ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, DOMINGO  01    CAMPO GRANDE 17º

Direto das Ruas

Administradora de moai embolsa R$ 10 mil de grupo e desaparece

Após 5 meses de duração, nenhum dos contemplados receberam o dinheiro combinado

Por Jhefferson Gamarra | 22/06/2021 16:16
Conversas no grupo do moai onde suspeita "inventava desculpas" para não pagar as cotas (Foto: Reprodução)
Conversas no grupo do moai onde suspeita "inventava desculpas" para não pagar as cotas (Foto: Reprodução)

Uma mulher que coordenava um grupo de moai, sistema de empréstimo informal feito entre pessoas conhecidas, onde todos os participantes entregam uma quantia mensal para arrecadar um montante, feito entre funcionários de um hospital de Campo Grande está sendo investigada pela Polícia Civil por causar prejuízo de cerca de R$ 10 mil ao grupo.

De acordo com a técnica de enfermagem Bianca Mendes dos Santos, 27 anos, que registrou um boletim de ocorrência, a suspeita arrecadava o montante mensalmente e não repassava aos contemplados.

“Na época ela trabalhava no hospital regional, mas após a primeira confusão por causa do moai pediu exoneração. Ela começou a inventar desculpas, disse até que estava com câncer”, relatou a vítima.

Conversa no whatsapp entre a técnica de enfermagem e a suspeita de aplicar o golpe (Foto: Reprodução)
Conversa no whatsapp entre a técnica de enfermagem e a suspeita de aplicar o golpe (Foto: Reprodução)

O sistema financeiro foi estabelecido em fevereiro com a duração de 11 meses e cotas mensais de 200 reais. Porém se passaram 5 meses e nenhum dos contemplados receberam o dinheiro combinado.

“Dia 15 era pra eu receber, mas ela inventou uma história dá carochinha e não pagou. Disse que até que eu estava ameaçando ela e simplesmente sumiu. Me bloqueou, não me atende. Agora queremos justiça. Não só pelo dinheiro, mas porque ela mente como se todo mundo fosse bobo”, finalizou a técnica de enfermagem.

Um boletim de ocorrência por furto qualificado por abuso de confiança foi registrado na Polícia Civil que está investigando o caso. A reportagem tentou entrar em contato com a suspeita mas não houve sucesso.

Direto das Ruas - A reclamação chegou ao Campo Grande News por meio do canal Direto das Ruas, meio de interação do leitor com a redação. Quem tiver flagrantes, sugestões, notícias, áudios, fotos e vídeos pode colaborar no WhatsApp pelo número (67) 99669-9563.

Clique aqui e envie agora uma sugestão.

Para que sua imagem tenha mais qualidade, orientamos que fotos e vídeos devem ser feitos com o celular na posição horizontal.



Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário