ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 28º

Economia

Em ano de recuperação, indústrias geraram mais de 127 mil empregos

Renata Volpe Haddad | 21/12/2016 12:40
Números foram apresentados pelo secretário da Semade, Jaime Verruck e presidente da Fiems, Sérgio Longen. (Foto: Fiems)
Números foram apresentados pelo secretário da Semade, Jaime Verruck e presidente da Fiems, Sérgio Longen. (Foto: Fiems)

Depois de uma retração de 7% na geração de empregos nas indústrias sul-mato-grossenses no ano passado, em 2016, houve uma recuperação de 1,5% em vagas de trabalho e 127.150 mil pessoas foram empregadas. A projeção para o próximo ano é de crescimento de 2,6% na expansão de cargos, segundo estimativa da Fiems (Federação das Indústrias) divulgadas nesta quarta-feira (21).

Os números foram positivos para o setor neste ano, sendo que houve recuperação de 11,5% no PIB (Produto Interno Bruto) industrial, no total de R$ 18,4 bilhões. Para 2017, a expectativa também é de crescimento de 10,1% e R$ 20,2 bilhões.

O faturamento nominal das indústrias continuou em crescimento este ano, subindo de 7,7% em 2015 para 9% em 2016 de R$ 46 bilhões, deve saltar para 8,5% e fechar 2017 em R$ 46,7 bilhões.

Este ano, mais empresas se instalaram no Estado, passando de 7.706 mil em 2015 e agora, 7.937, crescimento de 3% em 2016. Para 2017, a projeção é que 278 empresas se instalem em MS, avanço de 3,5%.

Geração de empregos nas indústrias de MS cresceru 1,5%. (Foto: Fiems)
Geração de empregos nas indústrias de MS cresceru 1,5%. (Foto: Fiems)

O presidente da Fiems, Sérgio Longen, explica que os incentivos fiscais oferecidos pelo Governo do Estado, têm atraído os investidores. "Os incentivos são ferramentas importantes para atrair essas empresas e o governador Reinaldo Azambuja afirmou que vai mantê-los como forma de atrair esses empresários e isso foi fundamental para a projeção de crescimento em 2017", avalia.

Em contrapartida do crescimento dos segmentos, este ano houve queda de 8% nas exportações de produtos industriais, sendo registrado R$ 2,65 bilhões. Em 2015, a queda foi de 21,9%, mas foram exportados R$ 2,88 bilhões em produtos industriais.

Segundo Longen, a queda maior foi no setor da extrativa mineral. "Porém, para 2017 temos uma projeção de crescimento de 6% nas exportações, devido as operações de algumas empresas instaladas este ano de produtos novos como MDF e produção de alimentos, que vão começar a operar no ano que vem".

Conforme o secretário da Semade (Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico), Jaime Verruck, a queda nas exportações foram em produtos específicos como a carne e mineração. "Mas, em 2017, vamos ter uma recuperação principalmente no setor de soja e grão e celulose, até porque em setembro do próximo ano, será colocado em funcionamento a segunda planta da Fibria. Além disso, com a abertura de janelas do mercado externo, teremos uma grande evolução de exportação da carne para o mercado asiático".

Investimentos - Para 2017, são nove projetos de empresas grandes que já estão em andamento no Estado com valor total de R$ 27,4 bilhões. A maior parte dos investimentos em execução têm previsão para entrar em operação até o último trimestre de 2017 e segundo trimestre de 2018.

"Mato Grosso do Sul é um dos estados mais internacionalizados do país, sendo que temos investimentos dos Estados Unidos e China. Temos que mostrar o Estado para fora e temos que melhorar em logística, não adianta apenas dar incentivos fiscais para atrair empresas", alega Verruck.

Nos siga no Google Notícias