A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

29/08/2013 16:59

Juiz leiloa R$ 3 milhões do tráfico, até BMW comprada por "laranja"

Lidiane Kober
Lance inicial de mansão será de R$ 600 milLance inicial de mansão será de R$ 600 mil

Recordista nacional na recuperação de bens comprados com dinheiro “sujo”, a 3º Vara Criminal da Justiça Federal de Campo Grande, comandada pelo juiz Odilon Oliveira, realiza, nesta sexta-feira (30), a primeira parte de um novo leilão, com bens estimados em R$ 3 milhões. Na lista, figura uma mansão com lago artificial e bar molhado, além de carros de luxo, como uma BMW, comprada no primeiro certame por um “laranja” do antigo dono, o traficante Odacir Antonio Dametto.

A mansão é avaliada em R$ 800 mil e o lance inicial será de R$ 600 mil. O preço da BMW/X6 é estimado em R$ 210 mil, mas o lance partirá de R$ 157,5 mil. “No primeiro leilão, o carro foi comprado por R$ 342 mil”, contou Odilon para destacar que, geralmente, os produtos são adquiridos por valor acima do previsto inicialmente.

Ainda de acordo com o juiz federal, o veículo vai a leilão novamente por ter sido adquirido por um “laranja” do antigo dono, o traficante Odacir Antonio Dametto, que foi encontrado, no ano passado, morto em um motel em Pedro Juan Cavaleiro, no Paraguai. “Ele comprou a BMW à vista e a Justiça verificou se o recurso seria fruto de lavagem de dinheiro, o que realmente aconteceu”, explicou Odilon.

Também será leiloado amanhã outra casa, duas Mercedes Bens, três Toyatas Hillux, duas motocicletas, três caminhões, outros 36 veículos e alguns equipamentos agrícolas. “Os bens são orçados em R$ 3 milhões”, informou Odilon. O recurso, segundo ele, será automaticamente depositado em uma conta bancária para, em 24 horas, constar em conta única do Tesouro Nacional.

Recordista - De acordo com o juiz, Mato Grosso do Sul é recordista na apreensão de bens comprados com dinheiro oriundo de atos ilícitos. “Em quatro anos, repassamos R$ 26 milhões”, disse. “O dinheiro ainda é pouco comparado aos 150 imóveis rurais e 240 urbanos apreendidos”, comentou.

Os imóveis, no entanto, ainda não estão liberados para leilão. “A Justiça penal é lenta e a lei é muito cuidadosa”, justificou Odilon. Ele ainda explicou que a recuperação recorde decorre, principalmente, de o Estado ser corredor de drogas e de a economia girar em torno da produção de grãos. “Lava-se muito dinheiro nesta área”, lamentou.

Serviço - O leilão desta sexta-feira iniciará às 9 horas, na Justiça Federal, na Rua Delegado Carlos Roberto Bastos de Oliveira, número 128, Parque dos Poderes. A segunda etapa está prevista para o dia 10 de setembro. Ambos os certames poderão ser acompanhados pelo site www.leiloesjudiciais.com.br. 

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...
Governo Federal reduz período do horário de verão para 2018/19
O presidente Michel Temer assinou hoje (15) um decreto reduzindo em duas semanas o horário de verão em 2018. No ano que vem, a medida começará a vale...


Este Odilon deveria estar no supremo “parabéns”
 
Fernando Guimarães em 30/08/2013 08:28:31
Mas esse dinheiro teria que ser empregado no tratamento do viciado.
 
luiz alves em 30/08/2013 07:58:06
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions