ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 25º

Meio Ambiente

Devido a projeto, reserva pantaneira recebe certificado de “amigos da onça”

Após três meses de projeto, moradores da reserva da Baía Negra foram premiados por instituto ambiental

Por Mylena Fraiha | 29/11/2023 16:46
Onça-pintada deitada em barranco do Rio Paraguai, no Pantanal (Foto: Wener Hugo Moreno)
Onça-pintada deitada em barranco do Rio Paraguai, no Pantanal (Foto: Wener Hugo Moreno)

Em um esforço conjunto, a Associação de Mulheres Produtoras da APA (Área de Proteção Ambiental) Baía Negra, moradores locais, a Fundação de Turismo de Ladário e o IHP (Instituto Homem Pantaneiro) implementaram ao longo de três meses um projeto-piloto que busca a coexistência equilibrada entre seres humanos e a majestosa onça-pintada na região da APA Baía Negra.

Nesta quarta-feira (29), no qual é comemorado o Dia Internacional da Onça-Pintada, o IHP realizou a realizada a entrega de certificados de "Amigo da Onça" a 22 moradores que participaram das ações. A cerimônia de encerramento aconteceu na sede da APA, em Ladário.

Uma dessas pessoas foi a presidente da Associação de Mulheres Produtoras da Apa Baía Negra, Virgínia Paz, que enfatizou a importância do projeto. "Esse projeto de três meses, no qual a comunidade se envolveu, reuniu parceiros para criar esse símbolo que é 'Amigos da Onça'. Vivemos no Pantanal, convivemos com os animais, respeitamos o espaço deles, e eles respeitarão o nosso. Queremos uma convivência harmoniosa. Estamos dentro de uma área de reserva e temos o dever de proteger esses animais."

Ações - As ações desenvolvidas ocorreram inteiramente no território da APA Baía Negra, às margens do Rio Paraguai, onde avistamentos de onças-pintadas são comuns. Para mitigar futuros conflitos e promover o turismo sustentável, a equipe do programa Felinos Pantaneiros apresentou medidas à comunidade.

Entre as propostas, destaca-se a implementação de um projeto-piloto de monitoramento das onças-pintadas na região, além de diálogos educativos sobre o comportamento desses felinos.

Durante projeto, patas de onças foram coletadas por pesquisadores e cartilha educativa foi criada (Foto: Divulgação)
Durante projeto, patas de onças foram coletadas por pesquisadores e cartilha educativa foi criada (Foto: Divulgação)

De acordo com o médico-veterinário e coordenador do Programa Felinos Pantaneiros do IHP, Diego Viana, explicou que foram realizadas três ações, uma por mês, todas com a participação da comunidade.

“O objetivo principal foi elaborar uma cartilha sobre a coexistência entre os moradores da APA Baía Negra e as onças-pintadas na região. A cartilha é um resultado de todo esse trabalho, apresentando estratégias testadas em outros lugares, como repelente luminoso e cerca elétrica", explica Diego.

O estudo incluiu um monitoramento de um mês com armadilhas fotográficas em locais indicados pelos moradores, que resultaram em registros fotográficos de onças-pintadas e outras espécies. Esse estudo confirmou tecnicamente a presença desses felinos na comunidade.

Além disso, foram desenvolvidos moldes das pegadas de onça-pintada e uma cartilha informativa sobre a coexistência entre a espécie e os seres humanos foi criada. O projeto foi marcado por reuniões, palestras, rodas de conversa e ações de campo, com o apoio ativo dos moradores.

Ao final, foi elaborada uma cartilha, com o suporte da empresa de siderurgia Vetorial e da Sauá Consultoria Ambiental.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias