ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, DOMINGO  25    CAMPO GRANDE 26º

Diversão

História de amor, aviação e atraso marcam 1º dia de desfile das escolas

Apresentações começaram com meia hora de atraso e escola teve 2 carros danificados momentos antes de entrar

Por Idaicy Solano | 13/02/2024 06:55
Desfile da escola Unidos da Vila Carvalho, na Paça do Papa, nesta segunda-feira (Foto: Paulo Francis)
Desfile da escola Unidos da Vila Carvalho, na Paça do Papa, nesta segunda-feira (Foto: Paulo Francis)

O primeiro dia de desfile das Escolas de Samba de Campo Grande foi marcado pela forte presença do público, que encheu as arquibancadas da Praça do Papa para torcer e vibrar por suas escolas favoritas na noite desta segunda-feira (12).

A escola mirim Herdeiros do Samba foi a responsável por abrir a noite de apresentações, levando para à Avenida Alfredo Scaff muita cor e brilho. Na sequência, se apresentaram as escolas Cinderela Tradição, Unidos da Vila Carvalho e Catedráticos do Samba.

Previsto para iniciar às 20h, a primeira escola pisou na avenida com quase meia hora de atraso. Além disso, a escola Unidos da Vila Carvalho, terceira a se apresentar, teve um imprevisto e desfilou com apenas um carro alegórico. Faltando minutos para entrar na avenida, o abre-alas e outro carro apresentaram defeitos.

Herdeiros do Samba 

Herdeiros do Samba homenageou personagem importante da história brasileira (Foto: Paulo Francis)
Herdeiros do Samba homenageou personagem importante da história brasileira (Foto: Paulo Francis)

A escola mirim, composta por crianças e adolescentes, levou para a avenida o enredo “Chaguinhas, A Origem”, em homenagem ao Chaguinhas, um escravo condenado à morte por reivindicar direitos salariais. Diz a história que tentaram enforcá-lo três vezes, e em todas a corda arrebentou. Desta forma, surgiu o Bairro Liberdade, na Capital de São Paulo.

Entoando o verso "três vezes cortaram o laço do seu pescoço, três vezes arrebentaram causando um alvoroço", os jovens que são o “futuro” do Carnaval capricharam na apresentação e provaram que, apesar da pouca idade, possuem o samba no pé.

Composta por crianças e adolescentes, escola mirim é o "futuro" do Carnaval (Foto: Paulo Francis)
Composta por crianças e adolescentes, escola mirim é o "futuro" do Carnaval (Foto: Paulo Francis)

A fundadora e presidente da escola, Fátima de Luz, disse estar satisfeita com o desempenho das crianças. “A gente atrasou um pouco, eu passei mal durante o dia com a emoção, mas o que foi apresentado, foi perfeito. Todos eles se dedicam, gostam mesmo. Ainda mais quando a fantasia está bonita, aí é que eles adoram. Conseguimos fazer a abertura do Carnaval muito bem”.

Abre-alas da escola Herdeiros do Samba (Foto: Paulo Francis)
Abre-alas da escola Herdeiros do Samba (Foto: Paulo Francis)

Cinderela Tradição

Fogos de artifício iluminaram o céu para a Cinderela Tradição passar. A escola, que homenageou o criador do avião, Santos Dumont, levou para a avenida uma história de amor e sonhos. A plateia aplaudiu e cantou junto "nesse voo de amor, voei, nas asas de um beija flor cheguei, sonhos não morrem jamais, quando o sonho é amor perdura e paz", trecho do enredo “Lê Revê de Voler - O Sonho de Voar”. O desfile teve uma réplica do Bis 14, avião rodeado de balões que Dumont usou para voar até Paris, anjinhos, beija-flores e astronautas.

Anjos da Cinderela Tradição abrem o desfile da escola (Foto: Paulo Francis)
Anjos da Cinderela Tradição abrem o desfile da escola (Foto: Paulo Francis)

A escola saiu com três carros alegóricos, nove alas e 380 componentes. De acordo com Josiane Pereira de Oliveira, da diretoria da escola, todas as fantasias foram feitas do zero, e de maneira artesanal. Foram investidos mais de R$ 190 mil na produção. “A gente tem essa linha de fazer tudo do zero. Foi bem complicado, a gente terminou com a raça e o amor pela escola mesmo, porque fazer uma escola e entrar na avenida do zero não é fácil”.

Ala dos astronautas; Escola homenageou Santos Dumont, famoso aviador do Brasil (Foto: Paulo Francis)
Ala dos astronautas; Escola homenageou Santos Dumont, famoso aviador do Brasil (Foto: Paulo Francis)

O presidente da escola, Diogo Miranda Correia, avalia que a escola teve um bom desempenho na apresentação deste ano. “Para nós foi maravilhoso. José Abraão é uma comunidade pequena, mas de coração grande, então a cada ano que passa a gente está melhorando cada vez mais o nosso Carnaval”.

Crianças protagonizaram ala dos aviões durante desfile (Foto: Paulo Francis)
Crianças protagonizaram ala dos aviões durante desfile (Foto: Paulo Francis)

Unidos da Vila Carvalho 

Minutos antes de entrar na avenida, a escola teve um imprevisto com dois carros alegóricos, sendo um deles, o mais importante: o abre-alas. Mesmo assim, os sambistas entraram na avenida de cabeça erguida e com muito samba no pé.

Este ano, a escola escolheu homenagear o programa de rádio Amor Sem Fim, do deputado estadual Lucas de Lima (PDT). Entoando "sou eu o mensageiro da esperança que acalenta os corações", trecho do enredo, a escola investiu R$ 250 mil para levar 10 alas e 400 componentes para a avenida.

Comissão de frente da Vila Carvalho trouxe brilho para a avenida nesta segunda-feira (Foto: Paulo Francis)
Comissão de frente da Vila Carvalho trouxe brilho para a avenida nesta segunda-feira (Foto: Paulo Francis)

As fantasias coloridas, brilhantes e a animação dos sambistas conquistou o público, que cantou junto e aplaudiu. Esbanjando simpatia, um dos sambistas entregou girassóis de plástico ao público durante a performance. O desfile contou com a presença do deputado homenageado, que desfilou no último carro alegórico.

Único carro alegórico a desfilar pela escola teve tema de flashback e faz alusão ao programa Amor Sem Fim (Foto: Paulo Francis)
Único carro alegórico a desfilar pela escola teve tema de flashback e faz alusão ao programa Amor Sem Fim (Foto: Paulo Francis)

Para o presidente da escola, José Carlos Correia, as fantasias estavam bonitas e bem confeccionadas, e apesar do imprevisto, avalia que a escola entregou um bom Carnaval. Agora, a expectativa é aguardar o parecer dos jurados. “Nós compensamos com a vontade, com a garra, porque quem faz o Carnaval mesmo é a comunidade. E eles sentiram que agora era o dever deles [continuar] e nós entramos na avenida, eu fui o único que entrou chorando”.

Presidente da escola Unidos da Vila Carvalho, José Carlos (Foto: Paulo Francis)
Presidente da escola Unidos da Vila Carvalho, José Carlos (Foto: Paulo Francis)

Os Catedráticos do Samba 

O amor invadiu a avenida neste primeiro dia de desfiles. A escola Catedráticos do Samba levou para a avenida uma homenagem ao casamento e histórica de amor da atual presidente da escola, Marilene Pereira de Barros, e do marido, Carlos Alves, falecido em 2005.

Comissão de frente dos Catedráticos representa história de amor que começou nos campos de futebol (Foto: Paulo Francis)
Comissão de frente dos Catedráticos representa história de amor que começou nos campos de futebol (Foto: Paulo Francis)

O desfile teve investimento de R$ 180 mil, três carros alegóricos, sete alas e 600 componentes. Um dos carros representou a forma em que o casal homenageado se conheceu, nos campos de futebol. Conforme conta Marilene, ela fazia parte da torcida feminina do time Operário, e o marido fazia parte da charanga que tocava nos jogos. Ela diz que não gostava de Carnaval, mas aprendeu a gostar depois que conheceu o marido, o que originou o samba enredo “Por Amor a Você, Me Apaixonei Pelo Carnaval”, que embalou o desfile.

Mestre-sala e porta-bandeira vestidos de noivos em desfile (Foto: Paulo Francis)
Mestre-sala e porta-bandeira vestidos de noivos em desfile (Foto: Paulo Francis)

Devota de Nossa Senhora Aparecida, o segundo carro alegórico, em que Marilene desfilou, foi em homenagem à santa. O desfile também teve cupidos, muitas referências ao futebol, e um mestre-sala e porta-bandeira vestidos de noivos. A vereadora Luiza Ribeiro (PT) e o deputado estadual Pedro Kemp (PT) também desfilaram pela Catedráticos.

“O que vocês viram aqui foi um grande amor que aconteceu dentro de um estádio, dentro de uma torcida feminina. O meu marido era da charanga e eu da torcida feminina, onde nasceu o grande amor. Hoje foi muito gratificante, deu tudo certo, tudo muito bonito, muito bem confeccionado”, diz Marilene.

Segundo carro alegórico que entrou na avenida durante desfile dos Cadetráticos é homenagem à devota de Marilene (Foto: Paulo Francis)
Segundo carro alegórico que entrou na avenida durante desfile dos Cadetráticos é homenagem à devota de Marilene (Foto: Paulo Francis)

Programação - Os desfiles das escolas de samba continuam nesta terça-feira (13), a partir das 20h. Hoje, entram na avenida Deixa Falar, Igrejinha e Unidos do Cruzeiro.

Para o presidente da Lienca CG (Liga das Entidades Carnavalescas de Campo Grande/MS), a expectativa para o segundo dia de desfile é a melhor possível. "Amanhã a gente espera um público também bem grande, porque amanhã estão vindo as escolas de samba com suas comunidades, que estão bem fortes".

Ao todo, cada escola terá 40 minutos, no mínimo, e 50 minutos, no máximo, para completar seu desfile dentro do tempo definido pelo regulamento.

Confira os enredos das escolas de samba no Carnaval 2024

  • Herdeiros do Samba: Chaguinhas, a origem
  • Cinderela Tradição: Le Rêve de Voler - o sonho de voar
  • Unidos da Vila Carvalho: Lucas de Lima, um amor sem fim
  • Catedráticos do Samba: Por amor a você me apaixonei pelo Carnaval
  • Deixa Falar: Igbagbo
  • Igrejinha: Mysterium - Enigmas da humanidade
  • Unidos do Cruzeiro: A volta ao mundo em uma noite

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias