ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  19    CAMPO GRANDE 31º

Meio Ambiente

Campanha alerta a população sobre multa de até R$ 5 mil por queimadas

Agosto Alaranjado adverte que a prática de se realizar incêndios urbanos é crime e pode ser denunciada

Por Humberto Marques | 19/07/2018 16:18
Fogo no Chácara Cachoeira na quarta-feira (18); prática de queimadas urbanas pode render multa de até R$ 5 mil, adverte prefeitura. (Foto: Marina Pacheco/Arquivo)
Fogo no Chácara Cachoeira na quarta-feira (18); prática de queimadas urbanas pode render multa de até R$ 5 mil, adverte prefeitura. (Foto: Marina Pacheco/Arquivo)

A Prefeitura de Campo Grande e o Comitê Municipal de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais lançaram nesta quinta-feira (19), em reunião do CMMA (Conselho Municipal do Meio Ambiente), a campanha “Agosto Alaranjado-2018”. O esforço visa a alertar a população que a prática de queimadas urbanas é crime.

A ação ocorre em meio a uma estiagem que se aproxima de 40 dias na Capital. Neste ano, segundo informações do Corpo de Bombeiros, foram combatidos em média 13 incêndios por dias. Conforme a prefeitura, as queimadas podem resultar em multa de até R$ 5 mil para seus autores. Denúncias podem ser encaminhadas aos telefones 193 (Corpo de Bombeiros) e 156 (Prefeitura da Capital).

A campanha terá o slogan “Queimar é Crime! Diga NÃO! Às queimadas urbanas” e também pretende discutir e desenvolver ações com a comunidade a fim de otimizar a gestão, monitoramento, prevenção e combate a incêndios na Capital. Palestras educativas e informativas em escolas e instituições públicas e privadas fazem parte da ação.

Conforme o Paço Municipal, a inovação neste ano serão ações de Educação Ambiental para usuários do transporte coletivo e a realização de blitz ambiental nas regiões onde houver mais focos de incêndios –os bombeiros apontam as regiões urbanas do Segredo, Anhanduizinho e Bandeira como aqueles que apresentam maior incidência de chamas.

Diretor de Planejamento Ambiental da Agência Municipal de Meio Ambiente e Planejamento ?Urbano, Rodrigo Giasante destacou que a parceria com instituições estratégicas dará mais alcance às ações. Já a presidente do CMMA, Rosângela Maria Rocha Gimenes, destacaou a importância dos canais de denúncia para identificação dos autores de queimadas.

“É importante que se denuncie, pois sem a identificação do autor não há punição”, frisou ela.

Já o superintendente de Proteção e Defesa Civil da prefeitura, Armindo de Oliveira Franco, afirma que além da elaboração de um plano de contingência contra incêndios na cidade, pretende-se capacitar brigadas contra incêndio nos distritos.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário