A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

31/05/2010 09:01

Jornalista que matou Rogerinho tem prisão decretada

Redação

O jornalista Agnaldo Gonçalves teve a prisão preventiva decretada na última sexta-feira e é procurado pela Polícia. Ele informou à justiça que desde maio deste ano está morando em Praia Grande, em São Paulo.

Os policiais foram à casa do jornalista, mas não o encontraram. Agnaldo matou a tiro o menino Rogério Pedra Neto, de 2 anos, durante uma discussão com o tio da criança, no trânsito de Campo Grande, no dia 18 de novembro do ano passado.

Durante a discussão com Aldemir Pedra Neto, o jornalista efetuou quatro disparos, atingindo João Alfredo Pedra (avô de Rogerinho) e o menino, que foi baleado no pescoço e não resistiu ao ferimento. A família estava em uma caminhonete L-200 e o jornalista em um Fox. Em novembro, a polícia fez a reconstituição do crime.

Agnaldo chegou a ficar 80 dias preso e conseguiu ser libertado no dia 8 de fevereiro. A família quer o jornalista de volta para a cadeia e também pede indenização de R$ 1,3 milhão.

Segundo Ricardo Trad, o advogado da família, Agnaldo tentou forjar uma separação da esposa, mas não conseguiu impedir que seus bens, avaliados em R$ 1 milhão, fossem bloqueados.

Nesta manhã são ouvidas 8 testemunhas de defesa do jornalista, dentre elas o desembargador Júlio Roberto Siqueira Cardoso. A promotora de Justiça, Luciana do Amaral, afirma que a Justiça tem todos os elementos que o Ministério Público solicitou. A expectativa é que Agnaldo seja submetido a júri popular por se tratar de homicídio doloso.

A próxima etapa será o interrogatório do réu e todo o material que será encaminhado ao Ministério Público e para a defesa para as alegações finais. Depois o juiz decidirá se Agnaldo será submetido a júri popular ou não.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions