A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

21/02/2014 07:26

MPT cobra indenização de R$ 1,4 milhão de empresas por jornada abusiva

Aline dos Santos

O MPT (Ministério Público do Trabalho) cobra R$ 1,4 milhão das empresas Concórdia Logística, de Santa Catarina, e Fibria, unidade de Três Lagoas, por submeter motoristas a excesso de jornada. Foi denunciado à Justiça extrapolação da jornada de trabalho e a não concessão de intervalos para descanso.

A investigação constatou jornadas superiores há 11 horas por dia, desrespeito ao intervalo intrajornada e ausência de marcação das horas de percurso.

Conforme a assessoria do Ministério Público, a ação cita o caso de um empregado que laborou, de 12 a 31 de janeiro de 2011, todos os dias acima dos limites previstos no acordo, sem direito a intervalo, inclusive em dias de folga, ou mais de 12 horas diárias de trabalho.

O mesmo trabalhador chegou a trabalhar das 7 horas de um dia até 7 horas do outro sem folga De acordo com a lei, a pausa concedida entre duas jornadas de trabalho, deve ser de, no mínimo, 11 horas consecutivas.

A Lei 12.619/2012 regula a jornada do motorista e define que o tempo de descanso é de 30 minutos a cada quatro horas de direção ininterrupta. A ação também pede que as empresas realizem o efetivo controle de jornada, paguem as horas extras devidas e não escalem motoristas para trabalhar nos dias de folga.



Srs.;
E o respeito as leis trabalhistas?
E o respeito à segurança no trabalho ?
E a saúde do trabalhador?
É assim que vamos desenvolver um estado, um País ?
Baseando o desenvolvimento no sacrifício do trabalhador ?
Meus respeitos ao Ministério Público pela digna atitude de buscar garantir os direitos de quem trabalha dignamente.



 
Sergio Landô em 21/02/2014 07:53:11
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions