ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEXTA  05    CAMPO GRANDE 19º

Educação e Tecnologia

Ensino a distância: Quais as dúvidas mais frequentes dos pais durante pandemia?

Professor especialista em gestão de escolar explica como conduzir os estudos durante a suspensão das aulas presenciais

Por Tainá Jara | 03/04/2020 18:48
Escolas públicas adotaram plataforma digital para oferecer conteúdo aos alunos durante pandemia (Foto: Kisie Ainoã)
Escolas públicas adotaram plataforma digital para oferecer conteúdo aos alunos durante pandemia (Foto: Kisie Ainoã)

Medidas excepcionais e de última hora foram tomadas diante da pandemia do novo coronavírus. A suspensão das aulas presenciais foi inevitável diante da recomendação de isolamento social emitida pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e escolas tiveram de se adaptar para ter o menor prejuízo possível em relação a plano de ensino previsto para 2020.

Dúvidas, no entanto, se tornaram frequentes entre os pais e responsáveis incumbidos de auxiliar os alunos diante da falta de presença física dos professores. De acordo com presidente do Conselho Estadual de Educação, Hélio Daher, os questionamentos surgem principalmente entre os que tem filhos matriculados em escolas particulares, já que os alunos das escolas públicas foram submetidos a um modelo padrão de oferta das disciplinas, em modelo eletrônico e físico.

O professor ressalta que a orientação para as escolas particulares é acatar as medidas restritivas emitidas tanto pelo Estado, quanto pelos municípios. Embora os decretos não incluam estas instituições, a realização de aulas presenciais pode caracterizar aglomeração, o acarretando em penalidades.

As aulas na rede pública foram suspensas no dia 17 de março, como parte das medidas para conter a pandemia de novo coronavírus. O prazo foi prorrogado até o dia 3 de maio, diante da previsão dos picos de contaminação ocorreram durante o mês de abril.

Na próxima semana, o conselho planeja emitir parecer orientativo para estas instituições, a partir do que já é executado durante a suspensão das aulas presenciais.

Veja quais são as respostas para as principais dúvidas sobre o ensino a distância durante a pandemia:

Faz diferença se meu filho fizer ou não as atividades encaminhadas para serem feitas em casa durante o isolamento social ?

Hélio Daher- Há uma consideração e preocupação muito grande, de como trabalhar isso com as famílias e como as famílias podem desenvolver atividades em casa, especialmente na Educação Infantil. É importante salientar que o pai não está lá para substituir o professor. Ele está ali para exercer um papel de articulador, afinal, a criança é muito mais dependente do pai e do professor.

Quando a criança é muito pequena, os pais têm mais dificuldade de entender qual é o papel do desenvolvimento pedagógico a partir do desenho, por exemplo. As vezes não é só a pintura. Ali você está trabalhando coordenação motora, está trabalhando a concepção de cores. Pode parecer simplório, mas tem uma estratégia por trás disso.

Os pais não podem menosprezar as atividades que são enviadas pelas escolas.

Os professores estão se aprofundando para desenvolver as atividades. É importante que os pais os questionem sobre a finalidade das atividades encaminhadas.

As atividades a distância encaminhadas pelas escolas particulares durante o período de pandemia têm validade como carga horária eletiva?

Hélio Daher - Elas têm sim validade. Surgiu inclusive essa semana uma medida provisório do governo federal flexibilizando o dia letivo. Desta forma, é preciso cumprir a carga eletiva de 800 horas, mas não necessariamente precisa ter os 200 dias letivos, ou seja, as atividades complementares feitas em casa, podem sim ser consideradas atividades letivas e estar no combo da carga horária obrigatória.

Mas é uma opção da escola. Tem escola privada, por exemplo, que optou por trabalhar a atividade complementar, mas ela mesma vai repor depois essas aulas. Então não há nada que impede a escola de fazer isso. O conselho está dando liberdade para as escolas adotarem essas medidas.

O que não pode ocorrer é o prejuízo na carga horária para o estudante.

As atividades encaminhadas para casa necessariamente devem corresponder a carga horária da disciplina na escola?

Hélio Daher - Vivemos um momento de excepcionalidade e não há condições da gente querer que em casa se tenha o mesmo cenário de aprendizagem que temos na escola. Vivemos um momento em que já há um prejuízo pedagógico e nosso papel é minimizar ao máximo esse prejuízo com atividades em casa, em que os pais precisam muito participar.

Não podemos perder essa participação dos pais para orientar e criar uma rotina de estudos.

A escola pode oferecer o conteúdo por meio exclusivamente eletrônico?

Hélio Daher - A escola tem que garantir o acesso a atividade. Tanto é que o conselho vai estabelecer em norma que a escola não pode padronizar a entrega da atividade se caso ela tiver algum estudante que não tem acesso aquela plataforma. Por exemplo, no caso da rede estadual a gente definiu que ela ofertasse diversas formas de entrega de atividades. Como tem estudantes que não tem acesso à internet, as escolas estão entregando atividades impressas para os estudantes. A escola ela tem liberdade de oferecer vários meios de comunicação. Ela não precisa estabelecer um só.

A maior preocupação tem que ser a garantia do direito de todos.

No caso de criança em educação pré-escolar, é recomendado tirar o aluno da escola durante o período de pandemia para economizar?

Hélio Daher - A pré-escola não é requisito para Ensino Fundamental, ou seja, por norma o estudante não precisa ter feito pré-escola para entrar no 1° ano do Ensino Fundamental, o que faz com que muitos pais entendam que podem tirar o filho da escola e depois colocá-lo no primeiro ano, em 2021, por exemplo. Mas é preciso lembrar que a legislação determina que de 4 a 17 anos é obrigatório que as crianças estejam estudando.