A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

04/09/2013 17:34

Redução da maioridade penal não inibe crime praticado por adolescentes

Viviane Oliveira
Professor doutor, Paulo César, é contra a redução da maioridade penal. (Foto: Marcos Ermínio) Professor doutor, Paulo César, é contra a redução da maioridade penal. (Foto: Marcos Ermínio)

“Reduzir a maioridade penal é jogar de uma vez por todas o adolescente, em conflito com a lei, para a criminalidade”. A frase é do professor doutor da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), Paulo César Duarte Paes, integrante do projeto Formação Continuada de Socioeducadores.

O desabafo do professor foi feito durante audiência pública proposta pelo deputado estadual Pedro Kemp (PT) com o tema “Rede Socioeducativa: um debate para além da maioridade penal”, que foi discutido nesta quarta-feira (4), na Assembléia Legislativa, em Campo Grande.

Um documento com o resultado da audiência, com argumentos contra a redução da maioridade penal, deverá ser entregue na bancada federal para que não seja levada adiante a mudança na constituição. “Para nós a mudança no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) é equivocada e só vai agravar a realidade de adolescentes infratores”, afirma Pedro Kemp.

Segundo o deputado, estudos revelam que a maioria dos adolescentes sofre mais violência do que as praticam, por isso deve ser coladas em práticas políticas públicas para tirar o menor da rua e da criminalidade.

Para a presidente da Associação de conselheiros e ex-conselheiros tutelares de Mato Grosso do Sul, Antônia Ferreira França, não adianta mudar o estatuto, o que falta é um programa social para incluir o adolescente. “A maioria dos menores que cumprem medida socioeducativa não tem base familiar. Por conta disso caem, cada vez mais cedo, nos braços do tráfico e do crime”, diz.

A audiência pública para discutir o tema foi realizada nesta tarde. (Foto: Marcos Ermínio) A audiência pública para discutir o tema foi realizada nesta tarde. (Foto: Marcos Ermínio)

Também contra a redução da maioridade penal, o superintendente de Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, delegado André Matsushita Gonçalves, disse que hoje em todo Estado 244 adolescentes estão nas Uneis (Unidade Educacional de Internação) em regime de internação e semi-liberdade. “A redução não vai ser a solução dos atos inflacionais, seria como tomar remédio para febre e não cuidar da infecção”, compara.

A fixação da maioridade penal aos 18 anos está no artigo 228 da Constituição Federal e no Artigo 27 do Código Penal. Com a mudança, a idade mínima para se cumprir pena no Brasil pode ser de 16 anos. Hoje, independente do crime, o tempo máximo de medida socioeducativa prevista pelo ECA é de três anos.

Para os especialistas, que são contra a redução da maioridade penal, a legislação brasileira não precisa de mudança, pois é moderna e extremamente adiantada. “Eu vejo a redução da maioridade penal como um retrocesso”, finaliza a coordenadora da infância e juventude do Tribunal de Justiça, a desembargadora Maria Isabel de Matos Rocha.

O professor doutor Paulo César finaliza dizendo que devem ser feitas políticas públicas para ocupar os adolescentes com mais cultura, esporte, lazer, educação, para ele não virar um menor em conflito com a lei.

Já para aquele que cumpre medida socioeducativa, o caminho é integrar esse jovem novamente na sociedade através de oportunidades, como por exemplo, emprego, lazer e educação.

Carro roubado no Rio de Janeiro é recuperado em estrada rumo ao Paraguai
Um automóvel recentemente roubado no Rio de Janeiro foi recuperado por policiais militares em uma estrada vicinal de Japorã –a 487 km de Campo Grande...
Recesso de fim de ano começa nesta semana no Judiciário e Legislativo
Na reta final de 2017, para alguns servidores a "folguinha" das festas começa mais cedo. Em orgãos Estaduais e Federais de Mato Grosso do Sul, tem re...


Se o rebaixamento da imputabilidade passar milhares de adolescentes serão encaminhados para as penitenciárias que são mais agradáveis para eles pois não precisam estudar e ali terão intenso contato com o crime organizado e depois voltarão para a sociedade muito, muito mais violentos. Então cometerão mais crimes e a violência somente vai piorar. Apenas essa concessão punitiva e vingativa não adianta, precisamos de políticas públicas e muita educação para conseguir diminuir os índices de violência no país. Quanto mais cresce a carceragem mais cresce a violência em geral. A penitenciária é a escola do crime e isso os países mais civilizados já aprenderam. Países com sistemas mais educativos e humanizados tem menos violência.
 
Paulo Cesar Paes em 05/09/2013 18:20:57
Os doutores são muito teóricos, mas tbém são inertes e sem força sequer pra impor penalidade dura com aumento significativo para maior que pratique crime em companhia de menor. Daí vem dizer que o menor não pode ser preso, que tem que ter oportunidade... Faz hora que a sociedade quer um basta. Tem que ter oportunidade sim, mas andar lado a lado com a reprimenda condizente para que vejam e escolham. Daí não tem desculpa. Um homicida/traficante/estuprador/etc menor tem que ter condescendência pq? Pq não teve oportunidade? Teóricos, o Eca está aí e o caos tomou conta ... Pq será? Qdo prendem os menores, eles não reclamam da falta de oportunidade, mas debocham das punições.
 
Adriano Magalhães em 05/09/2013 15:42:00
Não aguento esse povo com Doutorado no só papel, sem experiência, conhecimento de causa.
Será que essas pessoas, que defendem a redução da maioridade, já foram vítimas desses marginais??? ou tiveram alguém próximo, que teve a vida ceifada por esses refugos da sociedade???na teoria é tudo lindo, mas a realidade é dura e muito dolorida...
Sou a FAVOR da MAIORIDADE URGENTEMENTE. Que saiba, serpente não nasce adulto, começa na infância e vai crescendo e fazendo vítimas.
O Paulo, constroi um castelo de areia e mora dentro, é muita fantasia na cabeça dele. Ilusão achar que um cara de 15,16,17 anos, que praticou crime com requinte de crueldade vá se recuperar. Contrário, dos menores que praticarm pequenos furtos sem ameaça a vida. Assassino, tem que mofar na cadeia ou ir p/ vala profunda

 
Juan Charlymoon em 05/09/2013 11:35:49
Não digo que um adolescente mereça ficar 30 anos preso, mais é preciso medidas ajustadas para ato infracional compatível com crimes hediondos. Afinal conseguimos fazer uma intervenção adequada com adolescentes com família vulnerável, mergulhado na criminalidade, e já viciado em substancias toxicas em 5 meses? Parece-me que a preocupação que o adolescente saia rápido de uma unei é maior do que dar condições para reinseri-lo como um cidadão útil a sociedade. A internação obviamente é uma punição, mas também é uma forma de ressocializar o individuo, isso requer tempo e trabalho especializado.
 
Marcio Brito em 05/09/2013 11:34:36
Concordo que programas sociais contribui para a redução de atos infracionais, mas investimentos sociais é processo de construção em longo prazo, países europeus que fizeram investimentos maciços em politica social demoraram de 20 a 30 anos para consolidar a evolução na educação, saúde, e bem estar social. A redução para 16 anos é só uma das propostas, dizer que um adolescente fica 3 anos internado é um engodo no estado do MS, a única vez que isso aconteceu foi com o “maníaco da cruz”.
 
Marcio Brito em 05/09/2013 11:33:52
Concordo que programas sociais contribui para a redução de atos infracionais, mas investimentos sociais é processo de construção em longo prazo, países europeus que fizeram investimentos maciços em politica social demoraram de 20 a 30 anos para consolidar a evolução na educação, saúde, e bem estar social. A redução para 16 anos é só uma das propostas, dizer que um adolescente fica 3 anos internado é um engodo no estado do MS, a única vez que isso aconteceu foi com o “maníaco da cruz”. Não digo que um adolescente mereça ficar 30 anos preso, mais é preciso medidas ajustadas para ato infracional compatível com crimes hediondos. Afinal conseguimos fazer uma intervenção adequada com adolescentes com família vulnerável, mergulhado na criminalidade, e já viciado em substancias toxicas em 5 meses? Parece-me que a preocupação que o adolescente saia rápido de uma unei é maior do que dar condições para reinseri-lo como um cidadão útil a sociedade. A internação obviamente é uma punição, mas também é uma forma de ressocializar o individuo, isso requer tempo e trabalho especializado.
 
Marcio Brito em 05/09/2013 11:31:51
Discordo plenamente com o posicionamento teórico do professor, pois quem vive a pratica dos delitos cometidos por jovens infratores, sabe que eles são cooptados por quadrilhas para cometerem crimes e servem como mulas nas mais diversas modalidades do crime. No entanto, o modelo atual esta falido e não cumpre seu papel de resocializar os jovens infratores (bandidos mesmos). Sou a favor da diminuição da idade penal para 12 anos, como nos países desenvolvidos (já que o ECA foi baseado em países do 1º mundo) e os infratores colocados em instituições de reinserção até o final de sua pena, principalmente para aqueles quem cometem crimes contra a vida, contra o patrimônio, crimes hediondos e trafico de drogas.
 
Nelson Silva em 05/09/2013 11:24:37
1- O problema social de crimes praticados por menores no Brasil é incentivado pelos próprios pseudos governantes, aquí é uma fartura, farta tudo, por isso que são contra da redução da maioridade penal por incapacidade administrativa. Recentemente vimos o exmo sr governador, ficar pedindo chapéu para outros estados a internação do assassino frio e cruel congnominado MANÍACO DA CRUZ, por falta de um manicômio estadual, problema latente e gravissimo. evidenciado através dos Laudos Médicos que o rapaz é um louco e débil mental, e, agora onde coloca-lo para recuperação?? e os matadores menores viciados armados para roubar chefes de família 2- Temos que ter uma política social séria o crime praticado por menor é idêntico do adulto.Vamos reduzir o nº politicos que enriquecem a custa do povo.
 
Gilberto Martins em 05/09/2013 11:23:09
a solução melhor sera deixar esses jovens trabalhar para que tenham oque fazer colocar para estudar e deixar eles fazerem algo de bom em vez de ficar tomando tereré fumando e fazendo outras coisas eradas antigamente nos trabalhávamos estudávamos e somos muito gratos por sermos e termos a educação que nossos pais nos deram eu agradeço meus pais e tenho dois filhos que eu criei igual um abraco
 
Joana emilia em 05/09/2013 10:50:29
As pessoas se enganam e muito achando que a Redução Penal vai punir, muito pelo contrario porque sistema penitenciário e falho ( na verdade é uma escola da marginalidade), e mais, quantos marginais adultos estão soltos sem serem punidos devidamente principalmente os que tem dinheiro. O que precisamos e de política que atenda as necessidades básicas de nossas crianças e adolescentes...como investimentos no esporte, lazer e educação e quem falou que o ECA determina que eles não podem ter uma ocupação isso é desculpa de quem não ter responsabilidade pelos filhos e dar limites a eles...mesmo porque os adolescentes com 14 anos podem trabalhar como aprendiz o que falta é oportunidade...podem tbem fazer tarefas em casa que não comprometam os estudos...as pessoas precisam se informar mais....
 
maria Auxiliadora Silva da Rosa de Araujo em 05/09/2013 10:48:35
MAIS DE 90% da população é favorável a redução da maioridade penal. Não sei o que nossos "amados" representantes estão esperando para aprová-la.
 
RODRIGO FERREIRA em 05/09/2013 10:47:58
Parabéns Prof. Paulo.. e a luta continua, sempre!
 
Rafaela Della Santa em 05/09/2013 10:42:44
A verdade é que o sistema socioeducativo é falido... nenhum governo faz nada para melhorar, aí amigo todos se acham entendidos de medidas socioeducativas. Se um dia algum governante tiver um olhar diferenciado para esse setor mudanças acontecerão, mudanças positivas..
 
Paula Castro em 05/09/2013 10:33:56
Muitos professores citam exemplos dos métodos adotados por países desenvolvidos em suas aulas em diferentes áreas( sempre positivos) inclusive na questão salarial e porque quando o assunto é menor em conflito com a lei não seguimos os exemplos adotados por países desenvolvidos. É que no Brasil se faz tudo pensando sempre em obter alguma vantagem.... $$$$$$$$$$$$$$$$$
 
Roger Matarazzo em 05/09/2013 10:28:04
O governo obriga o cidadão a usar cinto de segurança e porque não obriga os menores até aos 17 anos a ficarem na escola no tempo integral e saírem fora do horário só com autorização dos pais ou responsáveis. Nas escolas particulares é assim, o aluno só sai fora do horário com autorização e isso tem como saber onde seu filho esta e se esta indo às aulas. Nas escolas públicas deveria ser assim também. Ter mais controle sobre seus alunos.
 
Placida Barros em 05/09/2013 10:26:04
É uma pena a nossa cultura, ver professor, doutor e com a mente fechada e ruralista. Houve uma evolução em tudo e o menor de hoje não é o menor de quando foi criado essa piada chamado ECA. Hoje o crime é praticado como forma de se dar bem e não porque falta oportunidade. Os países de 1º mundo todos são considerados crime e preso indpendente de idade. Aqui no Brasil até ladrão é chamado de Excelencia. Adoro o Brasil meu País mas muita coisa tem que mudar.
 
luiz alves em 05/09/2013 10:11:53
É triste ouvir comentários vazios, de quem nunca abriu o estatuto, a constituição, nunca viu dado algum sobre violência continuar defendendo bobagens. A grande maioria dos países democráticos do mundo tem lei semelhante à nossa nesse assunto. Países que produziram a maioridade penal, como Alemanha e Espanha, viram que não deram certo e voltaram atrás. Os adolescentes praticam bem menos que dez porcento dos ilícitos no Brasil e a reincidência é bem inferior que a dos adultos. Violência somente se combate enfrentando suas causas, desde a evasão escolar, o abandono familiar, drogadicção, exclusão e tantas outras, e isso já está demonstrado há séculos. Discursos vazios só serve para político populista e imprensa sensacionalista.
 
Roberto Ferreira em 05/09/2013 09:48:33
Daniel...faço minhas as sua palavras, corretíssimo!!o que se ouve, é para a redução dos crimes e não por esse criminoso responder (um pouco) mais adequadamente, pelo q fez e assim, tbém faze-lo refletir. Outro ponto na vida dos jovens e crianças, hj em dia se vê muito a ausência dos pais na vida dos filhos e isso, por "n" motivos, mas muitos, são por irresponsabilidades mesmo, afinal, é difícil educar, dá trabalho. Não podem trabalhar, mas não tem escola integral pra todos, e podem ficar livres nas ruas a mercê dos traficantes e tudo o mais...
 
Lúcia Sales p/ Daniel Pereira em 05/09/2013 09:31:01
um dia que o desses" meninos" matarem algum filho de juiz ou delegado ou deputado ou senadores ai eles mudam as leis, por enquanto e só pobre que vai para o buraco.
 
eraldo afonso bento em 05/09/2013 09:19:43
Tem que reduzir, sim. "País de primeiro mundo" julga a gravidade do crime e é essa a diferença. Cansamos de ver noticiários a respeito de crianças que mataram e estão presas até hoje, como no caso da Inglaterra que mantem presos ate hoje os dois meninos de 10 anos que assassinaram cruelmente outro. Lá, ao contrário daqui, a polícia é valorizada. Aqui, bandido não tem medo de polícia e nós cidadãos somos reféns. E outra, a lei deles funciona, o sistema prisional também, porque aqui só serve pra aperfeiçoar o meliante. Como é que você chega na favela e diz para um adolescente, que ganha muito mais que um graduado vendendo drogas, que estudar compensa? Precisamos, sim, reduzir a maioridade penal, mas também valorizar nossa polícia, mudar o sistema penitenciário, a educação. Mas aqui é Brasil
 
Nara Rodrigues em 05/09/2013 09:05:29
Menoridade penal realmente não resolve, mas esse professor dr. é muito suspeito, é só ver como trata esses menores. é preciso ver isso.
 
Alberto Godofredo em 05/09/2013 09:00:03
Pouco importa a reeducação, esse tema não é assunto pra educador, sociólogo, psicólogo e outros " ólogos" da vida, o assunto é de segurança pública e justiça, implica em dar PUNIÇÃO a quem cometeu crimes graves, tirando do convívio com os cidadãos de bem.
 
joao de deus em 05/09/2013 08:58:25
Mas a redução da maioridade penal não deve ser pensada como forma de inibir o crime e sim dar a punição adequada a quem comete o crime, seja ele um adulto ou um adolescente,
quando um adolescente mata uma determinada pessoa ele fica "preso" por no máximo 3 anos, mas a família daquele que morreu foi condenada a conviver com a dor da perda pelo resto da vida, é uma ferida que nunca cicatriza. O Brasil tem, que mudar esse pensamento de que o criminoso tem que ir preso para ser ressocializado, isso tá muito errado, o criminoso tem ir preso para pagar pelo que fez e pronto, se vai ser ressocializado é outra conversa.
 
Daniel Pereira em 05/09/2013 08:40:29
É preciso punição real para quem cometer crimes seja maior ou menor. Não esses arremedos de códigos que o Brasil insiste em sustentar e defender. E o cidadão fica escutando filosofia que não resolve a nossa situação. Alguns defensores deveriam formar uma rede de solidariedade e adotar esses infratores em suas vidas e dentro de suas casas oportunizando o que o Estado diz ser capaz de controlar, através de políticas públicas e ou de segurança. Mas nada acontece. Enquanto a punição é ridícula para menores e até para alguns maiores, os menores desdenham e põe a culpa também na "falta de oportunidade", enquanto os maiores vêem oportunidade impar em contabilizar que o sem número de crimes não os deixaria fora da sociedade, pois seria oportunizado sua "resocialização".
 
Adriano Magalhães em 05/09/2013 08:21:35
Estes "entendidos de leis" que moram em condomínios fechados e não participam do dia-a-dia do trabalhador acreditam que só a educação muda o mundo. O que muda as pessoas é a certeza da punição severa de que se cometerem crimes irão pagar por eles. Países sérios punem pela gravidade do crime e não pela idade do autor.
 
Marco Costa em 05/09/2013 08:19:13
Não inibe mas faz com que eles sejam presos por seus crimes!!!!
 
Andreia Ribeiro em 05/09/2013 07:54:16
Realmente é um retrocesso a redução iriam nos comparar com países de 1º mundo (DESENVOLVIDOS) como EUA e boa parte da Europa onde quem comete crime é criminoso. Levar para casa ninguém quer né!!! Tenha a santa paciência. Por opiniões como esta que os jovens cada vez mais estupram e matam. Parabéns ao nosso digníssimo sub-desenvolvido BRASIL. VERGONHA DE SER BRASILEIRO. O quanto protestaram e só enxergaram a redução dos ônibus. Nessa hora ninguém do poder sabe ler. Estava escrito nas faixas. Protestar não adianta, todos que podiam fazer algo fingem não ver. A maioria é advogado de porta de cadeia que vira político e apoia essas ideias ridículas de manter as leis porcaria que temos.
 
jonas filho em 05/09/2013 07:49:42
1- acabar com essa situação de não poder trabalhar.
2- controle de natalidade com distribuição gratuita de anticoncepcionais.
3- cadeia de verdade a menores infratores.
4- ensino publico sério e não essa pouca vergonha que existe com alunos analfabetos indo até faculdade sem saber ler nem escrever direito.
Para começar a moralizar o pais essa ações são necessárias e urgentes.
 
Horlando P. de Mattos em 05/09/2013 07:33:20
Sera que esse professor já foi assaltado por algum menor ? COM CERTEZA NÃO ,senão pensaria diferente.
 
JOSE MANOEL VERA JACQUES em 05/09/2013 07:10:38
Coisas do PT, não consideram a vontade do povo. Façam uma pesquisa limpa, sem tendencias.
 
Fátima Maria Ribeiro Dos Santos em 05/09/2013 00:52:33
Queria ver se esse cidadão tiver alguém da sua familia morto por um marginalzinho menor, se ele vai continuar com essa tese idiota, quem tem ... tem medo, baixa a maioridade penal se não mudar dai volta no que esta, mas acredito que resolve em partes o problema sim.
 
Carlos Gomes em 05/09/2013 00:04:41
Concordo com o professor. Reduzir não! Mas sim tratar conforme o crime como acontece com os países de primeiro mundo! Não adianta fazer leis que não serão cumpridas(olha só as leis "maria da penha" e "dirigir alcoolizado"!), o que dá certo é punição(perpétua e morte nos crimes violentos), reincidêncidente sem direitos penais(pena dobra sem condicional), trabalhos forçados(pagar sua manutenção na prisão) e pagamento em dinheiro aos danos provocados(vítmas e danos de terceiros ). Nos países de primeiro mundo estas idéias funcionaram perfeitamente reduzindo os crimes mais violentos ao tanto que um homicídio no EUA ou Europa é manchete no mundo já que estes são casos raros de acontecer. No "brasil" os criminosos estão no poder(políticos)!
 
Alexandre de Souza em 04/09/2013 23:09:41
sou contra essa mudança o que os adolescente precisam é de emprego hoje eu estou com 47 anos trabalhei logo cedo minha carteira de trabalho foi assinada com 13 anos de idade aonde meu primeiro emprego durou 3 anos 2 mês e 22 dias lembro ate hoje meus irmão todos nos trabalhamos desde de nossa adolescência o que falta e mudar essa lei e colocar eles para trabalhar se deixar do jeito que esta ficando nos estamos criando bandido para nos roubar .. abra o olho e muda essa lei trabalho não mata eles querem ganhar o dinheiro deles ....
 
JOSE PEDRO DE SOUZA em 04/09/2013 22:43:40
vc já perdeu alguém de sua família tirada por um adolescente se não perdeu pergunte a alguém que já perdeu depois fala sobre redução penal temos que prender sim menor que nem em outros países
 
eli da silva em 04/09/2013 22:19:53
Como tem gente que gosta de defender marginal! Aprontou tem que pagar pelo que fez, independente de sua idade! Sem repressão não há educação!
 
João Dias em 04/09/2013 21:56:21
o que se vê é um bando de burocratas e intelectuais que estão vivendo em um mundo de fantasia e totalmente fora da realidade querendo aparecer na mídia como bons samaritanos, é óbvio que tem que acabar com esse ECA que para todos que vivem com os pés no chão é uma grande ABERRAÇÂO do ´século XXI, com certeza se fizer uma consulta popular através de plebiscito veremos uma esmagadora maioria que defenderá a redução da maioridade penal para 14 anos desprezando a opinião e apoio a menores delinquente que afrontam as famílias brasileiras e debocham da justiça pois sabem que sempre haverá pessoas inescrupulosas e oportunistas que desejam o CAOS para poder aparecer e ser destaque na mídia como defensores dos direitos dos DI MENORES pelo brasil afora, como se diz "ISSO É UMA VERGONHA".
 
sebastião cesar soares cesinha em 04/09/2013 21:30:36
Esses defensores vivem na utopia de que o Estado fará esses investimentos e resolverá o problema. Teoria é tudo lindo. Com certeza esses defensores não foram vítimas desses marginais que eles acham coitadinhos vítimas da sociedade. Estão com pena, levem para casa. Até em países bem mais desenvolvidos e com condições para as crianças e adolescentes a maioridade penal é bem mais baixa. Só aqui no Brasil que são todos coitadinhos. Essa idade de 18 anos não retrata a mudança ocorrida hoje os adolescentes tem plena consciência das safadezas que fazem. E ainda por cima os coitadinhos não podem trabalhar também, ia ficar vadios, o dia inteiro fazendo porcaria por aí, fumando maconha, narguile, tomando tereré, etc, como vejo todo dia. Diminui a curto prazo e o Estado investe a longo prazo.
 
Rafael Santos em 04/09/2013 20:04:35
Todos que são contra a redução de maioridade penal, só são contra porque não tem a responsabilidade de confrontar com eles na linha de frente na práticas de crimes. A legislação revestiu os moleque bandidos de peito de aço, OU SEJA, PODEM MATAR MAS MORRER NUNCA. Eu ainda acredito que a justiça de DEUS virá forte sobre esta causa e finalizar esta questão na face da terra.
 
jorge ferreira em 04/09/2013 19:55:07
A sensação de impunidade é o maior fator motivacional para que tanto menores quanto adultos pratiquem crimes, dizer que o meio em que a pessoa vive é o principal fator de criminalidade é equivocado, se for assim, dentro da rocinha não poderia ter ninguém honesto, já que esta foi por muito tempo território dominado por criminosos, existem famílias em que de três filhos dois são ótimas pessoas, e um infelizmente não, a índole, esta sim é o principal fator de alguém se tornar um criminoso, que após cometer o primeiro crime, e não é punido, fomenta a reincidência criminosa, mas enquanto estivermos sob o império da corrupção nada de substancial ira mudar no Brasil. A sociedade, do bem, esta cansada dessa vitimização de bandidos, que cada dia se tornam mais cruéis.
 
Lucidio Souza em 04/09/2013 19:50:21
Esses políticos e outras autoridades que defendem não baixar a maioridade para os 16 anos,para serem bem coerentes,deviam toda vez que um adolescente cometesse barbaridades na sociedade,deviam os defensores solicitar às autoridades competentes se (proporem espontaneamente)levar esses delinquentes para os seus lares e dar-lhes uma boa educação por um bom tempo.Somente assim na prática que os defensores desses criminosos(chamados de adolescentes)vão experimentar a dor daquela família que sofre a perda brutal de seus entes queridos.Ficar apenas friamente defendendo criminosos é muito fácil,difícil é passar pela amarga experiência de ver um ou vários membros de uma mesma família curtir a dor miserável pela perda brutal de seus entes queridos.Falar e experimentar são duas coisas bem diferentes
 
João Alves de Souza em 04/09/2013 19:49:58
Infelizmente, as leis no Brasil não acompanham as transformações que acontecem na sociedade brasileira. Adolescentes podem votar elegendo todos os cargos eletivos na política,inclusive o cargo de (a) presidente (a) da república, podem por filhos de maneira irresponsável neste mundo, podem roubar, podem matar tirando a vida de chefes de famílias que deixam famílias (mulheres e filhos desamparados) por causa desses maus educados, mas esses adolescentes não podem ser penalizados com o rigor da lei em seus crimes pré-meditados contra a vida das pessoas. Isso é coisa de Brasil porque nos EUA. a coisa é bem diferente para esses paparicados aqui no Brasil. Vou continuar...
 
João Alves de Souza em 04/09/2013 19:29:30
Quem comete um crime tem que pagar a altura do crime e ser tratado,como criminoso e não como um menor infrator ,só quem passou nas mãos desse menores bandidos sabe o que está falando ,essas prisões socioeducativas nunca serviram para recuperar ninguem e sim serviram como escolas do crime..se votam aos 16,condena-se também aos 16....
 
Odevair de Brito Oliveira em 04/09/2013 19:14:19
e quem disse que o objetivo é reduzir a criminalidade ???? o principal objetivo é a punição , se fez errado , vai ter que pagar ......... pronto é simples , é só isso, se quer reduzir a criminalidade entre os menores ai comece dando educação desde cedo as crianças
 
ricardo alexandre em 04/09/2013 19:10:30
Nada inibe a prática de crimes perversos ou psicopáticos ou ditos hediondos, em qualquer idade. Portanto, está claro, o criminoso que mostra sua propensão a tais crimes, a sociedade tem o direito de se proteger dos mesmos. Quem discorda, quer tais elementos na rua, deve levá-los para casa, gente! Esses brasileiros bonzinhos devem então se organizarem para cuidar deles num pensionato e fim da semana levá-los para casa. não seria lindo?
 
Valfrido M.Chaves em 04/09/2013 19:06:07
E mais, nunca vi uma mesa de debates na qual todos pensam da mesma maneira, tem o mesmo ponto de vista! Jeito PT de debater...
 
marcelo alves em 04/09/2013 18:33:39
É por isso que esse povo fez Direito por que nunca soube fazer conta! O que importa é que o cara que fez 16 anos esteja preso por 15 ou vinte anos, ou seja, 15 ou vinte anos fora do convívio social e portanto sem poder nos fazer mal uma vez que estará enjaulado, como a sua natureza merece!
 
marcelo alves em 04/09/2013 18:32:12
Irrecuperáveis todos eles são, a prova é que todo o criminoso que vai preso, quando puxam a ficha e a vida pregressa do sujeito, sempre é descoberto que foi menor infrator. Mas a questão não é essa, é esses menores infratores pegarem uma cadeia longa para que os cidadãos de bem tenham segurança, já que quando o bandido não está nas ruas, não pode delinquir.
 
Adriano Roberto dos Santos em 04/09/2013 18:30:06
O infrator deve ser punido sim, ninguém deve ser isento de seus malefícios, se a pena for rigorosa jamais escutaremos a frase "não dá nada não", ninguém ressocializa infrator com 3 ou 4 meses de internação, nem homicidio passa de 1 ano , tráfico já é liberado na delegacia, problema social o mundo inteiro enfrenta, e ainda não tem uma solução não é desculpa para esses falsos defensores, é de menino que se torce o pepino já dizia o ditado, ser humano leva um vida inteira para se corrigir e morre cheio de defeitos, punir e exigir o cumprimento das leis também é ressocializar, menor infrator punido inibe sim muito a criminalidade, se ele fizer já saberá que vai ser cobrado, agora não fazer nada , não dá nada, volta a fazer por que sabe que nada pode acontecer por essesciva proteção de uma lei
 
amauri f lino em 04/09/2013 18:29:07
Mas o professor doutor é muito esclarecido mesmo hein? Re-educar o motorista também não reduz o numero de acidentes? Colocar câmeras de segurança nos comércios também não reduz o numero de assaltos? Faça-me um favor o que não reduz a criminalidade dos adolescentes é passar a mão na cabeça deles e nada fazer quando eles praticam o crime, é até uma certa ignorância fazer uma afirmação deste calibre pois o mundo está cansado de saber que os criminosos usam crianças justamente para que na hora de assumir o crime eles fiquem um mês na fundação casa e já saem praticando novos delitos.
 
MAXIMILIANO NAHAS em 04/09/2013 18:00:17
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions