ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SEXTA  21    CAMPO GRANDE 28º

Diversão

Bailarinos e orquestra de MS levam espetáculo “Guadakan” para SP

Por Thailla Torres | 10/06/2024 14:37
O espetáculo “Guadakan” conta uma história que ressalta a necessidade da preservação do Pantanal. (Foto: Pedro Cleve)
O espetáculo “Guadakan” conta uma história que ressalta a necessidade da preservação do Pantanal. (Foto: Pedro Cleve)

Bailarinos e orquestra de Mato Grosso do Sul se apresentam em São Paulo no dia 19 de junho, com o espetáculo “Guadakan”. Um espetáculo de dança contemporânea com trilha sonora executada ao vivo pela orquestra, que exalta a biodiversidade do Pantanal, sua essência e a sabedoria de sua ancestralidade, clamando pela urgência de sua preservação para o bem da humanidade.

A apresentação feita pela Companhia de Dança do Pantanal e a Orquestra de Câmara do Pantanal, com espetáculo que é criação do Instituto Moinho Cultural Sul-Americano, de Corumbá (MS), será no dia 19 de junho, às 14h30, com entrada gratuita, no Teatro CEU Vila Alpina, na Vila Prudente. A apresentação contará com audiodescrição e tradução em Libras.

Concebido a partir de um mito indígena Guató, uma etnia estabelecida na fronteira do Brasil com a Bolívia, o espetáculo “Guadakan” conta uma história que ressalta a necessidade da preservação do Pantanal e toda a sua biodiversidade, principalmente no atual momento vivido pela Humanidade, com diversos tipos de mudanças e emergências climáticas.

Unindo dança contemporânea e música, com uma trilha sonora executada ao vivo pela Orquestra de Câmara do Pantanal, a montagem faz uma viagem às origens dos povos do Pantanal, buscando a sabedoria dessa ancestralidade, que atravessa gerações, para revelar alertas.

Com oito bailarinos em cena, o espetáculo discorre sobre o mito Guadakan, o espírito do Pantanal. A concepção cênica e direção geral é de Márcia Rolon, os arranjos e adaptação musical de Eduardo Martinelli. A regência fica por conta de José Maikson Amorim Alves, a narração do mito por Arce Correia, a coreografia é de Chico Neller, os figurinos de Luiz Gugliatto, e a produção local, na cidade de São Paulo, será realizada por Suelen Garcez.

Espetáculo tem trilha sonora executada ao vivo pela Orquestra de Câmara do Pantanal. (Foto: Pedro Cleve)
Espetáculo tem trilha sonora executada ao vivo pela Orquestra de Câmara do Pantanal. (Foto: Pedro Cleve)

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias