A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

06/05/2013 19:03

André propõe a ministro da Educação 8% de reajuste em piso nacional

Zemil Rocha
André tenta articular acordo nacional com reajuste de 8% para professores (Foto: Divulgação)André tenta articular acordo nacional com reajuste de 8% para professores (Foto: Divulgação)

O governador André Puccinelli e a secretária de Educação do Estado, Nilene Badeca, que também é presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), apresentaram hoje ao ministro da Educação, Aloizio Mercadante, uma proposta para reajuste nacional do piso dos professores, que representa algo em torno de 8%. “Apresentamos uma proposta para reajuste de piso que é o índice anual do INPC, mais a metade da variação do custo Fundeb”, explicou Puccinelli.

Segundo o governador, a proposta é equivalente ao que o governo do Estado negociou com a Federação dos Trabalhadores em Educação (Fetems). “Fizemos um acordo no Estado e estamos propondo que ele seja aplicado em nível nacional”, disse.

Indagado sobre o índice, André confirmou que a proposta é algo em torno de 8%. “Se ficar em cima da proposta que está tramitando na Câmara, e não é aprovado, fica em torno de 20% a 22%”, advertiu o governador. “Antes que chegue o final do ano, estamos negociando uma proposta consensual entre governadores, prefeitos, Consed, Undime e CNTE”, acrescentou.

Para André, a proposta da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação) está muito acima da realidade dos Estados. “O Leão da CNTE quer muito mais, mas é questão de sentarmos uma ou duas vezes. Lá em Mato Grosso do Sul deu consenso, estamos bem com a educação”, declarou, sobre o presidente da entidade nacional dos trabalhadores em educação.

As negociações, segundo André, estão evoluindo bem. “Falta ser aceita por três ou quatro governadores que estão renitentes”, apontou, sem contudo revelar os nomes.

Ônibus, tablets e conjuntos - Durante a reunião com o ministro da Educação, segundo Nilene Badeca, ficaram assegurados para Mato Grosso do Sul a aquisição de 15 mil tabletes para professores, a aquisição de mais 50 onibus para atender municípios do Estado e 26,1 mil conjuntos escolares.

No caso dos ônibus, ela explicou que cada um custa R$ 240,5 mil e a conquista de 50 veículos completa com os 300 entregue pela presidente Dilma Roussef em visita a Campo Grande, na semana passada.

Quanto aos 26,1 mil conjuntos escolares, Nilene revelou que o custo é de cerca de R$ 4 milhões. "É para este ano. Esses conjuntos escolares já deveriam ter sido distribuído, mas a ata de registro de preços venceu em janeiro e não deu tempo para a gente aderir", explicou.

Os tablets já estão emepnhados para atender Mato Grosso do Sul, só aguardando ata de registro de preços.

 

 



Admiro muito esse governador, mesmo rudi, é um dos poucos que se vê realmente trabalho, lembro-me, dos domingos em que pessoas que passavam mal e necessitavam de atendimento de plantão nos postos, e os médicos que diziam se de plantão, demoravam horas para chegar. ...o governador foi fiscalizar, e se deparou com a tal irresponsabilidade, e tendo formação em medicina, começou a atender todos. As enfermeiras do posto ligaram desesperadas apressando os doutores, que chegaram mais que depressa, porém o governador os dispensou e alertou (amanhã eu me entendo com vocês. precisamos disso. e o Bernal? como está a saúde... até goteiras tem nos upas em dias de chuva e nada se faz, deve estar juntado p/ decorar sua casa nova.
 
sara egues em 07/05/2013 10:53:20
Esse é meu governador e minha secretaria de educação.E o Bermal?,e o governo do PT(Zeca) que ficou oito anos e não conseguiu nem uma Kombi para o transporte escolar,essa turma ainda sonha em voltar governador nosso estado com o Delcidio,turma de incopetente.PT Tou fora é igual sarampo só da uma fez e depois criamos imunidade.kkkk
 
Marcia Cristina da Silva em 06/05/2013 23:16:43
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions