A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

07/07/2014 10:36

Deputada desiste de reeleição para não adotar linha diferente do marido

Edivaldo Bitencourt
Deputada estadual decidiu não adotar linha política diferente do marido e desistiu de buscar o terceiro mandato (Foto: Facebook/Arquivo Pessoal)Deputada estadual decidiu não adotar linha política diferente do marido e desistiu de buscar o terceiro mandato (Foto: Facebook/Arquivo Pessoal)

A deputada estadual Dione Hashioka (PSDB) desistiu, nesta segunda-feira (7), de disputar a reeleição. A tucana alegou que não pode adotar uma linha diferente do marido, o prefeito de Nova Andradina, Roberto Hashioka (PMDB).
Dione é o sexto deputado estadual a não disputar a reeleição neste ano. Ela engrossa a lista composta por Antonio Carlos Arroyo (PR), Jerson Domingos (PMDB), Carlos Marun (PMDB), Márcio Monteiro (PSDB) e Londres Machado (PR)

O presidente do legislativo é cotado para assumir uma vaga no Tribunal de Contas do Estado em novembro, no lugar do atual presidente, Cícero de Souza, que se aposentará por atingir a idade de 70 anos.

Arroyo também é cotado para uma vaga no TCE. Machado é candidato a vice-governador na chapa de Delcídio do Amaral e deixa a Assembleia após cumprir o 11º mandato consecutivo.

Dione está no segundo mandato e buscaria o terceiro. Ela integrava a chapa de Reinaldo Azambuja (PSDB), candidato a governador.

No entanto, o marido da deputada, Roberto Hashioka é do PMDB, mas deve apoiar a candidatura a governador do PT, Delcídio do Amaral.

“Assim, sinto-me no dever de informar que as posições políticas adotadas pelo meu marido e prefeito de Nova Andradina, Roberto Hashioka, aliada ao fato de que estou filiada ao PSDB, hoje atuando em linha diversa, me impedem de dar continuidade ao projeto de reeleição. Nós que sempre caminhamos e caminharemos unidos pelos mesmos ideais que nos levaram para a vida pública, não seríamos coerentes, se agora, num momento tão crucial para a vida de nosso Estado, lutássemos em posições oposta. Diferente de qualquer outra especulação, este é o único e verdadeiro motivo que nos levou a esta decisão”, justificou-se a deputada em comunicado.

O deputado estadual Osvane Ramos (PROS) tinha ameaçado desistir da candidatura, porque não concordava com a coligação definida pelo partido. No entanto, a aliança foi mantida e ele registrou a candidatura na chapa formada pelo PR, PT e PROS.

Os deputados Carlos Marun e Márcio Monteiro vão disputar uma vaga na Câmara dos Deputados. 

Temer diz que adiamento da reforma da Previdência foi 'ótimo' para ganhar votos
O presidente Michel Temer procurou mostrar otimismo ao falar sobre a reforma da Previdência ao dar posse ao deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) c...
Diretor da PF entrega ao STF relatório de investigação sobre ministros
O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, entregou hoje (15) à ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), um re...
TRE realiza plantão para cadastramento biométrico neste sábado na Capital
O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) realiza neste sábado mais um plantão para atender eleitores de Campo Grande que ainda nã...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions