A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Maio de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


15/05/2014 06:00

Negócios acima de tudo

Edivaldo Bitencourt

Pressão - Conversa ao pé do ouvido, com o governador André Puccinelli, deve fazer Sérgio Longen, presidente da Fiems, recusar convite do PT para ser candidato ao Senado. Falou mais algo os negócios que o empresário tem com o governo do Estado.

Boicote – O secretário municipal de Obras, Semy Ferraz, admitiu, ontem, que tinha ordens expressas do então prefeito, Alcides Bernal (PP), para não receber os vereadores de oposição. A ordem clara e expressa era boicotar 20 dos 29 parlamentares.

Desobediência civil – Ferraz não acatou a ordem do ex-chefe e confessou que recebeu vereadores de todas as posições e ideologias. “Cumpri o meu dever como servidor público”, destacou o petista.

Telecentros – O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Edil Albuquerque, anunciou a retomada dos telecentros na Capital. A cidade vai ganhar 13 unidades para oferecer computador e internet para a população.

Má vontade – Edil também aproveitou para criticar o antecessor de Gilmar Olarte. Ele disse que faltou vontade política em instalar os telecentros na Capital. “Bastava um telefonema para Brasília”, garantiu o peemedebista.

Mau exemplo – A Câmara Municipal da Capital realizou audiência pública para ouvir os moradores sobre os problemas da região do Imbirussu. No entanto, a maioria absoluta dos parlamentares não compareceu para ouvir a população. Dos 29 vereadores, quase duas dezenas ignoraram o evento.

Bom exemplo – A Prefeitura da Capital, por outro lado, deu bom exemplo no caso. Foram secretários ou representantes de todas as pastas para ouvir as queixas dos líderes comunitários e moradores. Todas as dúvidas foram esclarecidas.

Sucessão – O aval do presidenciável Eduardo Campos (PSB) não garante a aliança entre o PMDB e o PSB em Mato Grosso do Sul. O presidente regional, Murilo Zauith, afirma que nada ainda está definido. O partido vai se reunir para decidir se aceita indicar o candidato a vice-governador na chapa de Nelsinho Trad.

Estratégia – A presidente da República Dilma Rousseff (PT), que tenta recuperar a popularidade, decidiu vir a Mato Grosso do Sul no dia seguinte à declaração de Nelsinho Trad, de que prefere o candidato da oposição, Eduardo Campos.

Simbólico – Dilma vem à Capital para inaugurar 808 casas do Programa Minha Casa Minha Vida, no dia 9 de junho. O conjunto residencial faz uma homenagem ao deputado federal Nelson Trad, pai de Nelsinho Trad, que articula a ida do PMDB em MS para o barco da oposição.

(colaboraram Kleber Clajus, Aline dos Santos e Zana Zaidan)

Ex-ministro não errou o “do Sul”, mas...
Gafe - O ex-ministro Henrique Meireles (MDB) em um dos diversos discursos no evento em Campo Grande neste sábado (19) confundiu Mato Grosso do Sul co...
PMs presos têm “festival de ações”
Conhecidos da justiça - Entre as duas dezenas de policiais militares de Mato Grosso do Sul presos esta semana por suspeita de facilitar a vida dos co...
O entrave no cadastro de pedófilos
Entrave burocrático – Autor do projeto de lei que criou o cadastro de pedófilos em Mato Grosso do Sul, o ex-deputado estadual Carlos Alberto David, d...
Assembleia agora tem 8 "independentes"
Mais uma – Depois de votar com o governo por três anos e meio, a deputada estadual Grazielle Machado(PSD) anunciou que agora será “independente”, ass...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions