A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

20/05/2018 07:20

No José Abraão, Beco 541 é barzinho alternativo para os estudantes da UEMS

Eles estavam órfãos de algo que não fosse um boteco, então duas amigas tomaram a iniciativa de abrir o charmoso bar

Thaís Pimenta
A cantora Bia Blanc e seu parceiro tocaram alguns clássicos da MPB no Sarau de sexta. (Foto: Paulo Francis)A cantora Bia Blanc e seu parceiro tocaram alguns clássicos da MPB no Sarau de sexta. (Foto: Paulo Francis)

Carinhosamente apelidado de Beco 541, o barzinho das amigas Amanda Souza Batista e Silvia Penteado veio para trazer opção de rolê menos boteco, mais no estilo arte aos acadêmicos da Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) em Campo Grande.

O bar era sonho para o interior do Estado, mas depois que elas passaram o Carnaval em Costa Rica e notaram o mínimo de movimento que rolava por lá, a vontade mudou de endereço para o Bairro José Abraão, onde as amigas abriram as portas na última sexta-feira.

O irmão de Amanda tem uma barbearia na mesma galeria em que fica o Beco 541, uma salinha estava alugando e, dada a proximidade da Universidade, elas decidiram que ali seria o cantinho ideal para o sonho ganhar forma.

As duas definem o Beco como um espaço underground. Mas se não fosse os grafites de Mateus Brites nas paredes, o espaço em nada se pareceria com o que estamos acostumados a definir como alternativo na nossa Capital, visto que o bar é bem arrumadinho, limpo e aconchegante.

Silvia e Amanda em frente ao barzinho, que ganhou o  nome por ser pequeno. (Foto: Paulo Francis)Silvia e Amanda em frente ao barzinho, que ganhou o nome por ser pequeno. (Foto: Paulo Francis)

Esse aconchego vem das plantas dispostas no bar e, claro, da energia feminina que ronda o Beco 541, e que as proprietárias fizeram questão de frisar em cada cantinho, com frases sacramentadas na parede como “Por trás de toda a mulher bem sucedida existe ela mesma” ou “Nascemos da mistura então por que preconceito?”.

A decoração é simples, com móveis feitos de paletes, quadros presos a parede, e muito verde. O banheiro tem luz negra e a lâmpada do bar pode criar uma verdadeira pista de dança dependendo da vibe da noite.

“A gente quer contribuir com as pessoas. Permitir que elas saiam daqui com algo a mais, seja o sentimento de respeito consigo e com o outro, seja uma ideia nova positiva que brotou na mente depois de conversar com a galera aqui dentro, sabe?”, diz Silvia.

Grafites foram feitos por Mateus Brites, na parceria, com as meninas do bar. (Foto: Paulo Francis)Grafites foram feitos por Mateus Brites, na parceria, com as meninas do bar. (Foto: Paulo Francis)
Caldinho de feijão custa R$ 2,00 e vem bem caprichado. (Foto: Paulo Francis)Caldinho de feijão custa R$ 2,00 e vem bem caprichado. (Foto: Paulo Francis)

Não é a toa que na fachada do bar, ao lado do nome, está escrito “Bar Terapia”. O microfone fica aberto a quem quiser compartilhar uma ideia, que seja declamar um poema, cantar ou rimar. “A gente também está fazendo parcerias com alguns músicos que acreditam na ideia e vem nos ajudar. Abrimos aqui com o Paulo Caballeros e tivemos ontem um sarau com a Bia Blanc se apresentando”.

Em relação ao consumo, o principal atrativo dali é mesmo de qualquer outro bar para universitários: o litrão, tão amado por esse público. Com opções que vão de R$ 4,50 a R$ 5,50, isso sem contar as long necks.

As meninas foram além e capricharam no cardápio dos drinks e das comidinhas. Tem caipirinha de limão, de rúcula com limão, por R$ 5,00 o copo de 400ml, e um sabor especial, de rúcula com morango, limão e hortelã, que custa um real a mais. Durante o dia elas fazem sucos naturais e detox.

“Nossa ideia é fazer uma vez por semana um dia em dobro. A pessoa compra uma caipirinha e leva outra, mas ainda estamos definindo isso”.

O cardápio foi pensado para que o público pudesse matar a larica com pouco dinheiro. Os wraps salgados de frango cremoso, peito de peru, rúcula e o vegetariano de pasta de berinjela saem R$ 5,00. Já os doces, nos sabores de banana com mussarela e açúcar mascavo, ou de morango com Nutella e mussarela custam R$ 6,00.

Nesse tempinho mais frio, Amanda e Silvia preparam um caldinho saboroso de feijão a R$ 2,00 o copinho de 240ml. “Ele é temperado com alho e cebola para poder ser consumido pelos vegetarianos. Quem gosta dele completo, com bacon, couve, pimenta e cebolinha, avisa e a gente inclui sem adicional o que você quiser”, finaliza Amanda.

O Beco 541 funciona, por enquanto, de segunda a segunda das 12h às 22h. O barzinho fica na rua Armando Holanda, 541.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram.

As meninas se inspiraram nos bares que frequentavam, como o Bar da Tia, para abrir o delas. (foto: Paulo Francis)As meninas se inspiraram nos bares que frequentavam, como o Bar da Tia, para abrir o delas. (foto: Paulo Francis)


"o espaço em nada se pareceria com o que estamos acostumados a definir como alternativo na nossa Capital, visto que o bar é bem arrumadinho, limpo e aconchegante."

Sério? De quais espaços alternativos estão falando?? Que não são bem arrumadinhos, limpos e aconchegantes??

Em tempo, parabéns para as meninas, quero conhecer o bar..
 
Tiago Pitthan em 20/05/2018 19:47:54
imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.