ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  10    CAMPO GRANDE 14º

Momento Saúde Bucal

Próteses removíveis: para quem e como funcionam

Por Marco Polo Siebra (*) | 07/12/2021 11:00

Sobre os tipos de próteses dentárias que existem, neste segundo vídeos falaremos das próteses removíveis. Mas, antes é importante lembrar que umas das funções da prótese dentária é a transmissão de força gerada nos atritos dos dentes mediante a uma força muscular.

Dentro disso classificamos a prótese removível como prótese dentária muco-suportada (a base da prótese se apoia na gengiva), dento-muco-suportada (a base da prótese se apoia em dente e em gengiva) e dento-suportada (a prótese se apoia só em dente). Essa classificação é importante para sabermos sobre a transmissão de força e a eficiência na mastigação.

Prótese total é um tipo de prótese dentária, muco-suportada, que substitui artificialmente os dentes perdidos de toda uma arcada dentária, inferior, superior ou ambas, e também devolve o osso que dava suporte ao dente, por isso tem essa parte da gengiva artificial, que serve de suporte para os lábios. A linguagem popular é conhecida por dentadura. Esse tipo de prótese não devolve 100% da função mastigatória devido ser móvel e ter a mucosa como suporte.

Prótese Parcial Removível com Grampo (PPR) é um tipo de prótese que pode ser dento-muco-suportada ou dento-suportada, que substitui os dentes naturais perdidos nas arcadas, nas quais ainda permanecem alguns dentes naturais, portanto, com perda parcial de dentes. É chamada de removível porque pode ser retirada pelo paciente no momento for fazer a higienização, também conhecida por “Ponte Móvel”.

Prótese Parcial Acrílica (PPA) é um tipo de prótese muco-suportada, que devolve alguns dentes perdidos na arcada, ela é semelhante a prótese total só que com menos dentes, nesse caso o paciente não perdeu todos os dentes. É uma prótese que também não devolve 100% da função mastigatória.

Estas próteses dentárias removíveis não trazem muito conforto para o paciente, devido justamente serem removíveis e a transmissão de força ser limitada, são modelos de próteses tradicionais e muito utilizadas em consultórios.

Via de regra nenhuma prótese dentária deve causar dor. Sabendo que a dor é um sistema de alarme do organismo e se estiver doendo o paciente tem que procurar o profissional para ver o que está acontecendo. Toda prótese tem que gerar conforto ao paciente mesmo no período de adaptação.

Temos que entender que toda a prótese dentária tem que ser indicada por um dentista, de preferência especialista na área e mediante a uma avaliação geral de saúde do paciente, uma avaliação clínica e radiográfica, então consulte sempre um dentista para poder se avaliar.

Mais informações me manda um direct no Instagram @marcopolosiebra que terei maior prazer em te ajudar.

(*) Marco Polo Siebra é Odontólogo ha mais de 28 anos, Especialista em: Prótese Dentária; Odontogeriatria; Implantodontia. É Master Coach Pela FEBRACIS (Federação brasileira de Coaching Integral Sistêmico), Ministrante dos Cursos: Pode da Ação; Poder e Alta Performance; Jeito de Viver Família; Educar, Amar e Dar limites; Decifre e Influencie Pessoas; Coach de Carreira; Analista de Perfil Comportamental; Processo de Coaching Individual; Processo de Coaching em Grupo; Cursando uma Pós Graduação em “Neurociência e Performance Humana” na Faculdade FEBRACIS. Hoje tem como principal missão impactar e transformar pessoas de forma que concretizem seus objetivos em todas as áreas da vida. É Tesoureiro voluntário da ABRAz/MS (Associação Brasileira de Alzheimer e Demências Similares - Regional MS) e Diretor da Associação Pestalozzi de Campo Grande/MS.

Nos siga no Google Notícias