ACOMPANHE-NOS    
MAIO, TERÇA  17    CAMPO GRANDE 

Cidades

Presas por vender diplomas saem após pagar fiança

Por Redação | 31/05/2010 15:16

As funcionárias de uma escola da Capital fechada nesta manhã por emitir diplomas falsos, Débora Cristina Lourenço, de 24 anos, e Eliane da Silva Santos, de 23 anos, liberadas no início da tarde após o pagamento de R$ 1.000,00 cada uma.

Elas deverão responder em liberdade pelo crime de induzir o consumidor ao erro, segundo informado pela Decon (Delegacia do Consumidor), responsável pela ação que descobriu o esquema.

Após a prisão das duas, uma série de vítimas procurou a delegacia para denunciar a prática de comercializar diplomas escolares. Nesta tarde, pelo menos seis pessoas de diferentes idades, a maioria de classe baixa, aguardavam na sede da Decon para serem ouvidas.

Outras pessoas que tiverem sido enganadas pelo esquema devem entrar em contato pelo telefone (67) 3316-9805.

O proprietário da escola ainda não foi localizado.

Esquema - O comércio de diplomas era feito na escola Paulistec, que funcionava na rua 13 de Maio. Ao custo de R$ 450,00 e R$ 780,00, os alunos obtinham diplomas de ensino fundamental e médio.

A denúncia partiu de alunos que tiveram seus diplomas recusados após passarem em concursos públicos. Os certificados falsos, detectados nestes casos, são imediatamente cancelados pelo MEC (Ministério da Educação).

Nos siga no Google Notícias