 "pornôs" com crianças

Acadêmico do 3º ano de Odontologia foi levado para a cadeia em operação e ficará preso por tempo indeterminado

Por Anahi Zurutuza | 11/06/2021 13:01
Universitário preso em Dourados é conduzido por policial em delegacia (Foto: Adilson Domingos/Arquivo)
Universitário preso em Dourados é conduzido por policial em delegacia (Foto: Adilson Domingos/Arquivo)

O universitário preso em flagrante na quarta-feira, dia 9, durante a Operação Luz da Infância, tinha em notebook 378 vídeos contendo cenas de estupro de crianças e adolescentes. Ele passou por audiência de custódia na tarde dessa quinta-feira (10) e teve a prisão preventiva (por tempo indeterminado) decretada pelo juiz Marcus Vinícius de Oliveira Elias, da 2ª Vara Criminal de Dourados.

O jovem tem 23 anos e é acadêmico do 3º ano de Odontologia e, em depoimento, alegou que comprou o notebook usado há cerca de quatro meses e decidiu manter aplicativo para baixar vídeos para que pudesse procurar material para estudos. Disse ainda que chegou a fazer buscas no software usando a palavra “infantil” porque precisava encontrar conteúdo de uma das matérias da faculdade que diz respeito ao tratamento de crianças, mas que como não encontrou, desistiu de usar o programa.

Vídeos baixados no computador do universitário (Foto: Reprodução do auto de prisão)
Vídeos baixados no computador do universitário (Foto: Reprodução do auto de prisão)

O estudante explicou que chegou a observar que a busca havia retornado cenas pornográficas envolvendo crianças e adolescentes, mas nega que tinha usado o aplicativo com esse objetivo. Segundo apurado pela Polícia Civil, o software é comumente usado por pedófilo para compartilhar conteúdo. Mas, o universitário diz que desconhecia o recurso de compartilhamentos automáticos do aplicativo.

O universitário também afirmou que nunca apagou os vídeos porque o notebook estragou dois dias depois que ele comprou.

Consta nos autos da prisão do rapaz, que polícia chegou até ele por meio de varredura feita pela equipe da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) de Campo Grande na deep web, meio de navegação na internet usada para a troca de conteúdo ilegal.

Além do notebook, policiais encontraram na casa do rapaz 13 mudas de maconha. Ele disse que plantou para consumo próprio.

A operação - Promovida pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, a Operação Luz da infância foi deflagrada na manhã de quarta para combate crimes de abuso e exploração sexual praticados na internet contra crianças e adolescentes.

Foram expedidos 176 mandados de busca e apreensão em 18 estados brasileiros e cinco países da América do Sul. Em Mato Grosso do Sul, a ação se concentrou em Dourados, onde além do acadêmico, homem de 45 anos também foi preso em flagrante.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário