A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 16 de Outubro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


11/08/2017 06:00

Eleição de sindicato cria imbróglio na Assembleia

Marta Ferreira

Disputa sindical - O deputado estadual Paulo Corrêa (PR) mencionou na tribuna que recebeu reclamações de servidores efetivos da Assembleia, de que um grupo de comissionados, munidos de liminar, gostaria de disputar a presidência do sindicato dos servidores. Ele entende que, por se tratar de funcionários em cargo de confiança, que podem ser mandados embora a qualquer momento, não poderiam encabeçar chapa.

Pensa igual - Coronel David (PSC) concordou com o colega, revelando que um dos seus assessores iria fazer parte desta chapa, mas saiu do grupo, a pedido dele. "Não tenho nada contra, mas sempre prezo pela legalidade, e entendo neste caso, que não cabe aos comissionados participar da eleição".

Insatisfação – Entre os comissionados, segundo a coluna apurou, existe a reclamação de que não concordam com a proibição principalmente porque são vetados de participação na chapa, mas podem votar. Uma parte, inclusive, questiona o pagamento de contribuição para um único sindicato, mesmo havendo várias categorias profissionais na casa.

#Paz - O deputado Felipe Orro (PSDB), da Comissão de Saúde da Assembleia, acredita que após reuniões e impasses, um novo acordo entre governo, prefeitura e Santa Casa está perto de ser fechado. "Como diziam que quando aperta, aparece uma solução, entendo que este acerto deve ocorrer na reunião da semana que vem".

Persistente - Aproveitando a presença de profissionais da enfermagem da Santa Casa em protesto na Câmara Muncipal, o vereador Valdir Gomes (PP) voltou a fazer discurso inflamado para que os colegas tomem alguma providência sobre possíveis irregularidades no IMPCG (Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande). O público aplaudiu a atitude e vaiou Chiquinho Telles (PSD), que tentou defender a prefeitura.

Dificuldade - O vereador pepista reclamou que estão tentando barrar uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar o instituto e, dessa vez, justificou seu receio. "Essa CPI vai investigar gente que já passou por essa Casa, porque na Legislatura passada tinha médicos aqui com convênio com o IMPCG", afirmou.

Aposentadoria - Professor de educação física concursado desde 1978, o presidente da Câmara, João Rocha, teve sua aposentadoria no cargo da Prefeitura oficializada nesta quarta-feira, no Diário Oficial do Município. À coluna, Rocha disse que não estava sabendo.

Vou voltar – O vereador, conhecido do meio esportivo por sua atuação no judô, disse que, quando deixar a política, voltará para a educação física. “Continuo professor com minhas atividades particulares de professor de educação física. Não pretendo parar".

Ato falho - Ao comentar que um dos objetivos do município é devolver ao servidor público o “patamar justo” que merecem, o prefeito Marquinhos Trad, soltou uma frase que foi slogan da gestão passada, do ex-prefeito Alcides Bernal: “As pessoas em primeiro lugar”. A coincidência não passou despercebida por quem acompanhava a agenda, que alertou o chefe do Executivo sobre o deslize.

Não ligo - Em tom de brincadeira, o prefeito aproveitou para dizer que não liga para as referências que podem levar a outros grupos políticos. Comentou que se usa gravata vermelha, “as pessoas dizem que é PT, se ele usa azul, falam que é André (ex-governador do Estado) e se ele escolhe amarelo, falam que é PSDB.”

(Com Leonardo Rocha, Richelieu de Carlo e Mayara Bueno)

Bonito quer bombar com shows gringos no Carnaval
Bombando - Empresários estão investindo pesado no Carnaval de Bonito 2018. Além da celebridade internacional Paris Hilton, uma das atrações em negoci...
Fábrica planeja investimento de meio bilhão em porto
Projeto ambicioso – Depois de inaugurar mais uma unidade em Três Lagoas, ampliando a produção de celulose, a Fibria negocia com a ampliação da estrut...
MS cumpre "regra de ouro" na finança pública
Melhor que os outros – Existe uma máxima em finanças públicas de que os governos, para não cair em estado de insolvência, não devem custear despesas ...
Reinaldo diz que ação contra o crime não pode ser só no RJ
Mal gerido – Neste ano, o Ministério da Justiça e Segurança Pública gastou R$ 185,77 milhões do FNSP (Fundo Nacional de Segurança Pública), conforme ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions