A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

21/10/2011 19:53

André encerrará governo com investimento de R$ 1 bi em saneamento

Edmir Conceição e Fabiano Arruda

Governador assinou com Sanesul e Caixa contratos para esgoto nas quatro principais cidades do interior

Governador André Puccinelli assina contratos que garantem R$ 142 milhões para saneamento em Dourados, Corumbá, Ponta Porã e Três Lagoas. (Foto: João Garrigó).Governador André Puccinelli assina contratos que garantem R$ 142 milhões para saneamento em Dourados, Corumbá, Ponta Porã e Três Lagoas. (Foto: João Garrigó).

Em oito anos Mato Grosso do Sul terá investido R$ 1 bilhão em obras de saneamento básico. O número foi destacado na tarde desta sexta-feira, no Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo, durante assinatura de contrato entre governo, Sanesul e Caixa Econômica Federal para investimento de R$ 142 milhões da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC 2, que beneficiarão os municípios de Corumbá, Dourados, Ponta Porã e Três Lagoas.

O governador André Puccinelli disse que assumiu com uma média de 10% de universalidade na coleta e tratamento de esgoto. A meta é chegar a uma média de 50% em todos os municípios e 90% nas maiores cidades. “Não é suficiente, deve ser 100%, gostaríamos que fossem 100%”, disse o governador, lamentando que apesar de todos os investimentos, por ser um setor há muito tempo sem investimento, é praticamente impossível chegar aos 100%.

O presidente da Sanesul, José Carlos Borbosa, lembrou que nos dois mandatos, o governador André Puccinelli chegará a R$ 1 bilhão em razão da aplicação, já consolidada, de volum de R$ 420 milhões e a previsão de investir mais R$ 590 milhões até dezembro de 2014. O senador Waldemir Moka (PMDB-MS), destacou o fato de investimentos em saneamento básico significarem economia em saúde. “De cada um real investido em água e esgoto, economizamos quatro reais”, comparou.

Segundo o presidente da Sanesul, José Carlos Barbosa, a habilitação a recursos do PAC 2 leva em conta o desempenho do Estado na execução dos projetos, notando que o alcance social dos investimentos coloca Mato Grosso do Sul entre os estados com melhores indicadores. Os investimentos em saneamento básico continuam representando economia no futuro com gastos na área de saúde. “Mato Grosso do Sul segue buscando a melhoria dos seus indicadores sociais, principalmente na área de saneamento e de aproveitamento de recursos hídricos”.

Mato Grosso do Sul, segundo José Carlos Barbosa, possui "universalidade" no que se refere à implantação da rede de água, ou seja, a maioria da população é abastecida com água tratada e potável. O mesmo não ocorre em relação à rede esgoto. "Esta é uma de nossas metas", garante.

Em 2007, por exemplo, 10% da população do Estado, nas regiões atendidas pela Sanesul, contava com rede de esgoto. Em 2011, este índice subiu para mais de 33% da popualação e a meta é chegar em 2014 a 60%. "Para isto contamos muito com o apoio do Governo do Estado. Todo investimento e execução dos trabalhos depende muito da gestão do governo e também de um gestão interna séria, transparente e focada para resultados”, ressalta. Para José Carlos Barbosa, a gestão pública deve ter a mesma visão da gestão privada, focada em resultados, no desempenho e no lucro da empresa.

Ao todo, desde 2007, estão sendo investidos pela Sanesul, nos municípios atendidos pela empresa, R$ 420 milhões em recursos, sendo este o maior investimento em saneamento na história do Estado. Deste total, 61% são recursos próprios e do Governo do Estado, 69% estão sendo aplicados na implantação e ampliação das redes de esgoto e 31% vão para a rede de água (abastecimento).

Outros R$ 626 milhões, oriundos do PAC Funasa, já estão pré-aprovados. Mato Grosso do Sul teve 53 cidades pré-qualificadas para receber os investimentos, mas ainda falta a aprovação dos projetos - que já estão sendo concluídos pela Sanesul - para que os recursos sejam efetivamente liberados. Os recursos do PAC 2 garantem a ampliação da rede de esgoto nas maiores cidades do interior. Nessas localidades, segundo o presidente da Sanesul, a rede deverá atingir 85% da população.

Veja como serão distribuídos os recursos dos contratos a serem assinados nesta sexta-feira.

Corumbá - Com valor investido de R$ 34,6 milhões, o município recebe obras para ampliação da rede de tratamento de água, onde estão previstos a construção de dois reservatórios, duas estações elevatórias e 27,4 km de rede, ampliando a distribuição para mais 1.212 residências. No esgotamento sanitário, o município receberá a construção de 67,3 km de rede coletora e mais 2.960 ligações domiciliares.

Dourados – O município terá investimentos de R$ 47,3 milhões aplicados na construção de seis estações elevatórias e duas de tratamento de esgoto com biofiltro e decantadores, além de 298,4 km de rede coletora e mais 16.630 ligações domiciliares.

Ponta Porã - R$ 20 milhões serão destinados para o município onde será perfurado um poço com vazão de 300 m³/h e obras para ampliação em 88,4 Km de rede coletora de esgoto e mais 6.490 ligações domiciliares.

Três Lagoas – O município recebe investimento de R$ 39,9 milhões com construção de estação de tratamento e sete estações elevatórias de esgoto, oito linhas de recalque e um emissário final, além da ampliação de 179 km de rede coletora e mais 8.025 ligações domiciliares.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions