A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Outubro de 2018

19/01/2014 08:49

Novo prédio da regulação de vaga do SUS deve ficar pronto no 1º semestre

Kleber Clajus
Nova estrutura deve agilizar trâmite administrativo e auxiliar na formação de servidores para regulação de saúde nos municípios (Foto: Cleber Gellio)Nova estrutura deve agilizar trâmite administrativo e auxiliar na formação de servidores para regulação de saúde nos municípios (Foto: Cleber Gellio)

O investimento de R$ 5,6 milhões na ampliação e reforma do Complexo Regulador do Estado, em Campo Grande, deve refletir em maior agilidade no trâmite administrativo para obtenção de vagas de transferência entre hospitais e internações na rede de atendimento do SUS (Sistema Único de Saúde). A conclusão da obra, localizada na esquina da Avenida Afonso Pena com a Rua Bahia, está prevista para o primeiro semestre deste ano.

Para o gerente de supervisão médica da Coordenadoria Estadual de Regulação, Robson Fukuda, os benefícios do investimento incluem integrar as equipes de regulação e organizar a fila de atendimento desde a atenção primária, nos postos de saúde, até a alta complexidade.

“A nova estrutura irá auxiliar na regulação das vagas em filas para consultas, exames e internação, ao garantir uma assistência mais qualificada dos serviços. Ela também possibilitará maior agilidade no trâmite administrativo, além de contribuir para que acabe a peregrinação de pacientes em hospitais ao incentivar o uso do sistema de regulação via web”, pontua Robson.

Infraestrutura – A ser entregue no primeiro semestre deste ano, o prédio do complexo de regulação é composto por três andares com alas administrativas, alojamento, refeitório, laboratório de informática e anfiteatro destinado ao treinamento e capacitação de servidores da Capital e interior.

De acordo com Robson, ao menos 200 profissionais irão trabalhar no novo espaço, que também deve incluir os setores de regulação, auditoria, controle e avaliação da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) de Campo Grande. Há também a possibilidade de transferência da central do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para o local.

“Essa integração fortalece o controle e monitoramento da oferta de assistência e demanda, com apontamentos para o gestor de saúde para intervenções no sistema e contratação de mais vagas para atendimento, quando necessário”, esclarece o gerente de supervisão médica.

O Complexo Regulador foi instituído em 2007, por meio do pacto pela saúde do Ministério da Saúde. Sua atuação inclui a regulação de vagas para atendimentos de urgência, emergência, alta complexidade e transferência entre unidades hospitalares.

As obras de ampliação e reforma fazem parte do pacote de obras do MS Forte 2, sendo executadas pela empresa Prática Engenharia. Contudo, a estrutura que atenderá a macrorregião de Campo Grande não é a única, uma vez que espaços semelhantes também serão construídos em Três Lagoas e Dourados. No total, o investimento nas três cidades soma R$ 19 milhões.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions