ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 22º

Consumo

Há 3 anos, feira de brechós bomba no Horto Florestal pela quantidade de peças

"Brechozeiras" estão presentes todo 1º e 3º sábado do mês com itens novas das 8h às 15h

Por Kimberly Teodoro | 19/08/2018 07:40
Nas araras, preços baixos são atrativo do público que busca roupa feminina, masculina e até infantil. (Foto: Kimberly Teodoro)
Nas araras, preços baixos são atrativo do público que busca roupa feminina, masculina e até infantil. (Foto: Kimberly Teodoro)

Ver o movimento de pessoas retornar ao Horto Florestal e aproveitar o espaço para incentivar mulheres a começar o próprio negócio foi motivo para as amigas Tarciany Rocha, 41 anos, Marilene Martins, 51 anos, e Crislaine Nunes, 27 anos, criarem a Feira de Brechós, que depois de 3 anos continua lotada aos sábados, pela quantidade de peças e o bom preço.

Tarciany, a Any para os fregueses, trabalha com moda sustentável há 7 anos e antes da feira tinha uma loja física no prédio da antiga rodoviária. Ela conta que quando as coisas “começaram a ficar difíceis” , decidiu fechar o ponto e abrir um bazar em parceria com Marilene. “Tínhamos o sonho de utilizar o espaço público, a Marilene mora aqui na frente e montamos o negócio na casa dela. De lá, sempre víamos esse espaço vazio e imaginávamos que tinha tudo a ver com a nossa proposta”, conta Any, que tinha a ideia, mas não sabia como colocá-la em prática.

Foi com a ajuda do primo, Marcos Silva, que é administrador, que o sonho se tornou realidade. Marcos escreveu um projeto baseado na sustentabilidade que foi aprovado pela Fundação Municipal de Cultura, com o objetivo de incentivar a economia criativa. “Muitas das mulheres que trabalham aqui hoje, entraram para complementar a renda ou como única forma de sustento. Não foi empreendedorismo por oportunidade e sim por necessidade”.

Para Any ainda falta infraestrutura e apoio da Prefeitura na divulgação dos eventos, pois a feira de brechós do Horto já se tornou ponto cultural e uma atividade familiar. “Existe uma agenda da Prefeitura onde eles divulgam sempre os eventos e nós não estamos”, reclama.

Um dos estandes mais procurados é o da Crislaine, as duas primeiras araras logo na entrada da feira, tem os itens que “garimpa” de outros brechós ou compra de clientes. “Aqui nossa clientela é fixa, eles sabem que as melhores peças saem rápido e a maioria chega às 8h para começar o garimpo, também não mudamos os estandes de lugar, porque eles conhecem o estilo das nossas peças e muitas vezes vão direto até a vendedora que tem o estilo mais parecido com o deles”.

Marilene, Tarciany, Crislaine e Marcos, idealizadores da feira de brechó no horto.
Marilene, Tarciany, Crislaine e Marcos, idealizadores da feira de brechó no horto.
Amigas de longa data Tarciany, Crislaine e Marilene são as organizadoras da feira de brechó (Foto: Kimberly Teodoro).
Amigas de longa data Tarciany, Crislaine e Marilene são as organizadoras da feira de brechó (Foto: Kimberly Teodoro).

Muito ativa, dona Iraci Rocha Soares, aos 75 anos, aparecem em todas as edições do brechó, junto com a filha Tarciany,  que antes de participar da feira também já trabalhava com roupas usadas, vendendo e comprando peças de casa em casa, como “sacoleira” (atualmente o chamado brechó de porta-malas que vai até a cliente). Há alguns anos, ela também já teve ponto físico do qual abriu mão porque o aluguel e os impostos encarecem muito o preço das peças.

Edilza de Freitas, de 53 anos, aproveitou o horário de almoço para visitar a feira pela primeira vez, na companhia da filha Maria Vitória. “Já tive bazar e parei porque o fluxo de pessoas era pouco, era um negócio em casa, e isso aqui é ótimo, tanto para quem faz um dinheirinho extra como para quem precisa comprar roupas de qualidade e não consegue pagar 100,00 ou 200,00 reais em uma roupa, sem falar no movimento”.

 

Dona Iraci aos 75 anos está presente em todas as edições da feira, "É um jeito de sair de casa e trabalhar para não ficar o dia inteiro deitada no sofá" (Foto: Kimberly Teodoro).
Dona Iraci aos 75 anos está presente em todas as edições da feira, "É um jeito de sair de casa e trabalhar para não ficar o dia inteiro deitada no sofá" (Foto: Kimberly Teodoro).

Dicas para comprar - Letícia Pereira, de 18 anos, e a irmã Alessandra Pereira de 26 anos contam que visitar brechós já é uma tradição de família, um costume que aprenderam com a mãe. Elas acompanham o brechó do Horto há 1 ano, além de também frequentar as lojas no centro e eventos parecidos no bairro Coophasul. Normalmente, chegam às 8h e passam a manhã “garimpando” as peças com calma, tomando tereré e colocando a conversa em dia.

Alessandra faz compras em brechós desde os 12 anos e já estabeleceu alguns hábitos que facilitam na hora da compra. “Você precisa vir com calma e com uma roupa bem confortável, pronta para passar bastante tempo procurando peças que você goste. Também não dá para vir com nada em mente, já aconteceu de querer comprar calças e só encontrar blusas ou o contrário. Para não gastar muito, é bom estabelecer um orçamento. E se você sabe que vai precisar de alguma roupa específica, é interessante começar a procurar meses antes. É sempre uma surpresa o que você consegue achar em brechós”.

A bolsa amarela foi o achado favorito de Alessandra duranta a feira de brechos (Foto: Kimberly Teodoro)
A bolsa amarela foi o achado favorito de Alessandra duranta a feira de brechos (Foto: Kimberly Teodoro)
É possível encontrar roupas para todas as idades e tamanhos por preços acessíveis (Foto: Kimberly Teodoro)
É possível encontrar roupas para todas as idades e tamanhos por preços acessíveis (Foto: Kimberly Teodoro)

Para expor na feira de brechós, Tarciany explica que é preciso comprometimento. Atualmente a organização trabalha com 23 vagas e além do cadastro na lista de espera, a “brechozeira” precisa atender alguns requisitos: ter 2 araras para que as roupas fiquem organizadas, zelar pela higienização e apresentação das peças, não deixar os produtos espalhados no chão e não faltar a mais de 2 eventos.

Interessados na lista de espera devem entrar em contato com a organizadora Crislaine Nunes pelo whatsapp: 67 9344-2111 ou pelo facebook do evento.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário