A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 21 de Agosto de 2018

09/05/2011 14:55

Mais da metade do público-alvo ainda não se vacinou contra gripe em MS

Débora Diniz, de Brasília
Vacina contra a gripe pode ser tomada até o dia 13 de maio. (Foto: João Garrigó) Vacina contra a gripe pode ser tomada até o dia 13 de maio. (Foto: João Garrigó)

Mais da metade do público-alvo da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe ainda foi imunizado em Mato Grosso do Sul. Faltando quatro dias para fim da mobilização, apenas 43,72% das 421.902 integrantes da população focada pela campanha foi a um dos postos instalados no estado.

Até sexta-feira, dia 13, quem tem a partir de 60 anos, gestantes em qualquer período da gravidez e crianças de seis meses a dois anos deve procurar um dos postos. Outro alvo da campanha, os indígenas estão sendo vacinados nas aldeias em que vivem. Em todo o Mato Grosso do Sul, a cobertura não passa de 37,03% dos 68.883 indígenas previstos.

Os dados são referentes ao total de vacinação informada pelas secretarias estaduais e municipais ao Ministério da Saúde até às 12h desta segunda-feira. Trabalhadores da área de serviços de saúde, que estão seguindo as orientações das autoridades estaduais e municipais, também fazem parte da meta.

Até o meio-dia, 12.704.814 pessoas se vacinaram, em todo o Brasil. O número representa 42,4% de toda a população alvo, de aproximadamente 30 milhões de pessoas. A meta é vacinar 80% dessa população – o que representa cerca de 24 milhões de pessoas. Portanto, os 12,7 milhões de vacinados representam mais da metade da meta.

Público-alvo- Até este horário, as maiores coberturas estavam entre as crianças de seis meses a menores de dois anos, com 47,5% da população desse grupo vacinados; e idosos com 60 anos e mais, com 44,8%. Entre os trabalhadores de saúde, a cobertura estava em 38,9%.

Gestantes (28,6%) e indígenas (21,3%) tinham as coberturas mais baixas, até o meio dia desta segunda-feira. No caso das grávidas, deve-se considerar que o cálculo é feito com base no número de nascimentos durante todo o ano.

Por isso, é preciso levar em conta as gestantes que deram à luz nos primeiros meses do ano, antes da vacinação, e as que vão engravidar após a Campanha.

Em Mato Grosso do Sul, excetuando-se os profissionais de saúde – que já atingiram 50,22% do público-alvo – o maior percentual de vacinados está entre os idosos, com 49,05% de cobertura. A mais baixa é a entre as gestantes, com apenas 26,34%.

Em relação aos indígenas que vivem em aldeias, deve-se considerar o fato de que eles habitam áreas remotas, de difícil acesso. Por isso, os dados só são inseridos no sistema de informações depois que as equipes voltam das aldeias.

Vulneráveis-O Ministério da Saúde está reforçando o apela para que todo o público-alvo seja vacinado, pois são as pessoas mais vulneráveis às complicações causadas pela gripe. Neste caso, a principal forma de prevenção é a vacinação. Durante a campanha, são mobilizados mais de 240 mil profissionais de saúde no País.

Promovida por todo o SUS (Sistema Único de Saúde), incluindo Ministério, Secretarias Estaduais e Municipais, a campanha distribuiu 32,7 milhões de doses, para todos os estados e municípios brasileiros. A vacina protege contra os três principais vírus que circularam no hemisfério Sul em 2010, entre eles o da influenza A (H1N1).

As únicas contraindicações são para pessoas com alergia severa à proteína do ovo ou a doses anteriores da vacina contra a gripe. Essas pessoas não devem se vacinar. Para pessoas que apresentam doenças agudas febris moderadas ou graves no momento da vacinação, recomenda-se que a vacinação seja adiada até a resolução do quadro.

Uma doença febril e aguda não representa uma contraindicação, mas é recomendável o adiamento para evitar que as manifestações clínicas da doença sejam, de maneira equivocada, associadas à vacina, como um possível efeito adverso. Na dúvida, um médico deve ser consultado. (Com informações da Agência Saúde)



Seguinte, já que encontram-se sobrando doses de vacina porque não vacinar as pessoas com doenças crónicas como o Diabetes, que é o meu caso, eu me desloquei até o posto do Guanandi, chegando lá expliquei que eu tenho 55 anos, e tenho o diabétes, e eles me mandaram de volta para casa sem a vacina, mais o ano passado foi diferente, e eu consegui vacinar, e foi otimo não contrai a gripe durante dodo o ano. Se o senhores der uma força para nos eu agradeço de coração Atenciosamente, João Teixeira Júnior.
 
João Teixeira Júnior em 10/05/2011 08:42:06
ANA, ISSO ACONTECE DIRETO, SABE PORQUE? PQ HÁ UMA MÁ VONTADE IMENSA POR PARTE DE QUEM TÁ ALI PRA SERVIR. É FUNCIONARIO PUBLICO E NAO SERVIDOR PUBLICO. TEM DIFERENÇA MESMO.
 
LUCIANO MARQUES em 09/05/2011 11:12:45
EU NAO CONSIGO ENTENDER PQ ATE AGORA, NENHUM PODER PUBLICO, ENTROU COM ALGUMA AÇÃO OBRIGANDO E EXIGINDO QUE ESSA VACINA SEJA DADA A QUEM QUISER. SEM RESTIÇÕES E SEM DISCRIMINAÇÕES. AFINAL TODOS SOMOS SERES HUMANOS, TODOS PODEMOS CONTRAIR A GRIPE E SER INTERNADO, TODOS PAGAMOS IMPOSTOS E TEMOS DIREITO DE RECEBER E A PROTEÇÃO.
 
LUCIANO MARQUES em 09/05/2011 11:11:01
Os locais de vacinação? Somente nos postos de saúde?
 
Lucia M Cruz em 09/05/2011 10:02:15
Vai ser bem difícil atingir a meta, pois no dia dedicado a campanha de vacinação, a TV anunciou que todos os supermercados estariam vacinando. Levei meu filho em dos supermercados e não quiseram atender o meu filho de 10 meses pq nao havia maca para vacinar. Levei ao posto de saúde e lá ao colocá-lo na maca, o enfermeiro disse que não precisaria da maca pois sentado no meu colo seria mais seguro....vai entender!!! Montam um posto de vacinação incompleto e ainda querem bater a meta ??!!
 
Ana Marcia Piccini em 09/05/2011 03:41:50
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions