ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  25    CAMPO GRANDE 22º

Artes

Tenda chega ao Centro para alegria de quem não via circo há 40 anos

Boca de Cena começou ontem e segue até domingo; inauguração da tenda levou abandono de idosos para o picadeiro

Por Aletheya Alves | 14/05/2024 07:00
Cia Pisando Alto inaugurou a tenda circense no Boca de Cena. (Foto: Alex Machado)
Cia Pisando Alto inaugurou a tenda circense no Boca de Cena. (Foto: Alex Machado)

Ligia Rosane Rodrigues foi ao circo pela última vez há mais de 40 anos e saiu até de Ribas do Rio Pardo para sentar embaixo de uma lona de novo. Isso porque, pela primeira vez, o Boca de Cena, Semana do Teatro e do Circo de Campo Grande, trouxe a estrutura com picadeiro para o Centro e de forma gratuita. Inaugurando a programação circense nesta segunda-feira (13), a Cia Pisando Alto abriu as apresentações que seguem diariamente até domingo (19).

Ao lado de outros moradores da 3ª idade de Ribas, Ligia foi convidada para assistir ao espetáculo que trata justamente sobre o abandono e alienação familiar de idosos. Puxando as memórias da infância, ela conta que o passeio de volta ao circo era inesperado e valeu.

“Acho que a última vez que eu fui ao circo foi quando eu era menina e ter assim, grátis, é muito bom. A gente sabia que o de hoje era sobre idosos e, de todo jeito, é divertido”, relata a moradora.

Sobre o primeiro espetáculo, a sinopse detalha que o enredo de Gran Finalle busca compartilhar um pouco da história dos artistas de circo, revelando os bastidores da vida e os desafios do cotidiano de um espetáculo. “Seja sonhando com um passado brilhante ou com uma realidade que já não existe, eles continuam sonhando e esperando pelos seus filhos e netos para apresentar este grandioso espetáculo circense”.

Espetáculos teatrais serão realizados na Avenida Fernando Corrêa da Costa. (Foto: Alex Machado)
Espetáculos teatrais serão realizados na Avenida Fernando Corrêa da Costa. (Foto: Alex Machado)
Primeira apresentação levou tema do abandono de idosos. (Foto: Alex Machado)
Primeira apresentação levou tema do abandono de idosos. (Foto: Alex Machado)

Localizada ao lado do Memorial da Cultura, na Avenida Fernando Corrêa da Costa, a lona é de um circo que está em atividade e, nesta semana, será usada exclusivamente para o Boca de Cena.

Matriarca da família Rodrigues, Ligia Rosane conta que ver a herança cultural de sua família podendo ser compartilhada tão longe de casa é uma alegria. Isso porque seus pais começaram a jornada na região sul do País.

“Nossa família passava pelo Rio Grande do Sul e por Santa Catarina, então eu cresci no circo. Com o passar do tempo, os filhos, netos e bisnetos continuaram com o circo, mas acabamos criando cada um o seu. Tenho primos, por exemplo, que estão no Rio Grande do Sul e com circo também”, relata Ligia.

Em Mato Grosso do Sul há nove anos, ela detalha que tem rodado o Interior e está em Campo Grande pela primeira vez. “Nós esperamos que a gente volte mais vezes, mas por enquanto, depois daqui, vamos voltar a seguir pelo Interior. Essa é a nossa vida e ver as cidades dando destaque para o circo é um privilégio”.

Ligia voltou a sorrir no circo após décadas. (Foto: Alex Machado)
Ligia voltou a sorrir no circo após décadas. (Foto: Alex Machado)

Diretor do espetáculo que abriu as apresentações na lona, Breno Moroni comemorou a chegada do símbolo circense no Boca de Cena. “A lona traz mais autenticidade para o espetáculo. A maioria dos artistas de Campo Grande ligados ao circo são ligados ao teatro-circo, poucos tiveram essa vivência de trabalhar debaixo de uma lona, junto com uma família circense".

Torcendo para que a estrutura continue nas próximas edições, o produtor cultural ainda destacou que, após a semana do teatro e do circo, o terreno deveria permanecer disponível a companhias.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Eu faço um pedido para que esse terreno se torne o espaço do circo em Campo Grande porque é muito bem localizado, nós vimos que funciona, tem energia elétrica, água e as cidades precisam do circo. Um terreno de circo possibilita que as companhias venham de todo o País, completa Breno.

A direção e dramaturgia de Gran Finalle, apresentada nesta segunda-feira (13), foi com Breno Moroni, tendo Fran Corona e Moreno Mourão no elenco. A produção ficou por conta também de Fran, enquanto o figurino, adereço e materiais de cena são responsabilidade de Ramona Rodrigues. A operação de som é de João Corona, preparação musical com Lucas Rosa e Marcelus Anderson, além do design gráfico de Maíra Espíndola.

Além da lona, os espetáculos e apresentações do Boca de Cena também estão ocorrendo no Centro Cultural Octávio Guizzo (Teatro Aracy Balabanian), localizado na Rua 26 de Agosto, 453, e na Praça Ary Coelho.

Clique aqui para conferir a programação detalhada com classificação indicativa.

Confira a galeria de imagens:

  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias