A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 19 de Julho de 2019

03/04/2019 08:15

Taxa "de rolha” em restaurantes varia de R$ 25 a R$ 80, mas tem dias de graça

Há locais gratuitos e outros que liberam um dia na semana; confira a lista feita pelo Lado B

Danielle Valentim
Valor cobrado, normalmente, serve para pagar o trabalho de sommelier, que dá dicas de taças adequadas ou até mesmo a temperatura ideal para consumo da bebida. (Foto: Clube da Rolha / Divulgação)Valor cobrado, normalmente, serve para pagar o trabalho de sommelier, que dá dicas de taças adequadas ou até mesmo a temperatura ideal para consumo da bebida. (Foto: Clube da Rolha / Divulgação)

Com o inverno quase aí, o Lado B partiu para levantamento que muito interessa a quem gosta de um vinho: a "taxa de rolha". O valor é cobrado na maioria das casas especializadas em carnes e massas de Campo Grande e variam muito, vão de R$ 25 a R$ 80 para quem quiser trazer a bebida de casa. No entanto, há lugares que liberam garrafas fechadas ou já abertas sem qualquer cobrança. Outros tem entrada livre um dia da semana. 

Mas por que cobrar? Para quem não sabe, alguns restaurantes permitem que os clientes levem sua própria bebida para entrar em harmonia com os pratos oferecidos no cardápio. Entretanto cobram pela liberação e o custo é conhecido como “taxa de rolha”.

O valor cobrado é justificado pelo atendimento e estrutura dos restaurantes, além do trabalho do sommelier, que dá dicas de rótulos, taças adequadas ou até mesmo a temperatura ideal para consumo da bebida. A taxa de rolha não é regulamentada por lei e, por essa razão, não há um preço fixo a ser cobrado pelo serviço.

Ao Lado B, a professora e sommellier Patrícia Costa Lemos diz que concorda com a cobrança, afinal, o restaurante precisa ganhar em cima da venda ou até mesmo por deixar de vender o que tem no estoque. No entanto, destaca que é “simpático” do estabelecimento, que não oferece uma adega bem elaborada, liberar um dia sem cobranças aos clientes.

“Quem estuda sobre vinhos ou quem começa a aprender mais sobre vinhos tem um gosto específico e, normalmente, quem leva a própria garrafa já conhece o restaurante. Conhece a carta do restaurante. É simpático que o restaurante abra uma execução em um dia na semana, porque as cartas em Campo Grande, normalmente, a não ser que tenha uma bodega muito elaborada, deixam a desejar”, pontua.

Veja como cada restaurante se comporta em relação a taxa de rolha:

A Casa do Peixe atende a cozinha japonesa, brasileira, e sul-americana, no almoço e no jantar. O estabelecimento não faz a cobrança de entrada do vinho. O restaurante está localizado na Rua Dr. João Rosa pires, 1030, Amambaí, e funciona de segunda a sexta das 11h às 14h30; sábado e domingo das 11h às 15h. À noite, abre de segunda a sábado das 18h às 23h.

Cantina Masseria cobra a taxa de R$ 25. O restaurante oferece o serviço de sommelier a pedido do cliente. O estabelecimento fica na Avenida Afonso Pena, 4311, e funciona de segunda a sexta das 11h às 14h; sábado e domingo das11h às 15h e à noite de domingo a sábado das 18h30 às 00h.

Na Temakeria Sushi Bar, a taxa de rolha custa R$ 40. O estabelecimento fica na Rua Marechal Cândido Mariano Rondon, 2322, na Vila Rosa Pires, e funciona de terça a quinta das 19h às 23h; sexta das 19h às 00h; sábado das 11h30 às 14h30 e 19h às 00h; domingo das 11h30 às 14h30 e 19h às 23h.

O Les Amis tem rolha é livre às quartas-feiras. No demais dias a taxa é de R$ 50. As sugestões de harmonização com os pratos são feitas a pedido do cliente. O restaurante fica na Rua José Antônio, 644, Centro, e funciona de segunda a sábado das 18h30 às 00h.

No Imakay é cobrada a taxa de R$ 60 por rolha. Não há dias livres de cobrança. O estabelecimento dispõe de um profissional que dá dicas de harmonização de prato com a bebida levada pelo cliente. O estabelecimento funciona no almoço e jantar, de segunda a sexta das 11h30 às 14h30; sábado e domingo das 12h às 16h. De domingo a quinta das 19h às 23h e sexta e sábado das 19h às 01h.

O Vermelho Grill também cobra a taxa R$ 60. No entanto, não oferece dicas de sommelier. Não há dias livres de cobrança. O restaurante fica na Avenida Afonso Pena, 6078, Chácara Cachoeira, e funciona aos domingos das 11h30 às 16h; segunda a sexta das 11h30 às 14h30 e das 19h às 23h e aos sábados das 11h30 às 23h30.

No Território do Vinho, a taxa é de R$ 80. O sócio proprietário e sommellier Diogo Wendling explica que os clientes não costumam reclamar da cobrança, mas admite que em “alguns casos” o pagamento da rolha não compensa. Não há dias livres de cobranças.

“Em Campo Grande a taxa varia entre R$ 50 e R$ 100, mas às vezes não vale a pena pagar. No Território, há mais de 500 rótulos, por exemplo, com taças a partir de R$ 12 e meia garrafa a partir de R$ 49 e garrafas inteiras a partir de R$ 69. Opções mais baratas que a rolha”, pontua.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram.

imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.