ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  01    CAMPO GRANDE 22º

Economia

No primeiro dia, tem gente buscando devolução de até R$ 200 da Flexpark

Quem tem crédito no chaveiro ou aplicativo recebe valores de volta em dinheiro ou pix até o dia 20 de outubro

Por Caroline Maldonado e Cleber Gellio | 20/06/2022 10:29
Motoentregador Ederson Portão Cimatti, de 48 anos, com três chaveiros para conferir os valores a receber de volta (Foto: Cleber Gellio) 
Motoentregador Ederson Portão Cimatti, de 48 anos, com três chaveiros para conferir os valores a receber de volta (Foto: Cleber Gellio)

O movimento é constante na sede da Flexpark na manhã de hoje (20), primeiro dia de devolução dos créditos vendidos pela empresa que não administra mais as vagas de estacionamento no Centro de Campo Grande. A Metro Park Administração Ltda fez acordo com o MP-MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) para devolver os valores. A devolução será feita até o dia 20 de outubro deste ano.

Desde março, os usuários das 2.458 vagas da região central não pagam mais para utilizá-las, pois o prazo de concessão da prefeitura à Metro Park terminou e será feita nova licitação do serviço.

Local - Quem comprou crédito e não usou pode receber o valor de volta, indo na sede da empresa que fica rua Marechal Cândido Mariano Rondon, 2.083, sala 302. O atendimento é das 8h às 12h e das 13h às 17h, de segunda a sexta-feira. É preciso levar um documento pessoal.

Quem chega fica na fila com cerca de cinco pessoas, mas o tempo de espera tem sido curto com dois atendentes fazendo a devolução em dinheiro ou Pix, que é o pagamento eletrônico instantâneo direto na conta bancária.

Logo cedo, o aposentado Aldo Bispo de Araújo, de 68 anos, foi atrás do valor a ser recuperado. “Não tenho aplicativo. Só tenho o chaveiro mas sabia que tinha alguns créditos. Cheguei aqui e ainda tinha 24h de crédito, o que R$ 66, que peguei em dinheiro”, contou.

A empresa não está exigido o chaveiro de volta, aquele que era usado nos parquímetros antes do lançamento do aplicativo.

O motoentregador Ederson Portão Cimatti, de 48 anos, levou três chaveiros para conferir os valores a receber de volta hoje, mas não teve que deixá-los no local.

“Dois chaveiros são  meus e um é do meu patrão. Tenho certeza é que um chaveiro tem R$ 109,00, que é o valor que mostra no aplicativo. Já o outro eu não sei quanto tem e do meu patrão tem cerca de R$ 200. Acho que temos que vir mesmo buscar esse dinheiro já que a empresa está devolvendo. Ainda mais hoje em dia que R$ 50 e R$ 100 fazem diferença e a gente não pode deixar para trás”, comentou Ederson.

Acordo - Tem gente que fica até impressionado com o fato da empresa estar devolvendo os valores,  mas muita gente não sabe que a devolução é por conta de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) firmado no início do mês entre o MP-MS e a Metro Park.

O autônomo Amilton Ibrahim Cabral, de 56 anos, obteve de volta R$ 50,80 e ficou admirado com a devolução.

Autônomo Amilton Ibrahim Cabral, de 56 anos, na sede da Flexpark (Foto: Cleber Gellio)
Autônomo Amilton Ibrahim Cabral, de 56 anos, na sede da Flexpark (Foto: Cleber Gellio)

“Usava o estacionamento público porque tinha uma sala no Centro para prestar serviço, mas fechei com a pandemia. Os parquímetros já não tinha manutenção. Às vezes queria até usar o chaveiro, mas os equipamentos não funcionavam. Não é o caso de criticar a empresa, porque estão devolvendo e é difícil essa prática no Brasil. É uma questão ética que em outros países é mais comum”, disse.

A ACP (Ação Civil Pública) para reaver os valores foi ingressada pelo deputado estadual Paulo Duarte (PSB) no Ministério Público. O acordo foi firmado para não deixar no prejuízo aqueles consumidores que pagaram tarifa, de forma antecipada, mas não fizeram uso de vagas de estacionamento com parquímetro.

Nos siga no Google Notícias