A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

05/05/2011 10:20

Mato Grosso do Sul tem 120 mil pessoas em situação de extrema pobreza

Aline dos Santos
Em MS, são mais de 120 mil pessoas em situação de miséria (Foto: João Garrigó / Arquivo)Em MS, são mais de 120 mil pessoas em situação de miséria (Foto: João Garrigó / Arquivo)

A miséria é realidade para mais de 120 mil pessoas em Mato Grosso do Sul. De acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento Social, a população em situação de extrema pobreza está distribuída em 33.193 domicílios, sendo a maioria moradora na zona urbana.

O governo federal enquadra nesta situação os brasileiros com renda mensal de até R$ 70. Além da renda, foram levados em conta aspectos como a infraestrutura das residências, o nível de escolaridade e a idade dos moradores.

O limite anunciado levou em conta o índice usado pelas Nações Unidas para o cumprimento das Metas do Milênio, que é de US$ 1,25 ao dia, a renda necessária para o consumo de alimentos e a faixa de extrema pobreza utilizada para o Bolsa Família.

A linha da extrema pobreza tem como base os dados do Censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e estudos do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). No Brasil, são 16,2 milhões de pessoas vivendo em situação de miséria.

Dentre os 26 Estados e o Distrito Federal, Mato Grosso do Sul é o 24º no ranking da pobreza. A Bahia concentra o maior número de pessoas em situação de extrema pobreza: 2,4 milhões. O Distrito Federal aparece em último, com 46.588 pessoas.

A presidente Dilma Roussef (PT) anunciou que vai lançar o Programa Brasil sem Miséria, voltado às pessoas que vivem em extrema pobreza.



Causa espanto, pois o governo federal, na campanha Dilma, deixou parecer que tinham exterminado a pobreza do país. Provavelmente essa pobreza será escondida debaixo do tapete nas próximas eleições.
 
Pedro Antonio em 05/05/2011 11:08:28
Não se controla a pobreza quando se tem uma inflação que sufoca a economia. Não dá para comparar o governo do FHC com o do Lula ou da Dilma. Cada governo tinha uma situação que exigia uma prioridade do Executivo diferente uma da outra. Então, caro Waldir Savi, não faça essas comparações, afinal, o que deu margem para Dilma, hoje, planejar o governo dela, se deu também pelo esforço do FHC em controlar a inflação.
 
Anderson Yamada em 05/05/2011 07:46:25
Gostaria de corrigir a informação dada pelo internauta Pedro Antonio. Em sua campanha, a candidata Dilma Roussef sempre deixou claro que, se fosse eleita teria como uma de suas prioridades a "erradicação da miséria". Ela sempre deixou claro que ainda existiam miseráveis no nosso país. Pedro, só quem não se importa com pobre é o ex-presidente FHC.
 
waldir salvi em 05/05/2011 01:50:45
Isto só acontece porque nossos governantes não têm interesse em distribuir equitativamente o dinheiro público. Muitas destas pessoas não conseguem sequer fazer um curso de qualificação, pois os recursos são mal aproveitados, para não dizer "desviados". Enquanto a grana encher os bolsos dos gananciosos e ladrões que comandam, muitos ainda viverão na linha de pobreza, e pode vir programa do Governo Federal que for, ainda existirão os pobres que fornecem mais poder a quem já está lá em cima...
 
Rafael Andrade Gusmão em 05/05/2011 01:04:40
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions