ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUARTA  29    CAMPO GRANDE 16º

Educação e Tecnologia

Escolas cívico-militares terão mesma carga horária de unidades de tempo integral

Resolução publicada hoje normatiza carga-horária e grade curricular das duas instituições que oferecem esse ensino em MS

Por Lucia Morel | 25/08/2020 11:40
Escolas cívico-militares começaram a funcionar em março na Capital. (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)
Escolas cívico-militares começaram a funcionar em março na Capital. (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)

A SED (Secretaria de Estado de Educação) publicou hoje em Diário Oficial regulamentação que normatiza a carga-horária e grade curricular das duas escolas cívico-militares em funcionamento em Mato Grosso do Sul.

A carga-horária é compatível com as 50 escolas em tempo integral já existentes no Estado. Entre as novidades, está a disciplina de Educação para Cidadania que não provoca a reprovação do aluno.

Conforme a publicação, “o componente curricular Educação para Cidadania objetiva contribuir para uma formação cidadã, política, social e ética do estudante, por meio de práticas pedagógicas que permi­tam reconhecer valores e normas de conduta que regulam a sociedade”.

A diferença nessas instituições é a presença na gestão e na área pedagógica de militares, tanto policiais, quanto bombeiros. As duas começaram a funcionar este ano nos bairros Jardim Anache e Los Angeles, norte e sul da Capital, respectivamente. Tais localidades foram escolhidas diante da vulnerabilidade social de seus moradores.

Conforme a resolução publicada, tais escolas também obedecerão a grade curricular das de tempo integral, com 1000 a 1200 horas/aula no ano para o Ensino Fundamental e Médio na EECIM (Escola Estadual Cívico-Militar) Marçal de Souza, no Los Angeles, conforme escolha curricular do aluno entre as disciplinas optativas.

Já a Alberto Elpídio Ferreira Dias, no Anache, poderá oferecer grade de aulas que variam de 1500 a 1840 horas/aula no ano.

As unidades obedecem regramento do Governo Federal na pelo Pecim (Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares).

Nos siga no Google Notícias