A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

15/04/2015 16:05

Leitores registram infrações de trânsito e pedem mais fiscalização

Adriano Fernandes
De acordo com o leitor, a situação se repete frequentemente pelo local.(Foto:Direto das Ruas)De acordo com o leitor, a situação se repete frequentemente pelo local.(Foto:Direto das Ruas)
Por pelo menos 20 minutos o veículo Uno foi deixado ao lado de rampa para cadeirantes.(Foto:Direto das Ruas)Por pelo menos 20 minutos o veículo Uno foi deixado ao lado de rampa para cadeirantes.(Foto:Direto das Ruas)
Carro de luxo também foi deixado ao lado de rampa na Euclides da Cunha.(Foto:Direto das Ruas)Carro de luxo também foi deixado ao lado de rampa na Euclides da Cunha.(Foto:Direto das Ruas)
Carro sem identificação foi estacionado sobre vaga de cadeirantes na Afonso Pena.(Foto:Direto das Ruas)Carro sem identificação foi estacionado sobre vaga de cadeirantes na Afonso Pena.(Foto:Direto das Ruas)

Estacionados na entrada de garagens, ao lado de rampa de acesso para deficientes e até em vagas destinadas aos idosos, os motoristas continuam desrespeitando as regras de trânsito em Campo Grande. Indignados com as ações, leitores do Campo Grande News registram o momento e enviam via aplicativo WhatsApp, pelo canal Direto das Ruas.

O tecnólogo em logística Wilson Xavier, de 36 anos, enviou fotos de um veículo Celta, estacionado em frente a uma garagem na rua Maracajú. Ele relata que o problema é frequente no local. “O motorista não respeitou a faixa amarela, estacionou o veículo em local proibido e impediu o acesso pela garagem. Frequentemente isso ocorre”, se queixou o rapaz.

O outro flagrante foi feito em trecho da avenida Mato Grosso, em que o motorista de um Uno deixou o veículo por pelo menos vinte minutos ao lado de rampa, impedindo o acesso de deficientes. De acordo com o leitor, falta fiscalização no trânsito da capital. “Minha opinião é que deveria haver mais ação da polícia, guarda municipal e Agetran. Pagamos eles para isso”, disse o bancário Ivan Carlos, de 47 anos.

A mesma situação se repetiu ainda no início da tarde de hoje, quando um veículo Mercedes Bens, foi estacionado na esquina entre as ruas Euclides da Cunha com Paraíba. Quem passava pela rua tinha que contornar o veículo para ter acesso a calçada. A situação gerou revolta. “Deve se sentir o dono do mundo, fico indignado pela falta de respeito com os outros. No mundo existem outras pessoas e não só ele”, se queixou o leitor que preferiu não se identificar.

O desrespeito de outro motorista também foi registrado pelo operador de lojas, Isaias, de 26 anos. Segundo o rapaz, um motorista em um veículo SpaceFox permaneceu durante alguns minutos dentro do veículo, estacionado na vaga de cadeirante de um cartório, na avenida Afonso Pena. No veículo não havia nenhum tipo de identificação de portador de necessidades especiais, e o motorista não era idoso segundo Isaias.

De acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), estacionar em vagas destinadas à idosos e deficientes físicos, sem que sejam seguidas as devidas regras para estacionamento no local, é infração grave, com cinco pontos na carteira de habilitação e multa no valor de R$ 127,69.

Para quem estaciona diante de guia rebaixada, infração média de trânsito, com multa no valor R$ 85,12 e remoção do veiculo do local. A Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) orienta que a população denuncia este tipo de infração ao órgão, pelos telefones 3314-3422, 3314-3423 ou no 118.

Direto das Ruas - As sugestões acima foi feitas por leitores, via aplicativo WhatsApp pelo canal Direto das Ruas, um meio de interação entre a redação e o leitor, por onde podem ser enviados flagrantes, sugestões de matérias, notícias, fotos, áudios e vídeos. Seja um colaborador via WhatsApp pelo número (67) 9687-7598.



Creio que a fiscalização ostensiva será necessária enquanto os motoristas e pedestres não se portarem como cidadãos. Infelizmente o egoísmo, a falta de educação ou de caráter de alguns (coisa de berço, na maioria das vezes), impossibilitam o trânsito civilizado.
 
Magecar em 15/04/2015 19:21:27
Sejamos sinceros: Uma cidade que não tem um único radar móvel funcionando obviamente não leva a fiscalização a sério. Pelas ruas, basta olhar em volta para contar infrações às dezenas: motoristas dirigem a mais de 100 km/h, sem cinto de segurança, avançam o sinal vermelho, ameaçam pedestres e ciclistas... e nada acontece! E a embriaguez ao volante? Basta anoitecer para que as ruas sejam tomadas por motoristas embriagados, e não se vê um único policial em lugar algum. PRECISAMOS DE MAIS FISCALIZAÇÃO!!!
 
Luiz Pereira em 15/04/2015 16:37:32
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions