A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

28/07/2009 17:15

Pai que investiga morte de filho espera há 1 mês escolta

Redação

Um mês após pedir intervenção do MPE (Ministério Público Estadual) para que a Polícia Civil envie um policial até o estado de São Paulo, para escoltar uma testemunha que pode elucidar o assassinato de seu filho, Alcides Barros de Oliveira, 47 anos, reclama da falta de resposta.

Ele conta que procurou o MPE no final de junho deste ano, para pedir que encaminhasse ofício ao 5º DP (Distrito Policial), onde são conduzidas as investigações sobre a morte do rapaz.

Entretanto, o pedido não foi sequer encaminhado, segundo o pai. "Já faz um mês e esse ofício nem chegou à Delegacia", reclama.

Depois que o rapaz foi morto, Alcides assumiu as investigações sobre o assassinato e passou a reunir provas para entregar à Polícia.

Até o trabalho como vendedor de roupas foi abandonado para conseguir justiça sobre o caso. "Estou vivendo com a ajuda da família, porque não consigo fazer mais nada", diz.

Apesar do esforço, ele reclama da morosidade da Polícia e até o Ministério Público, que não se pronunciam a respeito, apesar das várias provas existentes acerca do caso.

Caso - Jéferson Fernandes de Oliveira, 26 anos, foi morto a tiros em 13 de maio, no residencial Botafogo, no Jardim Morenão, em Campo Grande, na frente da mãe e da filha de apenas seis anos de idade.

O crime abalou toda a família do jovem. Mais de dois meses após sua morte, a filha de Jéferson ainda não consegue ficar sozinha.

Para Alcides, há provas suficientes para incriminar o principal suspeito da morte do filho, Natanael Soares de Souza, 63 anos. Apesar disso, a Polícia sequer indiciou o homem.

O homem, apontado como mandante do crime, teve um relacionamento extraconjugal com Denise Alves Ribeiro no ano passado. Ela havia terminado com ele dois meses antes do crime, para morar com o filho de Alcides.

Além de ter deixado uma carta ameaçando Denise, Natanael teria ainda ido atrás dela em SP, para onde ela fugiu depois da morte do rapaz, e pedido para que ela assinasse um documento 'livrando' ele da suspeita.

De acordo com o pai, a mulher conseguiu fugir do idoso e apresentar esse documento à Polícia, entretanto nem isso acelerou o andamento das investigações.

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...
Governo Federal reduz período do horário de verão para 2018/19
O presidente Michel Temer assinou hoje (15) um decreto reduzindo em duas semanas o horário de verão em 2018. No ano que vem, a medida começará a vale...
Inscrições para o Vestibular 2018 da UFMS seguem abertas
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions