A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 20 de Agosto de 2018

03/02/2012 09:30

Professores do ensino médio serão os primeiros a usar o tablet nas escolas públicas

Carolina Pimentel, da Agência Brasil

O uso de tablet na rede pública de ensino vai começar pelos professores do ensino médio. A partir do segundo semestre, o Ministério da Educação (MEC) deve iniciar a distribuição dos equipamentos para 598.402 docentes.

Os primeiros da lista são os professores de escolas que já têm internet em alta velocidade (banda larga), que somam 58.700 unidades. A ideia é o computador portátil chegar a 62.230 escolas públicas urbanas.

Para o MEC, o programa tem mais chances de sucesso se o professor dominar o equipamento e o seu uso, antes de chegar ao aluno. “A inclusão digital tem que começar pelo professor. Se ele não avançar, dificilmente a pedagogia vai avançar”, disse o ministro Aloizio Mercadante. Cursos de capacitação presencial e à distância vão ser oferecidos ao professor, assim que o aparelho começar a ser distribuído.

Com o tablet, o professor poderá preparar as aulas, acessar a internet e consultar conteúdos disponíveis no equipamento - revistas pedagógicas, 60 livros de educadores, principais jornais do país e aulas de física, matemática, biologia e química da Khan Academy, organização não governamental que distribui aulas on-line usadas em todo o mundo.

As aulas preparadas no tablet, segundo o ministro, serão apresentadas por meio da lousa digital, espécie de retroprojetor combinado com computador, que muitas escolas já usam desde o ano passado. No decorrer de 2011, foram entregues 78 mil desses equipamentos.

Para o ministro, a tecnologia do tablet, em que os comandos podem ser acionados por meio de toques na tela, é mais “amigável” para leitura e acesso à internet em comparação a outros computadores.

Com a novidade, Mercadante espera também tornar a sala de aula mais atrativa para os adolescentes. “O ensino médio é o grande nó da educação. Os indicadores não são bons e a evasão escolar é alta. A escola não está atrativa para o jovem. Esses equipamentos fazem parte do esforço para melhorar o ensino médio”, diz.

Para levar o tablet à sala de aula, o MEC irá desembolsar de R$ 150 milhões a R$ 180 milhões para comprar até 600 mil unidades este ano. Em dezembro passado, o ministério abriu licitação para a aquisição de 900 mil aparelhos de fabricação nacional, de 7 e 10 polegadas, com câmera, microfone e bateria de seis horas de duração.

O governo pagará quase R$ 300 pelo tablet de 7 polegadas e aproximadamente R$ 470, pelo de 10 polegadas. No mercado, conforme o ministério, o equipamento de 7 polegadas custa cerca de R$ 800.

Apesar do processo de compra ter sido iniciado no ano passado, Mercadante destaca o programa como uma de suas primeiras ações no comando do ministério. “Esse programa foi desenhado nesse período que estou aqui”, disse, explicando que a gestão do antecessor, Fernando Haddad, lançou o edital de compra para atender a pedidos de estados e municípios.

As empresas Digibras e a Positivo venceram a licitação. O contrato deve ser fechado somente em abril, após o Inmetro avaliar se os produtos atendem às exigências do edital.

Depois de distribuir para os professores do ensino médio, o ministro quer entregar os aparelhos para os docentes do ensino fundamental. Ainda não há previsão sobre quando os alunos receberão o equipamento.

Apesar da chegada do tablet nas escolas, Mercadante garante que isso não significa o fim do Programa Um Computador por Aluno (UCA), que distribui laptop aos estudantes.



Acho que antes deste passo, deveriam dar cursos de informática básica aos professores. Eu trabalho em escola pública e vejo que o computador é um bicho de sete cabeças para muitos professores! É quase inacreditável, mas é a mais pura verdade!
 
Larissa Aluchna em 03/02/2012 03:16:37
É fácil criticar quando não conhecem nada sobre uma sala de aula e não educam os filhos corretamente, apenas transferem as responsabilidades pra escola!!!
 
Meire Santos em 03/02/2012 03:10:36
O uso da tecnologia na educação, principalmente na educação publica, é um avanço a ser respeitado e apoiado. Quando o professor se empenha em ensinar ele realmente faz com tablet ou sem tablet, precisa apenas de alulnos se propõem a aprender. Para quem realmente quer aprender e ensinar esse recurso será um grande incentivo mas quem leva a educação como brincadeira nada resolverá!
 
Maria Carolina Ribeiro da Silva em 03/02/2012 02:01:50
Com quanta Propriedade a leitora Karina conseguiu condenar a educação e a de credibilidade dos professores,heim?Em qualquer lugar, seja escola pública ou particular se o ALUNO não tomar consciência que ele vai para a escola ESTUDAR, para APRENDER, não é o professor que vai operar milagres. O professor é um facilitador da educação, aulas interessantes podem sim, fazer com q o aluno se interesse.
 
Gilcelli Rodrigues em 03/02/2012 01:54:45
Ótima iniciativa do MEC. Parabéns aos professores! Vcs merecem !
 
Lindalva Teles em 03/02/2012 01:41:18
Grande coisa! Com tablet ou sem tablet esses professores não conseguem passar nada para esses alunos.
 
Karina Lopes em 03/02/2012 01:07:05
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions