ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUARTA  15    CAMPO GRANDE 19º

Faz Bem!

Através de live, estudantes se unem para discutir saúde LGBT

O evento abordará desde saúde mental ao acolhimento humanizado e as inscrições são gratuitas, com direito a certificado

Por Alana Portela | 22/06/2020 11:03
Bandeira LBGTQIA+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e pessoas intersex) estendinda. (Foto: Pinterest)
Bandeira LBGTQIA+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e pessoas intersex) estendinda. (Foto: Pinterest)

Os estudantes do curso de Medicina de UEMS (Universidade Estadual de Maro Grosso do Sul) vão realizar um simpósio on-line para falar sobre saúde LGBTQIA+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e pessoas intersex). O evento ocorre através de lives nos dias 26, 27, 29 e 30 de junho. As inscrições são gratuitas e com direito a certificado.

“Notamos a necessidade de abordar essa temática tão importante e esquecida. Geralmente, os cursos de saúde não falam sobre o assunto em momento algum. Temos que aprender por outros meios mesmo, e essa falta de tato na abordagem, torna o atendimento menos qualificado”, diz Isis Marcondes Sodré.

Aos 22 anos, ela é acadêmica de Medicina e uma das organizadoras do evento on-line. Conforme Isis, ainda existem pessoas que não sabem que o uso do nome social é um direito. “Não sabem se como se referir a uma pessoa trans, chamam de ‘dona Maria’ alguém que se sente como ‘seu João’, não sabem proceder quando um paciente diz que não se identifica com seu gênero biológico, não sabem inclusive da existência da Política Nacional de Saúde Integral LGBT+”, afirma.

A estudante destaca que a saúde é feita para ser um ambiente acolhedor, no entanto, para muitos, se torna um espaço de desconforto. “Dessa forma, vimos que o on-line, além de ser a única maneira de organização no momento, alcançaria várias pessoas além da nossa bolha acadêmica”.

Os acadêmicos fazem parte da IFMSA (Federação Internacional de Associações de Estudantes de Medicina) e a programação começa no dia 26, sempre no horário de Brasília. Então, ajuste o relógio para conferir as apresentações.

No primeiro dia, às 18h, quem abre o evento é o Dr. Eduardo Peres, que é médico generalista e atua como clínico no Ambulatório de Terapia Hormonal para pessoas transexuais e travestis, em São Paulo. Ele inicia o debate falando sobre os conceitos básicos e política nacional de saúde integral LGBT.

No dia 27, às 15h, é a vez de falar sobre saúde mental LGBTQIA+, com João Fernando dos Santos Vilela que é graduado em psicologia e com a psicóloga Ana Claudia Arguelho Loureiro.

No dia 29 de junho, às 19h, Maria Letícia do Carmo Nantes vai discutir sobre atendimento médico humanizado e acolhimento a população LGBTQIA+ no SUS (Sistema Único de Saúde). Ela é pós-graduada em Atenção Básica da Família e voluntária do grupo gestor Casa Satine e clínica social, onde realiza o trabalho de acolhimento ao público, na Capital.

A programação encerra no dia 30, às 19h, com o Dr. Ricardo Santos Gomes. O ginecologista e obstetra vai discutir sobre como funciona o atendimento no ambulatório multiprofissional para atendimento de travestis e transexuais.

O evento já conta com mais de 800 inscritos de todo país. A transmissão ocorrerá pelo canal do Youtube da IFMSA, por este link. As inscrições podem ser feitas clicando aqui.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.