A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

21/11/2012 19:46

Última prova da Fórmula 1 terá onze comissários de MS

Serão nove homens e duas mulheres. Seis deles serão oficiais de pista, quatro trabalharão no resgate e um como chefe dos fiscais

Nyelder Rodrigues e Helton Verão
Grupo de comissários do Mato Grosso do Sul embarcou nesta quarta para São Paulo (Foto: Rodrigo Pazinato)Grupo de comissários do Mato Grosso do Sul embarcou nesta quarta para São Paulo (Foto: Rodrigo Pazinato)

Um grupo de voluntários de Mato Grosso do Sul vai trabalhar novamente este ano na etapa brasileira da Fórmula 1, no circuito de Interlagos, em São Paulo.

Composto por 11 comissários, o grupo conta com três novatos. Nove dos voluntários embarcaram nesta tarde para a capital paulista, para onde vão de van, enquanto dois já estão lá.

Todos eles já trabalharam em eventos de automobilismo no Estado, e a maioria trabalha em profissões sem ligação com a modalidade. Há desde personal trainers e um bombeiro militar, até um ciclista e um representante comercial.

Apenas um deles já trabalha com automobilismo. É João Luis Oliveira, de 52 anos, que é encarregado pelo Kartódromo Ayrton Senna, em Campo Grande, e também mora no local. Essa é a primeira participação dele no GP Brasil de Fórmula 1.

“Estou muito ansioso. Vivo do automobilismo e meu sonho era ver Fórmula 1 de perto. E agora vou trabalhar no GP também”, conta João Luis, que vai trabalhar como oficial de pista.

Além dele, a ansiedade também contagia duas mulheres estreantes. Mariana Borges, 27 anos, e Luma do Nascimento, 25 anos, dizem que a adrenalina por causa do evento subiu desde a confirmação da participação, há duas semanas. “Gostamos desde o kart até as modalidades maiores e mais conhecidas, como a Fórmula 1.

Outro que também embarcou hoje, mas já participou de edições anteriores do GP Brasil, é o autônomo Dejair Pinheiro. Como já participou do evento, o oficial de pista apenas passou por um breve curso de atualização, enquanto os novatos tiveram que passar por seleção que inclui treinamento e aprovação no final.

“O que chama a atenção no curso é a pontualidade para tudo, e para todos os cargos. Eu não me esqueço de uma frase dita durante o treinamento, que afirma que nas curvas, somos os olhos dos pilotos, tendo que sinalizar para avisar se há alguma anormalidade adiante”, comentou Dejair Pinheiro.

Mato Grosso do Sul conta com a segunda maior delegação de comissários do GP Brasil, atrás apenas de São Paulo, sede da etapa, e que tem aproximadamente 80% dos comissários.

Da comissão sul-mato-grossense, quatro vão trabalhar como oficias de pista, fazendo a sinalização, tanto com bandeiras como nos painéis de LED. Outros quatro vão trabalhar no resgate, enquanto um deles, Marcos Borges, será chefe dos fiscais, e ficará na torre do circuito de Interlagos.

Mariana e Luma são as únicas mulheres do grupo e este será o primeiro Gp Brasil delas (Foto: Rodrigo Pazinato)Mariana e Luma são as únicas mulheres do grupo e este será o primeiro Gp Brasil delas (Foto: Rodrigo Pazinato)
Dejair já participou de outros GPs, e diz que no treinamento é ensinado que os oficiais de pista são os olhos dos pilotos nas curvas (Foto: Rodrigo Pazinato)Dejair já participou de outros GPs, e diz que no treinamento é ensinado que os oficiais de pista são os olhos dos pilotos nas curvas (Foto: Rodrigo Pazinato)


Obrigado Gerson Nascimento, são atitudes como a sua que nos deixa felizes e recompensados. Caro João Rodrigues, o GP Brasil de Fórmula 1 tem muito dinheiro para contratar quem ele quiser, mas existem pessoas como nós que vivem o automobilismo e trabalham em provas estaduais e nacionais pelo brasil inteiro, que se oferecem para fazer parte de um seleto time, que necessita de treinamento e dedicação, e também um pouco de esforço, não temos custo com esta viagem, ou seja, não pagamos para estarmos sendo reconhecidos como oficiais de competição do Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1, o maior evento automobilístico do mundo. Digo ainda, isso não é para qualquer um, tem que ter experiencia e ser convocado.
 
Marcos Borges em 26/11/2012 15:14:47
Parabéns as únicas mulheres representando o MS.
 
Gerson Nascimento em 24/11/2012 13:39:53
Para mim é novidade... em saber que a F1 precisa de voluntários para trabalhar, considerada uma das competições mais bem patrocinadas e bilionárias do mundo, além de promoverem e lançarem as tendências tecnológicas do automobilismo mundial. Coisas que não posso enterder mesmo... será que eles seriam voluntários para uma causa social no Brasil?
 
João Rodrigues em 22/11/2012 08:38:19
PENA que estes representantes de MS só farão seu papel, lá fora do Estado de MS. Pena mesmo pois isso deveria ocorrer em Campo Grande, pois o DESLEIXO que vem acontecendo no nosso AUTÓDROMO, a pista é ruim, asfalto grosseiro, por isso várias competições não querem ser realizadas aqui. Será que existe ALGUÉM que possa interceder junto aos Governos Estadual e Municipal para melhorar a pista do nosso AUTÓDROMO? Campo Grande quer crescer? Então é melhor pensar em ATRATIVOS de fora, não é??? ESPORTE automobilístico atrai gente de todo o BRASIL. Melhor o BERNAL ver isso...
 
Lucas Vale em 22/11/2012 00:16:12
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions