ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MARÇO, SÁBADO  02    CAMPO GRANDE 33º

Cidades

Jornalista que matou Rogerinho tem prisão decretada

Redação | 31/05/2010 09:01

O jornalista Agnaldo Gonçalves teve a prisão preventiva decretada na última sexta-feira e é procurado pela Polícia. Ele informou à justiça que desde maio deste ano está morando em Praia Grande, em São Paulo.

Os policiais foram à casa do jornalista, mas não o encontraram. Agnaldo matou a tiro o menino Rogério Pedra Neto, de 2 anos, durante uma discussão com o tio da criança, no trânsito de Campo Grande, no dia 18 de novembro do ano passado.

Durante a discussão com Aldemir Pedra Neto, o jornalista efetuou quatro disparos, atingindo João Alfredo Pedra (avô de Rogerinho) e o menino, que foi baleado no pescoço e não resistiu ao ferimento. A família estava em uma caminhonete L-200 e o jornalista em um Fox. Em novembro, a polícia fez a reconstituição do crime.

Agnaldo chegou a ficar 80 dias preso e conseguiu ser libertado no dia 8 de fevereiro. A família quer o jornalista de volta para a cadeia e também pede indenização de R$ 1,3 milhão.

Segundo Ricardo Trad, o advogado da família, Agnaldo tentou forjar uma separação da esposa, mas não conseguiu impedir que seus bens, avaliados em R$ 1 milhão, fossem bloqueados.

Nesta manhã são ouvidas 8 testemunhas de defesa do jornalista, dentre elas o desembargador Júlio Roberto Siqueira Cardoso. A promotora de Justiça, Luciana do Amaral, afirma que a Justiça tem todos os elementos que o Ministério Público solicitou. A expectativa é que Agnaldo seja submetido a júri popular por se tratar de homicídio doloso.

A próxima etapa será o interrogatório do réu e todo o material que será encaminhado ao Ministério Público e para a defesa para as alegações finais. Depois o juiz decidirá se Agnaldo será submetido a júri popular ou não.

Nos siga no Google Notícias