A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 16 de Outubro de 2019

29/09/2019 07:12

Pra tirar nome do SCPC, cantor encara o tecnobrega e lança clipe cheio de humor

Adriano Natto descobriu o talento para a música ainda na escola e nunca mais abandonou a arte

Danielle Valentim
Adriano Natto sonha em viver de música, mas antes disso brinca que precisa limpar o nome. (Foto: Divulgação)Adriano Natto sonha em viver de música, mas antes disso brinca que precisa limpar o nome. (Foto: Divulgação)

Aos 28 anos, o cantor Adriano Natto decidiu mergulhar no mundo tecnobrega para apresentar algo diferente em Campo Grande. Com uma pegada cheia de humor, o artista acaba de lançar um clipe da canção “Amor Pra Mais de Metro”, que arranca risadas do início ao fim.

As gravações aconteceram no Bairro Estrela do Sul e o cantor até engordou uns quilinhos para se aproximar o máximo possível do perfil de Reginaldo Rossi, o rei do brega nacional.

Bem famoso com a banda Calypso, o tecnobrega surgiu em Belém do Pará nos anos 2000. Para quem não conhece, o gênero mistura a música eletrônica e o pop, com gêneros regionais paraenses, como calypso e forró eletrônico.

Adriano teve os primeiros contatos com a música ainda na escola. Foi em 2007, que montou o primeiro grupo musical com colegas da escola e do bairro Talismã, onde mora até o hoje.

Cover dos Mamonas Assassinas na escola.Cover dos Mamonas Assassinas na escola.

“O pessoal elogiou e por conta da repercussão, os professores começaram a levar a gente para outras escolas e outros eventos”, lembra.

A escolha do estilo tem muito a ver com a busca pelo diferente. “Por aqui não é comum e para ter uma noção desde o lançamento do clipe no YouTube o engajamento maior é nas regiões norte e nordeste. Eu quero mostra um pouco desse lado, porque quero fazer algo diferente”, conta.

O pai de Adriano era um grande incentivador e, desde o falecimento, todos os passos da carreira são dedicados a ele. “Meu pai era uma pessoa que acreditava no meu sonho. Independente das doideiras que eu inventava. Hoje cada passo a mais é dedicado a ele”, frisa.

A primeira música gravada foi “A gente combina”. “Eu escrevi e gravei, em princípio, só para mim. Mas desde que ela foi para o YouTube caiu no gosto dos amigos e fãs e já soma mais de 10 mil visualizações”, pontua.

“A Gata e o Vira-Lata” foi a segunda canção gravada, mas de composição de um parceiro. A terceira canção foi “Amor Pra Mais de Metro”, que mostra o personagem sendo descartado por puro interesse.

O cantor admite que o começo seja bem difícil, já que se trata de algo “desconhecido”. “A intenção foi deixar engraçado. Porque eu gosto de deixar minha verdade. A personagem é uma mulher trans e eu quis levantar a bandeira do respeito. O clipe também fala de conscientização e mostra que o preservativo não serve apenas para evitar filhos”, explica.

Adriano é o irmão do meio, entre cinco filhos. Atualmente trabalha como motorista de aplicativo e de viagens particulares. “Meu sonho é limpar o nome do SCPC e perder a barriga que eu ganhei para gravar o clipe. Mas brincadeiras a parte, sonho em viver da música, pois desde que subi ao palco a primeira vez, a arte me encantou”, finaliza.

Acompanhe o trabalho de Adriano Natto nas redes sociais, Facebook e Instagram.

Assista ao clipe:

imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.